Após os atos de 7 de setembro, grupos de caminhoneiros bolsonaristas iniciaram nesta quarta-feira (8) bloqueios de rodovias importantes em vários pontos do Brasil. Já circulam nas redes sociais vídeos que mostram barricadas feitas de pneus e brita, além de fechamento por caminhões.

Há paralisações nas BRs 101 (Safra-ES), 470 (Itajaí – SC), 158 (Araguaia – MT), 242 (Luis Eduardo Magalhães – BA), na MA-006, em Balsas (MA). Todas são importantes vias de escoamento da produção de grãos e pecuária.

Na tarde desta quarta, os caminhoneiros também decidiram bloquear a BR-153, em Araguaína (TO), na entrada do Distrito Agroindustrial da cidade (Daiara). Eles usaram pneus e os próprios caminhões no bloqueio. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) já está no local tentando negociar com os manifestantes a liberação da rodovia (vídeo).

Até o momento, foram confirmadas manifestações de caminhoneiros em rodovias de outras 16 cidades de Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo, segundo confirmação da Polícia Rodoviária Federal dos três estados. 

De acordo com as informações, os manifestantes estão impedindo a passagem apenas de veículos de carga. Veículos de passageiros e de cargas perecíveis estão liberados.

Ainda não há informações sobre as reivindicações dos grupos ou prazo para a liberação das rodovias.

As mobilizações ocorrem após atos em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no feriado de 7 de Setembro, que foram marcados por ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF), Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao Congresso Nacional.

O QUE DIZ A PRF EM ARAGUAÍNA?

“A PRF monitorou, acompanhou e registrou alguns pontos de manifestação neste 7 de setembro, sem que fossem observados prejuízos significativos à mobilidade nas rodovias federais.

O monitoramento continua durante o dia (8).  

Temos informações de que um grupo de pessoas fechou a rodovia em Araguaína utilizando pneus e um caminhão.  Ao que parece nem todos são caminhoneiros. Esse grupo está impedindo a passagens de caminhões pela rodovia. 

PRF já está no local tomando as devidas providências.”