O governador Mauro Carlesse (PHS), pré-candidato a reeleição, negou que esteja sofrendo pressão por parte de políticos da cidade de Araguaína que querem que uma das vagas para o senado em sua chapa seja destinada ao ex-deputado federal Eduardo Gomes (SD). “Essa informação fiquei sabendo pela imprensa, eu não estou sendo pressionado, mesmo porque a decisão não é minha”, disse.

Carlesse explicou que irá cumprir os acordos feitos antes das eleições suplementares e que a sua chapa já está formada e será oficializada no próximo sábado, 04, durante a convenção de seu partido. “Nós vamos manter os acordos e continuar com quem esteve conosco desde o início, hoje na chapa estão o Siqueira Campos e o César Halum, só haverá mudanças caso um deles desista”, destacou.

Conforme o governador, suas conversas com Gomes foram poucas e, mesmo assim, a decisão em relação às vagas para o senado não dependem dele. “Vamos cumprir os acordos, se ele quiser uma das vagas ele tem que ir atrás, são vagas que estão destinadas ao Halum e ao Siqueira Campos, se um deles desistir, aí sim temos condições favoráveis, ele é meu amigo, gosto dele, mas nesse momento as vagas estão ocupadas”, ressaltou o gestor.

O governador também comentou as críticas feitas à candidatura de Siqueira Campos, que para alguns, não teria mais condições de ocupar um cargo eletivo. “Eu não vejo dificuldade, é a vontade dele e ele é líder nas pesquisas, além disso, está preparado para ajudar o estado”, finalizou.