A situação precária da balsa que transita sobre o Rio Manoel Alves, na TO-482, que liga os municípios de Santa Rosa do Tocantins e São Valério da Natividade, preocupa moradores e dependentes da travessia, que é a única forma de trânsito entre os municípios. O Portal entrou em contato com o Estado, que afirmou por meio da Agência Tocantinense de Transportes e obras (Ageto), que a responsabilidade da balsa é da prefeitura de São Valério, mas que para a melhoria da trafegabilidade local, a licitação para construção de uma ponte de 150 metros está em fase final de execução. “A expectativa é de que as obras comecem ainda este ano”, disse a Ageto, em nota.

A demanda foi encaminhada à prefeitura de São Valério, que afirmou através do Secretário de Administração, Emerson Ferraz, que “a responsabilidade da balsa é do Departamento de Estradas e Rodagens do Tocantins (Dertins). A prefeitura em parceria disponibiliza o servidor para fazer os trabalhos de travessia”.

Conforme relatos, a balsa está em inadequadas condições de funcionamento e sem a manutenção apropriada para sua devida utilização, tendo ocasionado diversos acidentes com os moradores ribeirinhos do povoado de Apinajé, distrito de São Valério da Natividade, que precisam utilizar o meio de transporte todos os dias.

Além disto, segundo informações, os balseiros não possuem condições dignas de trabalho, já que o local não contém guarita, banheiro, segurança e nem cobertura.

A população local é composta, por sua maioria, de idosos, que se deslocam pelo meio de transporte até Santa Rosa do Tocantins para realizar compras e utilizar dos serviços básicos de saúde.

A precariedade e a falta de manutenção resultam em uma travessia lenta, perigosa, além de dificuldade na passagem de veículos e, consequentemente, em perigo e risco à vida da população.