O prefeito de Araguaína, Wagner Rodrigues, se reuniu com a equipe técnica da Secretaria Municipal da Saúde para aprovar o plano de vacinação referente às doses da vacina CoronaVac, produzidas pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovc, que estão sendo distribuídas aos estados pelo Governo Federal.

Todo o plano foi elaborado com base nas diretrizes e orientações técnicas da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, determinadas pelo Ministério da Saúde, que enviou 29.840 doses para o Estado do Tocantins em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Araguaína preparada

De acordo com o prefeito de Araguaína, Wagner Rodrigues, todas as 20 unidades básicas de saúde do município já estão preparadas para receber as vacinas que serão disponibilizadas de acordo com a chegada de novos lotes. Inicialmente a vacinação será direcionada aos grupos prioritários determinados pelo Ministério da Saúde.

“Nós ainda não sabemos quantas doses serão enviadas pelo Governo do Estado ao Município de Araguaína, por isso ainda é difícil dizer quantas pessoas serão imunizadas neste primeiro momento. É importante lembrar que só os profissionais da saúde e idosos que vivem em instituições de acolhimento, que estão dentro do grupo prioritário, somam 5.818 pessoas, precisamos do dobro de doses para conseguir fazer as duas etapas da vacinação”, ressaltou o prefeito.

Grupos prioritários

O prefeito também anunciou que as equipes de vacinação e trabalhadores que estão na linha de frente contra a covid-19 serão priorizadas para receber este primeiro lote da vacina, aplicada no próprio local de trabalho. A profissional de Araguaína escolhida para receber a primeira dose foi a técnica em enfermagem Deuzelia Vieira, que tem 24 anos de experiência na área e trabalha na triagem de pacientes suspeitos de covid-19 desde o início da pandemia.

O prefeito esclareceu ainda que, apesar do interesse do Município em adquirir as próprias doses, toda a produção da vacina está sendo disponibilizada de forma prioritária ao Ministério da Saúde. Wagner explicou também que conforme o recebimento de mais vacinas, mais pessoas poderão ser imunizadas de forma gradativa.