Políticos e autoridades brasileiras se manifestaram a favor da democracia e contra a invasão do Congresso dos Estados Unidos por apoiadores do presidente republicano Donald Trump, que não aceitam o resultado da eleição da qual saiu vencedor o democrata Joe Biden.

Os invasores entraram no Capitólio, em Washington, durante a contagem oficial dos votos das eleições presidenciais e queriam impedir a confirmação da vitória de Biden – ele ganhou no Colégio Eleitoral por 306 votos contra 232.

Horas depois da invasão à sede do Congresso, Trump pediu aos manifestantes que deixassem o local, mas voltou a dizer que a eleição foi roubada.

Confira abaixo o que disseram os brasileiros:

Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral – “No triste episódio nos EUA, apoiadores do fascismo mostraram sua verdadeira face: antidemocrática e truculenta. Pessoas de bem, independentemente de ideologia, não apóiam a barbárie. Espero que a sociedade e as instituições americanas reajam com vigor a essa ameaça à democracia.”

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal – “Os EUA certamente saberão responsabilizar os grupos que atentaram gravemente contra sua história republicana. Milícias presencias ou digitais, discursos de ódio e agressões às Instituições corroem a Democracia e destroem a esperança em um futuro melhor e mais igualitário.”

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal – “A invasão do Capitólio norte-americano revela as graves consequências do sectarismo político odioso. O episódio reforça a importância de uma Justiça Eleitoral altiva. Notícias falsas e milícias digitais não apenas corroem a democracia: elas colocam em risco a vida humana.”

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado e do Congresso Nacional – “As imagens vistas de invasão ao Congresso Nacional americano, na tarde dessa quarta-feira (6), em uma tentativa clara de insurreição e de desprezo ao resultado das eleições por parte de um grupo, são inaceitáveis em qualquer democracia e merecem o repúdio e a desaprovação de todos os líderes com espírito público e responsabilidade. O Senado Federal brasileiro acompanha atentamente o desenrolar desses acontecimentos, enviando aos congressistas e ao povo americano nossa solidariedade e nosso apoio. Defendo, como sempre defendi, que a democracia deve ser respeitada e que a vontade da maioria deve prevalecer.”

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados – “A invasão do Congresso norte-americano por extremistas representa um ato de desespero de uma corrente antidemocrática que perdeu as eleições. Fica cada vez mais claro que o único caminho é a democracia, com diálogo e respeitando a Constituição.”

Camilo Santana (PT), governador do Ceará – “O lamentável episódio da invasão ao Congresso dos EUA é a prova viva do que a liderança pelo ódio, a intolerância e o desrespeito à democracia pode causar. A boa notícia é que essa minoria extremista está sendo derrotada e seus planos destruídos. Um exemplo a ser multiplicado.”

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente da República – “1 – A invasão do Capitólio revela cruamente o que acontece quando se tenta substituir a política e o respeito ao voto pela mentira e pelo ódio, até mesmo num país que gosta de se apresentar como campeão da democracia; 2 – Para o Brasil, é um alerta sobre o que ainda pode acontecer de pior aqui, se não for contido o autoritarismo de Bolsonaro e suas milicias, se continuarem sendo toleradas as violações à liberdade e aos direitos.”

Baleia Rossi, deputado federal (MDB-SP) – “São chocantes as cenas da invasão do Congresso nos Estados Unidos por quem não aceita o resultado da eleição. Democracia não se faz na violência. Se faz no debate de ideias, no respeito às diferenças, à vontade do povo e à Constituição.”

Simone Tebet, senadora (MDB-MS), presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado – “Não se trata de invasão de um prédio público, mas da democracia na sua essência: o respeito à soberania da vontade do povo norte-americano. Democracia e submissão de todos à Constituição Federal não admitem retrocessos e precisam ser reconhecidos como valores absolutos.”

Eliziane Gama, deputada (Cidadania-MA), líder do partido na Câmara – “Nas democracias, a invasão do Parlamento como ato de força não pode ser tolerado em hipótese nenhuma. A democracia americana foi profundamente agredida pela estupidez de um líder. Que os brasileiros não deixem prosperar em nosso país vertentes do fascismo e ideias totalitárias.”

Gleisi Hoffmann, deputada (PT-PR) e presidente nacional do partido – “Terrível a tentativa de golpe da direita fascista nos EUA. Essa gente não respeita democracia, constituição e nem o processo eleitoral. As forças democráticas precisam repreender duramente. O que acontece lá serve de exemplo para que afastemos o fascismo e o retrocesso daqui.”

Paulo Ganime, deputado (Novo-RJ) e líder do partido na Câmara dos Deputados – “A democracia e seus ritos precisam ser respeitados. Se acreditam que houve fraude que sejam utilizados os meios legais para contestar. A violência não deve ser o caminho. Que a situação nos Estados Unidos se acalme e a democracia prevaleça.”

Alessandro Molon, deputado (PSB-RJ) e líder do partido na Câmara – “Os Estados Unidos mostram mais uma vez que nem mesmo a democracia mais estável do mundo sobrevive impunemente ao populismo de direita! Por isso é tão importante nos unirmos: precisamos nos proteger e evitar o pior em 2022!”

Wolney Queiroz, deputado (PDT-CE) e líder do partido na Câmara – “Mais um atentado à democracia! #Trump e seus apoiadores fascistas tentam, guiados pela violência e intimidação, golpear o resultado das urnas que elegeu @JoeBiden. A história se repete, mais uma vez.”

Sâmia Bonfim, deputada (PSOL-SP) e líder do partido na Câmara – “Há um culpado que deveria ser preso pela tentativa de golpe nos EUA: Donald Trump, que incitou os ataques ao Capitólio. O combate à extrema direita golpista é a nossa tarefa número 1 nos EUA, no Brasil e no mundo todo!”

José Guimarães, deputado (PT-SP), líder da minoria na Câmara – “O núcleo do neofascismo está em desespero! Trump perdeu a eleição em uma votação histórica para os Democratas, de sobra os Democratas ainda conquistaram maioria na Câmara e formarão maioria no Senado com a vitória hoje na Georgia. Fascistas não passarão!”

André Figueiredo, deputado (PDT-CE), líder da oposição na Câmara – “Lá nos EUA , assim como aqui, parece que o aparelhamento irresponsável das Instituições é uma característica do Poder Executivo.É inimaginável que o Serviço de Inteligência americano não tenha detectado o planejamento desta invasão do Poder Legislativo pelos apoiadores de Trump.”

Renan Calheiros, senador (MDB-AL) – “O mundo chocado com imagens de Washington. Hordas de desordeiros insuflados por mentiras de Trump pisoteiam a Constituição e afrontam a democracia. Aqui, seus apoiadores estão calados. Melhor assim. #Capitolio #WashingtonDC.”

Daniela Ribeiro, senadora (Progressistas-PB) – “Minha solidariedade aos congressistas e ao povo dos Estados Unidos. Sou contra a qualquer ação que tente ameaçar os princípios e instituições democráticas. Tais ações desabonam o povo e a sua legitimidade.”

Randolfe Rodrigues, senador (Rede-AP) – “Minha solidariedade ao povo norte-americano. Tenho certeza que as instituições dos EUA não deixarão que vandalizem sua democracia, firmada há mais de 200 anos na história mundial. Estes que tentam agredir as eleições democráticas pelo mundo, tem medo do povo e não prevalecerão!”

Alessandro Vieira, senador (Cidadania-SE) – “Quem incentiva a invasão violenta de prédios públicos para contestar o resultado de uma eleição é bandido. Trump mostra o quanto um líder ignorante, desequilibrado e autoritário pode prejudicar a sociedade. Profundamente lamentável, mas que sirva de lição para os brasileiros.”

Humberto Costa, senador (PT-PE) – “O mundo acompanha o infeliz desfecho de um presidente desagregador, extremista, uma verdadeira fábrica de fake news, que nunca demonstrou apreço pela democracia. Que sirva de alerta para o Brasil. Trump é um fanático que, derrotado nas urnas pela vontade popular, joga o próprio país no caos para tentar proveito político disso.”

Cid Gomes, senador (PDT-CE) – “Não se deve brincar com a democracia. É obrigação de todos respeitar o resultado das urnas. Assistimos hoje nos EUA uma afronta ao estado de direito. É um péssimo exemplo que pode suscitar aventuras anti-democráticas em outros países. Toda atenção é pouco.”

Rogério Carvalho, senador (PT-SE) – “O Trump, assim como o Bolsonaro, não se submete a nada além da própria vontade. Eles ameaçam a democracia e o processo civilizatório da humanidade. São populistas e autoritários. O mundo já sabia e sabe do que eles são capazes. #RenunciaBolsonaro #Trumploser.”

Rodrigo Cunha, senador (PSDB-AL) – “Extremante preocupante o episódio de hoje nos EUA. É inadmissível qualquer ato de violência à democracia. Não podemos retroceder.”

Ciro Gomes, ex-ministro e ex-deputado (PDT-CE) – “Trump é um mau exemplo para o mundo e coloca não só os EUA em risco, mas todos os países democráticos. Temos que nos manter vigilantes. Bolsonaro é aprendiz e capacho de Trump. É hora do Congresso brasileiro colocar um freio em seus crimes e abrir o processo de impeachment.”

Jean-Paul Prates, senador (PT-RN) – “No Brasil, essas pessoas atacam o STF e o Congresso Nacional quando são contrariadas. É hora de dar um paradeiro a todo esse processo. A democracia é o bem mais importante de uma sociedade.”

Carlos Fávaro, senador (PSD-MT) – “A democracia é soberana porque representa a vontade do povo. Cenas de ataque à democracia como estamos vendo nos Estados Unidos são repudiáveis porque atacam não apenas uma eleição, atacam, com efeitos globais, as liberdades e os direitos dos cidadãos.”