“A cidade criativa é aquela que se reinventa permanentemente para se tornar melhor”, a frase da economista Ana Carla Fonseca Reis é propícia para a nossa capital em um momento em que as chuvas caem com profusão em nossa capital.

A cidade a cada chuva mostra que não está preparada para receber grande quantidade de água que cai do ceu, complicando a vida de pedestre, dificultando consideravelmente a vida dos condutores no trânsito já complicado de todos os dias.

Quando vemos nuvens carregadas já temos a certeza que problemas virão e eles chegam. Cabem  aqui algumas considerações. A chuva, em uma cidade quente como a nossa, é sempre bem-vinda. Mas por qual razão não existem estudos sérios a respeito de evitar que a chuva seja produza prejuízos e ao mesmo tempo aproveitar de maneira criativa o possível uso dessas águas para outros fins, até mesmo o armazenamento para uso no período da estiagem nos  gramados  que sofrem com a seca que todos nós sabemos que é inclemente.

Pelo fato de ser uma cidade planejada, Palmas não deveria apresentar cenas como a da foto aí em cima. Algo já deveria  ter sido feito, já poderíamos conviver com ás águas das chuvas de forma amistosa e não olhando para o céu e temendo contar os prejuízos. Definitivamente deveríamos ter uma cidade criativa antes de ser eficiente.