Em atendimento à demanda do Ministério Público Estadual (MPE), a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) interditou dois matadouros clandestinos no município de Alvorada, região sul do Estado. As empresas já haviam sido notificadas, desde o mês de abril deste ano, para não exercerem suas atividades até o cumprimento das exigências sanitárias e aquisição de registro no serviço de inspeção oficial. Juntas, elas abatiam oito bovinos por dia que abasteciam o mercado local.

De acordo com o gerente de Inspeção Animal, Joseanne Cademartori Lins, após vistoria, foram constatadas falhas nas condições higiênico-sanitárias e estruturais, não conformidades em relação ao bem-estar animal, além da falta de um responsável técnico (médico veterinário). “Os estabelecimentos receberam um termo de ajuste de conduta do MPE, porém não cumpriram. Quando notificamos, repassamos todas as informações e demos prazo para adequações necessárias, também não cumpriram, por isso, tiveram que ser interditados até a regularização”, disse.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo, informou que as empresas tiveram prazo para se regularizarem, porém continuaram na clandestinidade pondo em risco a saúde da população, uma vez que as carnes não eram inspecionadas para avaliação de possíveis doenças. “O comércio clandestino é um grande desafio, é desleal comercialmente e pode causar sérios riscos à saúde humana. A população deve ficar atenta para denunciar possíveis irregularidades”, ressaltou.

Inspeção

As empresas de produtos de origem animal têm três opções de registros, são eles: o Serviço de Inspeção Municipal (SIM), o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e o Serviço de Inspeção Federal (SIF), cada um tem abrangência territorial de comercialização distinta. Em Alvorada, não há implantação do SIM, que fica a cargo da Prefeitura Municipal.

 

(Com informações Secom – to/Fotos: Secom)