O primeiro caso de Covid-19 foi registrado no Sistema Socioeducativo do Tocantins na semana. A confirmação é de uma servidora que trabalha no Centro de Internação Provisória – Região Norte, em Santa Fé do Araguaia. A Secretaria de Cidadania e Justiça (Seciju) informou que todos os servidores que tiveram contato com a mulher foram colocados em isolamento. Ainda conforme o governo, ela não teve contato com os adolescentes internados.

A funcionária é uma técnica de enfermagem de 41 anos. Segundo o Governo do Tocantins, o caso dela foi notificado no boletim epidemiológico do último dia 28 de abril. Ela também trabalha no Hospital Regional de Araguaína (HRA).

A informação sobre o caso foi divulgada pela Associação dos Servidores do Sistema Socioeducativo do Tocantins (ASSOETO). A categoria denunciou nesta quinta-feira (30) que as unidades do sistema socioeducativo estariam sem materiais de limpeza, higiene pessoal e EPIs que deveriam ser utilizados pelos servidores e adolescentes internos.

O  setor de ambulatório do HRA foi fechado após uma servidora apresentar sintomas da doença, mas não há confirmação se os dois casos envolvem a mesma funcionária.

Falta de EPIs

O G1 teve acesso ao ofício enviado pela associação solicitando o abastecimento de equipamentos de proteção individual, produtos de limpeza e higiene, além da contratação de servidores de limpeza para as unidades do sistema socioeducativo, em caráter de urgência.

O documento foi enviado no dia 27 de março e respondido no dia 1º de abril pelo secretário Heber Luis Fidelis. Na resposta, o gestor confirma que “os materiais que já foram disponibilizados ao Sistema Socioeducativo, para prevenção ao Covid-19, não correspondem à necessidade” e que “felizmente até o momento não há casos de contaminação do Covid-19 em nenhuma das unidades”.

A compra dos materiais foi prometida, mas segundo associação até o momento não foram entregues. O G1 também recebeu relato de que no Centro de Atendimento Socioeducativo de Palmas (Case), os servidores receberam apenas uma máscara descartável para trabalhar durante um plantão de 24h.

Condições precárias

A categoria também denunciou as condições encontradas no Centro de Internação Provisória – Região Norte (CEIP NORTE). Foram informados problemas sanitários, fossas sépticas derramando dejetos e causando mau cheiro, além de colchões sem condições de uso.

Outro problema seria a superlotação, que estaria causando a proliferação de doenças dermatológicas. O espaço, que deveria ocupar 12 menores, está sendo ocupado por 18.

O que diz a secretaria

A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) informou que os materiais de limpeza e higiene estão sendo entregues regularmente em todas as unidades do Sistema Socioeducativo do Estado.

“Esta Secretaria esclarece ainda que devido à pandemia do coronavírus também estão sendo distribuídos equipamentos de proteção individual (EPIs) a todos os servidores. As medidas adotadas fazem parte do Plano de Contingenciamento para a prevenção da Covid-19 entre aos servidores e adolescentes”, diz nota do estado.

Sobre os questionamentos acerca do Centro de Internação Provisória (Ceip) Norte, a Seciju afirmou que a unidade tem seguido rigorosamente as ações preventivas do Plano de Contingenciamento e que todos os servidores que tiveram contato com a servidora diagnosticada com a Covid-19 foram submetidos a avaliação médica e estão em isolamento.

“Por fim, respondendo aos questionamentos de superlotação na mesma Unidade, a Seciju esclarece que foi fixada pelo Poder Judiciário a capacidade de 24 adolescentes internados provisoriamente”, finaliza o estado.

As informações são do G1 Tocantins.