O procurador da República Renato Silva Oliveira pediu à Polícia Federal a abertura de inquérito para investigar o sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa por tráfico internacional de armas. Lessa e o ex-PM Élcio Queiroz são acusados da execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. A investigação começa quase nove meses depois da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de negar o pedido de federalização do inquérito do Caso Marielle, hoje a cargo do Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) e da Polícia Civil fluminense.

A investigação sobre o envolvimento de Lessa e da filha do sargento reformado, Mohana Lessa, no tráfico internacional de armas é um desdobramento do inquérito sobre as mortes de Marielle e Anderson. Em março de 2019, no dia da prisão de Lessa, a Polícia encontrou na casa do militar 117 fuzis incompletos. O arsenal, segundo as investigações, seria montado e vendido a criminosos. Lessa, de acordo com as investigações, estudava formas de fabricação de carregadores e diagramas de cano para fuzil calibre 5,56., justamente as peças que faltavam nesses fuzis.