“Sensação de dever cumprido e satisfação pessoal!” É este o sentimento descrito pela equipe da Gerência de Educação Ambiental, da Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA), que esteve à frente dos trabalhos com a Barraca da Sustentabilidade, durante o período do Julho é de Praia. Durante todo o mês, a barraca percorreu as praias oficiais de Palmas, levando aos frequentadores e comerciantes noções de sustentabilidade e preservação ambiental; propostas de preservação do meio ambiente, oficinas de reciclagem e reaproveitamento de materiais, dentre outros.

 

 

Uma das atividades mais procuradas foi a do Programa Renova Palmas, que consiste na troca de um litro de óleo de cozinha usado, por uma muda nativa e frutífera, típica do Cerrado, cultivada no Viveiro Educador, mantido pela FMA. Para a gerente de Educação Ambiental, Marineiva Maria, o trabalho com o público é uma oportunidade ímpar de troca de conhecimentos. “Vale muito a pena. É uma interação com colegas de trabalho e com a comunidade, que nos enriquece mais a cada ação”, declarou.

 

Durante todo o mês foram coletados aproximadamente 200 litros de óleo de cozinha, boa parte vinda dos comerciantes das praias. Porém, também houve uma procura considerável por parte dos frequentadores, conforme informou Marineiva. Também foram doadas mais de mil mudas de árvores produzidas pelo Viveiro Educador.

 

 

Para o presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente, Evercino Moura dos Santos Júnior, é compensador perceber que o trabalho traz prazer e realização aos servidores da FMA, e atende bem as expectativas da comunidade. “Nossas ações dependem de muito planejamento e força de vontade, porque precisamos estar dispostos a ir para fora dos gabinetes, sacrificar finais de semana. Mas nada disso é impeditivo. Sempre percebemos um bom resultado ao final de cada temporada”, avalia.

 

Já o diretor de Gestão Ambiental, Giovanni Assis, considerou que esse trabalho de conscientização ambiental e sustentabilidade tem feito a diferença. “Cada vez que saímos para algum evento percebemos as pessoas mais envolvidas, buscando saber o que pode ser feito para contribuir. Isso em todas as classes sociais e faixas etárias”, destacou.

 

Já para a técnica em Educação Ambiental, Darcy Pereira, o trabalho é contínuo e muito prazeroso. “Apesar do cansaço, ficamos felizes, porque vimos transformar em realidade o que planejamos durante a semana, para oferecer à comunidade, durante os finais de semana nas praias”.  Para Elieth Carvalho, responsável pelas oficinas de Decoupage em embalagens de vidros e confecção de souplats a partir de revistas e jornais, realizar este tipo de trabalho é um privilégio. “Conhecemos pessoas que trazem suas próprias experiências. Algumas inclusive utilizamos nas ações seguintes. É sempre uma oportunidade de aprender e de se reciclar”, avaliou.

 

Nesse domingo, dia 30, na Praia das Arnos, a maior procura foi pela troca de óleo por mudas de árvores. Para alguns, a intenção era de fazer o plantio na própria praia, para melhorar a temperatura, conforme defendeu a comerciante local Francisca Chaves Ferreira, que informou que irá plantar suas mudas em frente à sua barraca. “Assim terei mais sombra, uma temperatura mais amena e mais conforto para os clientes”, comemorou.

 

Já a comerciante Antônia de Freitas Moreira avaliou que o trabalho oferece uma série de possibilidades, desde esclarecimentos de como tornar o ambiente mais saudável, até contribuir para a economia familiar. “Vou plantar essas mudas em meu quintal, produzir frutas para o nosso consumo e ter uma temperatura mais agradável em casa. Além disso, ainda aprendemos a preservar o meio ambiente e recebemos essas oficinas de como aproveitar embalagens e revistas para fabricar utensílios para usar em casa e quem sabe até vender, não é?”, pergunta.

 

O proprietário de barraca na Praia das Arnos, Francisco Gomes Costa, disse que já tem o hábito de separar o lixo e o óleo utilizado é trocado por detergente com uma pessoa da iniciativa privada. “Esse tipo de iniciativa do Poder Público é muito positiva. Pois reforça nosso conhecimento e nos incentiva para continuarmos no caminho de proteção ambiental”, disse.

 

A comerciante Kelly Castro Santana, que também trocou óleo por mudas do Viveiro Educador comemorou a presença da Barraca da Sustentabilidade na Praia das Arnos. “É uma forma de entendermos mais sobre a estrutura e como preservar para termos sempre o apoio do poder público”, avaliou.

 

Barraca da Sustentabilidade

 

A barraca da sustentabilidade tem a mesma proposta da ação desenvolvida no Parque Cesamar no mês Junho, por ocasião da Semana do Meio Ambiente: sensibilizar as pessoas que passam pelo local para a importância de adotar um modo de vida mais sustentável e em harmonia com o meio ambiente.

 

A ação trabalha os conceitos dos 5Rs, que tem como proposta ao cidadão uma mudança de atitude, tomando por base Repensar, Recusar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar, alternativas contrárias ao consumo exagerado, que tem entre suas principais consequências a geração de poluentes do meio ambiente.

 

Ainda fez parte do Julho é de Praia a apresentação da composteira doméstica, que ensina como transformar o lixo orgânico para ser utilizado em jardins e hortas domésticas. Também foi apresentada a exposição fotográfica “O Lago, este desconhecido”, que é mais uma opção de conhecimento para o visitante da barraca da sustentabilidade.

 

(Com informações da assessoria de comunicação)