Reunir a comunidade de receptores, doadores de sangue e medula óssea e hemocentros credenciados com o objetivo de salvar vidas. Esse é o intuito do aplicativo Gota de Vida, idealizado pela equipe GEF, a grande vencedora do Hackathon Cidade Empreendedora. O grupo formado por três estudantes do Espírito Santo levou o prêmio de R$20 mil reais.

A proposta dos estudantes de ciências da computação da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Ezequiel Demetras, Fábio Alvarenga e Giulyana Mazioli consiste em um aplicativo que oferece serviço de agendamento on-line para doação de sangue.

Além de ser uma rede social on-line que incentiva a doação de sangue e medula óssea, através da comunicação e interação entre familiares de receptores e doadores, a ferramenta se propõe a comunicar a compatibilidade genética entre doador e receptor de medula óssea.

O anúncio das três equipes vencedoras ocorreu na quarta-feira, 26, em live realizada no canal do Youtube do Sebrae Tocantins. Para Fábio Alvarenga, representante da equipe GEF, a equipe de amigos já tinha vontade de criar uma ferramenta que tivesse o objetivo de aprimorar a gestão do sistema de saúde, no que tange a doação de sangue.

“Acreditamos que os processos manuais e menos burocráticos poderiam ser renovados há muito tempo, por isso, ficamos felizes em saber que Araguaína vai apoiar e trazer visibilidade para uma tecnologia desse tipo”, afirmou o estudante.

De acordo o prefeito de Araguaína, Wagner Rodrigues, esse e outro projeto vencedor serão implementados no município. “Tenho convicção que teremos um instrumento importante para Araguaína, e que com certeza será disseminado para o resto do país”, pontuou.

Para a diretora técnica do Sebrae, Eliana Castro, o Hackathon Cidade Empreendedora está delimitando um antes e depois para o município de Araguaína. “A gente observa que investir em tecnologia e inovação é um caminho sem volta, que nos leva ao êxito e ao sucesso, e Araguaína está de parabéns ao olhar por esse viés e abraçar as propostas dessa Maratona”, afirmou.

Segundo e terceiro lugar

A segunda melhor ideia foi da equipe Tech JS, que idealizou a ferramenta E-Port, com o objetivo de desburocratizar as compras públicas e trazer mais microempreendedores individuais e microempresas de Araguaína para os certames de licitação. O sistema é feito para classificar as licitações públicas municipais em segmentos de atuação, notificando MEI e ME sobre cada novo certame, por segmento de atuação.

O terceiro lugar ficou com a equipe Rocket, que idealizou o Fila Certa, plataforma de atendimento para agendar atendimentos e gerenciar o tempo de espera do público no sistema de saúde. O objetivo é viabilizar segurança e organização nas unidades de saúde, evitando aglomerações causadas pelas filas presenciais.

O Hackathon Cidade Empreendedora

Realizado pelo Sebrae Tocantins e Prefeitura de Araguaína, em parceria com Unitpac Araguaína, Topocart e Rensoftware, o Hackathon Cidade Empreendedora reuniu 180 participantes de 23 estados além do Distrito Federal. Eles foram divididos em 41 equipes, incluindo hackers, programadores, desenvolvedores, designers, profissionais, estudantes e entusiastas de tecnologia.

A proposta da maratona era que os participantes apresentassem soluções tecnológicas que abordassem os desafios da gestão municipal de Araguaína e que fossem de interesse público. Ao longo de 12 dias, as equipes se reuniram em uma plataforma virtual, sendo acompanhadas por 40 mentores. Os projetos apresentados foram avaliados por uma equipe de técnicos, composta por especialistas em tecnologia da informação, inovação, políticas públicas e gestão pública, selecionados pela Prefeitura de Araguaína e Sebrae.

Mapeamento do ecossistema de inovação

Durante a live, a diretora técnica do Sebrae Tocantins, Eliana Castro, anunciou a realização do mapeamento do ecossistema local de inovação, que irá verificar a situação atual do ecossistema da região, mensurando o parque tecnológico digital local, ou seja, quantas empresas juniores, incubadoras, instituições de ensino técnico, startups, influenciadores digitais, empresas de tecnologia, plataformas de e-commerce etc.

A intenção é identificar os gargalos do setor e proporcionar a adoção de políticas públicas e empresariais, visando atração de novos investidores, fortalecimento da economia local, projeção nacional, destinação de esforços e recursos com foco nas cadeias prioritárias, além de proporcionar aos gestores públicos a adoção de um plano de desenvolvimento local mais consistente.

(Assessoria de imprensa Sebrae)