Um bar de Gurupi teve o funcionamento suspenso pela Justiça após anunciar nas redes sociais que realizaria shows mesmo durante a pandemia. O evento musical estava previsto para o dia 29 de janeiro, mas foi proibido pelo juiz Adriano Morelli e não aconteceu. A promotora Maria Juliana Naves Dias do Carmo, do Ministério Público, entrou com a ação após ver o anúncio da festa.

O Ministério Público do Tocantins informou que a liminar foi obtida no dia 28 de janeiro, um dia antes do show. O estabelecimento em questão se chama “Cachaçaria 294”. O G1 tentou contato com a defesa do bar, mas as ligações não foram atendidas.

A decisão judicial foi tomada dentro de um outro processo que já investigava o mesmo estabelecimento por perturbação do sossego. Desde 2017 são registradas reclamações de vizinhos de muito barulho e tumulto durante os eventos no local.

A promotora Maria Juliana Naves lembrou ainda o descumprimento do decreto municipal que proíbe a realização de festas em geral que causem aglomeração de pessoas. A meida é para conter a disseminação do coronavírus.

“A atitude de realizar festas com aglomeração de pessoas no atual momento sanitário, em que o mundo implora por uma vacina contra a Covid-19, mostra desprezo com a saúde e com a vida das pessoas, o que exige uma atitude urgente”, comentou a promotora de Justiça.

A “Cachaçaria 294” terá que ficar fechada até que comprove a regularização da situação nos órgãos municipais. A multa, em caso de descumprimento da ordem judicial, pode chegar a R$ 50 mil.

As informações são do  G1 Tocantins.