Todos os professores da Califórnia, nos Estados Unidos, deverão ser vacinados contra a Covid-19 ou fazer exames semanais, anunciou na quarta-feira (11) o governo local.

Isso tem preocupado pais e educadores, pois o estado mais populoso dos Estados Unidos se prepara para reiniciar as aulas, o que significa o retorno das crianças não vacinadas às salas de aula.

“Para dar aos pais a confiança de que seus filhos estarão seguros nas escolas, estamos pedindo a todos os professores que sejam vacinados”, declarou o governador da Califórnia, Gavin Newsom.

Como o resto do mundo, a Califórnia interrompeu suas aulas presenciais no ano passado e mudou para as virtuais.

Incentivos à vacinação

Os Estados Unidos conseguiram controlar os piores índices da pandemia neste ano, registrando sinais de uma volta à normalidade. Mas a volta às aulas vem sendo ameaçada por infecções crescentes, com mais de 10 mil casos por dia no estado, um aumento de dez vezes em dois meses.

Os não vacinados lideram o número de infecções, dizem os médicos. Nos Estados Unidos, as vacinas são gratuitas e estão disponíveis em todos os lugares.

O anúncio se aplica a escolas públicas e privadas e coloca a responsabilidade de garantir que os funcionários sejam totalmente vacinados ou que realizem exames semanais sobre a administração das instituições acadêmicas. A medida foi aprovada pelas associações de pais e representantes.

Cerca de dois terços dos californianos com mais de 12 anos — a idade mínima para serem imunizados — estão totalmente vacinados, de acordo com o Departamento de saúde.

O Pentágono anunciou esta semana que seus funcionários devem ser vacinados no próximo mês.

Em breve, a cidade de Nova York exigirá certificados de vacinação para quem quiser visitar locais fechados, como academias e restaurantes, enquanto Los Angeles pode seguir o exemplo.