Uma brasileira de 52 foi morta a facadas em Luxemburgo, na casa onde morava. O principal suspeito do crime é um cidadão português, ex-companheiro  da vítima, segundo as autoridades informaram aos sites de notícias locais.

Dione Streckert, natural de Xaxim, em Santa Catarina (SC), foi encontrada por vizinhos, que acionaram a polícia e pediram atendimento médico. Ela, contudo, não resistiu aos ferimentos.

Ainda de acordo com jornais luxemburgueses, Streckert trabalhava como faxineira e tinha três filhas e um filho. A mais jovem, de 10 anos, é autista e teria sido levada para um abrigo após o crime.

O Ministério Público de Luxemburgo, país de 600 mil habitantes situado entre França, Alemanha e Bélgica, investiga a morte da brasileira.