A Amazon.com anunciou que vai reembolsar os clientes que sofreram prejuízos com produtos defeituosos vendidos em seu marketplace nos Estados Unidos. A nova estratégia pretende reduzir os processos contra a companhia.

Por anos, consumidores têm processado a Amazon, argumentando que a companhia também é responsável quanto um terceiro vende produtos defeituosos em seu site.

Uma norte-americana no Estado da Pensilvânia, por exemplo, conseguiu em 2016 responsabilizar a companhia por uma guia retrátil de cachorro que a deixou cega de um olho.

A Amazon, porém, segue afirmando que os vendedores do marketplace é que são responsáveis e a maior parte dos tribunais dos EUA tem decidido a favor da empresa.

A partir de 1º de setembro, a Amazon vai reembolsar reclamações válidas envolvendo produtos de até US$ 1.000, que representam mais de 80% dos casos de problemas em sua plataforma.

A empresa também anunciou o Amazon Insurance Accelerator, uma rede de seguradoras que os vendedores de sua plataforma podem optar por usar, e uma nova política que exige que mais vendedores obtenham um seguro de responsabilidade. A Amazon por si só não está oferecendo o seguro, afirmou a companhia.