As amigas de Patrícia Aline dos Santos, assassinada na semana passada, falaram sobre como era o relacionamento dela com o namorado, Iury Italu Mendanha. Segundo as amigas, o ciúme do rapaz era conhecido por todos que conviviam com o casal. Por medo de represálias, as amigas pediram para não serem identificadas.

“Ele não deixava, não queria que a gente, que as amigas tivessem contato com ela. Ela falava comigo às vezes escondido porque ele tinha ciúmes até das amigas.”

As agressões constantes também eram motivo de conversas entre elas e Patrícia. Outra amiga conta que chegou a pedir que a vítima fizesse uma denúncia.

“A gente sempre falava pra ela: Patrícia, denuncia! Denuncia! Não, eu já falei, tô com medo de denunciar e ser pior.”

Mendanha segue foragido. Nesta segunda, a Polícia Civil identificou e pediu a prisão preventiva de um amigo dele, Silas Barreira Borges. Ele aparece em um vídeo de uma câmera de segurança com o casal horas antes do crime. Borges também ainda não foi localizado.

O crime

Patrícia Aline tinha 29 anos. Ela foi encontrada morta na última quinta-feira (8), num matagal perto de um shopping de Palmas. Segundo o delegado, a jovem foi morta com pelo menos três tiros. A Justiça acatou o pedido de prisão contra Iury Italu Mendanha feito pela Polícia Civil.

No dia do crime, o rapaz enviou uma mensagem de despedida ao pai. “Disse que não ia mais trabalhar com o pai na loja, que precisava sair da cidade e que depois voltava”, relatou o delegado. A polícia chegou a fazer buscas pelo suspeito na zona rural de Palmas, durante o fim de semana, mas não conseguiu localizar o jovem.

Vídeo com últimos momentos

Um vídeo gravado pela câmera de segurança de uma padaria mostra que Patrícia entrou em um carro com o namorado horas antes de ser morta. Nas imagens é possível ver que Iury chega ao local acompanhado por um outro homem.

No vídeo, Iury chega dirigindo e desembarca sozinho do carro. Ele chama Patrícia na porta e os dois conversam por alguns minutos até que o homem, que seria Silas, também desce do veículo. Os três ficam no local por mais alguns minutos e voltam para o carro juntos, desta vez com Iury no banco do passageiro e Patrícia no banco de trás.

A jovem parecia tranquila e chegou a abraçar o suspeito durante a conversa. Amigos de Patrícia disseram à polícia que ela usou a mesma roupa durante todo o dia, o que pode indicar que ela não esperava a visita e não estava preparada para sair de casa. O vestido é o mesmo com o qual ela foi encontrada morta.