O governador Mauro Carlesse (PSL) liderou uma comitiva para uma audiência com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. A pauta foi a reivindicação da inclusão dos profissionais da educação na lista de prioridades da vacinação contra a Covid-19. O Tocantins pleiteia a inclusão de cerca de 30 mil trabalhadores da área no grupo. O líder do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Congresso Nacional, senador Eduardo Gomes (MDB), o deputado federal Carlos Gaguim (DEM) e o secretário Edgar Tollini acompanharam o chefe do Executivo.

Conforme a Secretaria de Comunicação Social do Estado (Secom), Marcelo Queiroga se comprometeu a analisar a solicitação do governo estadual sobre a inclusão dos profissionais da educação entre as prioridades de imunização. A reivindicação já tinha sido oficializada por meio de ofício entregue por Edgar Tollini. Além disto, o ministro falou sobre a aquisição de 100 milhões de doses da Pfizer. “Palmas tem os ultrafreezers necessários ao acondicionamento dessas vacinas. A população do Tocantins também será beneficiada por esse agente imunizante”, complementou

Tocantins não deu trabalho ao MS

Diante da ânsia de senadores da base do governo federal de expandir as investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 para os estados, como forma de tirar o foco de Jair Bolsonaro, o Tocantins recebeu um afago direto do ministro. “É um Estado que não deu trabalho ao Ministério da Saúde, fez o dever de casa, aplicou as verbas públicas de maneira correta. Vamos trabalhar juntos para buscar o retorno das atividades escolares o mais rápido possível e impulsionar cada vez mais a nossa campanha de vacinação”, destacou.