Cinco pessoas ficaram feridas após um ataque com faca na mesquita Dine Hoxha, no centro de Tirana, capital da Albânia.

O homem considerado suspeito pela polícia de ter cometido o crime, Rudolf Nikolli, de 34 anos, foi preso momentos depois. Autoridades ainda tentam entender a motivação para o ataque.

Os cinco feridos, todos homens, tinham idades entre 22 e 35 anos. Todos foram levados a hospitais e não correm risco de morrer.

Ataque no ramadã

Segundo o imã da mesquita, Ahmed Kalaja, o templo estava cheio de fieis neste período do ramadã — o mês sagrado para os muçulmanos. “Espero que não tenha sido um ataque terrorista”, disse o sacerdote à agência Associated Press.

Ao site Balkanweb, o pai do homem considerado suspeito disse que o filho se sentia “deprimido” desde o ano passado, após ter a entrada na Itália negada — país que tem uma grande comunidade albanesa.

Além disso, segundo ele, Nikolli nasceu em uma família de pai católico e mãe muçulmana. Ao chegar em uma mesquita tempos atrás, quando se converteu ao Islã, teve a entrada negada porque os imãs consideraram que ele era cristão.

A Albânia, com cerca de 2,8 milhões de habitantes, tem população majoritariamente muçulmana. Porém, há um percentual relevante de cristãos católicos e ortodoxos. Em visita ao país em 2014, o papa Francisco elogiou a harmonia religiosa: “Exemplo inspirador”, disse, à época.