O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB-RJ), criticou as aglomerações provocadas pelas manifestações que foram realizadas em todo o país contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele disse que os protestos mostram “contradições” e “hipocrisia” do PT (Partido dos Trabalhadores).

Em uma série de publicações na sua página no Twitter, Cunha que “combater a pandemia e criticar a atuação do governo não pode ser compatível com as aglomerações promovidas em todo o país”. Ele falou ainda que “é muito engraçado combater as aglomerações de apoiadores do governo e fazerem as deles”.

“Todas as aglomerações devem ser evitadas, de todos os lados, mas é preciso cobrar coerência de quem critica e faz pior”, declarou.

Compare fotos de atos pró e contra Bolsonaro em Brasília

O ex-presidente da Câmara dos Deputados sugeriu que as aglomerações causadas pelos protestos devem contribuir com a disseminação do novo coronavírus e aumentar o número de casos, internações e mortes por covid-19. Perguntou se o ocorrido não será investigado pela CPI da Covid: “A CPI não vai querer apurar os responsáveis por esse carnaval fora de época?”.

Cunha afirmou que as manifestações foram “organizadas pelo PT, outros partidos e movimentos ligados a ele”. Disse que as aglomerações mostram as contradições entre os discursos e as práticas partido.

“Todos os lados têm o direito à livre manifestação, mas aglomerações como a de ontem, mostram a hipocrisia de um partido que tenta voltar ao poder a qualquer custo, mesmo que colocando em risco a saúde dos brasileiros”, falou.

Eduardo Cunha também disse que “basta votar no PT em 2022” para a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) voltar ao poder.