Maior banco da zona do euro, Santander inaugura agência em Araguaína com foco no agronegócio

Araguaína é o 24º município brasileiro no ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios. A pesquisa, encomendada pela Revista Exame, mostrou uma evolução de 57 posições de 2017 para 2018. A constatação tem atraído não só mais investidores, como também as instituições que facilitam o desenvolvimento econômico. O mais novo exemplo é a inauguração da agência do maior banco da zona do Euro, o Santander, na quinta-feira (05).

Para o secretário-chefe de Gabinete, Wagner Rodrigues, o novo empreendimento é resultado do novo modelo de gestão no Município. “Em momentos anteriores eu acredito que eles não vieram porque a cidade não estava preparada para receber. A cidade tem que estar bem para que ela possa ter este tipo de incentivo. Hoje, Araguaína é uma cidade que está entre as 100 maiores em crescimento”, afirmou.

Mais empresas do mesmo nicho também indicam melhores ofertas para os consumidores. Neste ano, outras duas grandes agências bancárias expandiram sua atuação em Araguaína. O Sistema de Cooperativas de Crédito (Sicoob) inaugurou uma nova agência, na Avenida Tocantins, e o Banco da Amazônia instalou uma microfinanciadora dentro da Secretaria Municipal da Fazenda.

“Isto tem aumentado a competitividade. A instalação de mais instituições financeiras é um fator importante para que as pessoas, principalmente os empreendedores, tenham disponibilidade ampla e moderna ao crédito e ao atendimento bancário”, atentou o secretário municipal da Fazenda, Fabiano Souza.

A agência

Quem entra na loja bancária, que está localizada na Avenida José de Brito Soares, no Setor Anhanguera, vê de frente um grande painel onde está escrito “Juntos fazemos o campo mais inovador, produtivo e sustentável”. Com cinco frigoríficos e um abatedouro instalado na cidade, o destaque dado no interior para vocação pecuária não poderia ser diferente. Ainda assim, o diretor de rede no Centro-Oeste, Eugênio Godoy, conta que a unidade cobre todas as demandas.

“Pensada com o marketing do agronegócio, até porque Araguaína é muito vocacionada para o setor, mas a loja tem todos os serviços, e atenderá desde o microempreendedor, que precisa de apoio para comprar uma máquina de costura ou uma fritadeira elétrica, até para o grande investimento”, explicou Godoy.

DNA empreendedor

O diretor ainda explica que a análise feita para a instalação da agência leva em consideração vários fatores. “Araguaína tem PIB per Capita bastante interessante, uma região que vem crescendo com muitas pessoas que querem prosperar e fazer acontecer, isto casa com o DNA do Santander”, afirmou. As informações são do portal AF Notícias.


Adriana Aguiar será coordenadora nacional do Prêmio Gestão Escolar 2020

A secretária de Estado, da Educação, Juventude e Esportes, Adriana Aguiar, foi designada, pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), para exercer a função de coordenadora nacional do Prêmio Gestão Escolar (PGE), edição 2020. A portaria foi publicada na última  quarta-feira, 4.

À coordenadora nacional caberá articular e coordenar a formalização das parcerias institucionais a serem firmadas para viabilizar a realização do Prêmio, presidir o Comitê de Governança da edição 2020, elaborar o calendário e o respectivo regulamento do Prêmio, orientar as ações dos coordenadores regionais e dos comitês locais do PGE, além de coordenar a organização da Cerimônia de Premiação.

A secretária Adriana Aguiar venceu o Prêmio Nacional Referência em Gestão Escolar do Consed, em 2011, como diretora da Escola Estadual Presidente Costa e Silva, de Gurupi, única do Tocantins a ser reconhecida nacionalmente.

A titular da Seduc enfatizou que a premiação é um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelos gestores frente às unidades escolares. “O PGE visa ainda incentivar a melhoria contínua das gestões por meio da elaboração de planos de ações com base na autoavaliação. Para mim é uma grande honra coordenar o prêmio que tive a felicidade de ter sido contemplada.

Desempenharei a função com muito empenho para que as boas práticas dos gestores de todo o Brasil sejam evidenciadas e que possam ser multiplicadas com vistas a promover avanços na educação pública brasileira”, ressaltou.

Prêmio Gestão Escolar

O Prêmio Gestão Escolar é um reconhecimento do Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed) a projetos inovadores e gestões competentes na educação básica do ensino público brasileiro. Em todas as etapas do processo de seleção, são avaliadas as dimensões da gestão pedagógica, gestão participativa, gestão de serviços e recursos, gestão de resultados e gestão de pessoas.


Tocantins encerra o ano com fortalecimento das ações de preservação e educação ambiental

Desenvolver políticas públicas e criar instrumentos de gestão ambiental que promovam o desenvolvimento sustentável do Tocantins foram as premissas que nortearam as ações da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) no ano de 2019, finalizando com resultados positivos e estratégias de ação para o próximo ano.

O secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Renato Jayme, destaca diversas ações que contribuíram para que o Tocantins encerrasse o ano de forma positiva. “No ano de 2019, mais uma vez estivemos bem colocados no ranking dos estados da Amazônia Legal que menos desmatam. Isso é um trabalho de conscientização e fortalecimento das instituições que atuam no combate ao desmatamento, principalmente na parte da fiscalização”. Ele reforça ainda a questão do monitoramento das áreas já cadastradas no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o apoio do Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (Cemaf), no combate ao desmatamento.

As ações de combate ao fogo também são resultados de políticas públicas do setor. Ainda segundo o secretário de Estado do Meio Ambiente, Renato Jayme, “através do ICMS Ecológico, se financia uma parte das ações das brigadas municipais nos combates aos incêndios, mais uma política pública do Estado que apoia e fortalece as instituições. Neste ano, contamos ainda com o apoio do governo federal de forma efetiva, por meio do exército, e para 2020 a gente pretende iniciar o nosso cronograma de conscientização logo no início do ano para um resultado mais eficaz”.

Diante dos desafios enfrentados e no intuito de ampliar as ações de preservação ambiental e o desenvolvimento socioambiental do Estado, surgiu a iniciativa do Programa Pátria Amada Mirim, junto com outros órgãos estaduais. “O PAM visa trabalhar dentro da linha de educação ambiental o fortalecimento das políticas de preservação, garantindo o bem-estar social de crianças e adolescentes, promovendo a consciência ambiental. Em 2020, serão 40 cidades beneficiadas, nas quais 5,5 mil crianças e adolescentes receberão formação prática e teórica de todo o universo da educação ambiental, o que contribuirá com o desenvolvimento social e a preservação ambiental do Tocantins”, pontuou Renato Jayme.

Programa Pátria Amada Mirim

Com o intuito de promover a inclusão socioambiental de crianças e adolescentes, o governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, lançou o Programa Pátria Amada Mirim (PAM). O Programa que foi desenvolvido por esta pasta em conjunto com demais órgãos, beneficiará 25 mil estudantes da rede pública de ensino em todo o Tocantins, até 2022. Por meio da educação ambiental, os estudantes terão a formação cidadã em benefício da preservação, conservação e restauração do meio ambiente.

O programa teve início ainda este ano com o projeto-piloto na Escola Estadual Entre Rios, com 50 alunos participantes. Para 2020, primeiro ano de execução do Programa, 5,5 mil crianças serão beneficiadas em 40 municípios já selecionados, seguindo os critérios de estarem em áreas de preservação ambiental e que possuam Diretorias Regionais da Educação e Diretorias do Instituto de Natureza do Tocantins (Naturatins).

O programa também prevê a implantação ou restauração de viveiros em todos os municípios do Estado, ou seja, serão 139 viveiros em cada cidade do Tocantins, que produzirão até seis milhões de mudas até 2022, podendo recuperar até 12 mil hectares de áreas degradadas.

Educação Ambiental

Com foco na prevenção, o Dia “D” de Prevenção a Queimadas e Incêndios Florestais foi iniciado no mês de junho e se estendeu até setembro deste ano. A ação que tem o intuito de sensibilizar a comunidade, especialmente da zona rural, levou informações sobre mecanismos de prevenção e uso legal do fogo, bem como de possíveis aplicações da legislação para a repressão às atitudes irregulares. O cronograma da ação contemplou os municípios mais atingidos por focos de incêndio florestal no ano de 2018. Ao todo, foram mais de 2.240 propriedades rurais que foram cadastradas no aplicativo Old Collect que irá monitorar os imóveis via satélite e ajudar no combate a incêndios e desmatamento. No período crítico de queimadas, de agosto a outubro, o contato de denúncias, Whatsapp Ambiental foi criado recebendo mais de 260 denúncias, que foram encaminhadas à Defesa Civil, para o combate do fogo.

Além do Dia “D”, o projeto Praia Consciente marcou as ações de educação ambiental. Foram realizadas visitas em 17 praias do Estado de norte a sul, durante a temporada de praia e mais de 250 barracas receberam orientações sobre o descarte correto de resíduos sólidos. A novidade para este ano foi o WhatsApp Consciente, um número para envio de denúncias e flagrantes dos usuários das praias. Durante a temporada, foram recebidas mais de 200 denúncias em que a Semarh recebeu e encaminhou ao Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) para ação imediata. No decorrer de todo o ano, palestras e oficinas de educação ambiental e plantio de mudas em escolas foram executados em diversos municípios do Tocantins.

Redução do desmatamento

Mais um ano seguido, o Tocantins entra no ranking dos estados da Amazônia Legal que menos desmatou, ocupando a oitava posição, o estado reduziu 16% no bioma amazônico em comparação com 2018, segundo os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Ainda segundo o Inpe, nos últimos 15 anos, a redução soma 87% a menos de desmatamento. Para o bioma Cerrado, a redução foi de 10% de área desmatada entre os anos de 2017 e 2018, todavia 2019 já registra o número de menor desmatamento no bioma Cerrado na história do Tocantins.

Esses números são resultados de ações e projetos estratégicos que visam a redução do desmatamento e a recuperação de áreas degradadas, a Semarh realizou importantes ações neste ano. Conduzido pela Secretaria, o projeto Campo Sustentável foi elaborado para garantir a diminuição do desmatamento aliado ao desenvolvimento das cadeias produtivas sustentáveis, integrando lavoura, pecuária e floresta (ILPF) em uma mesma área. O projeto está em pleno andamento desde o plantio das 3 mil mudas nativas (ipê amarelo, ipê roxo, caju e baru) intercaladas com o sorgo forrageiro, em janeiro, passando pela coleta de amostras de solo em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que conta com apoio da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins). Em maio, foi realizada a colheita do sorgo para silagem que alimentará os animais durante o processo de integração proposto para a redução do desmatamento. Atualmente, o projeto se estendeu por mais três propriedades rurais sendo duas fazendas e uma escola estadual agrícola.

A outra ação foi a assinatura do acordo de cooperação técnica firmado com a ONG norte-americana 8 Billion Trees, que escolheu o Tocantins para fazer sua primeira incursão no Brasil. A instituição vai investir US$ 5 mil mensais durante 12 meses, recurso arrecadado por meio de doações, no projeto de reflorestamento que será desenvolvido pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) numa área degradada no Parque Estadual do Cantão. A execução do projeto no local é muito importante, pois há aproximadamente 8% de áreas degradadas no interior do parque, o que corresponde a 7 mil hectares.

O Cadastro Ambiental Rural (CAR), financiado pelo Fundo Amazônia, é outra ferramenta que gera um compromisso do proprietário em formalizar a situação ambiental da propriedade, e isso vem sendo fortalecido no Estado nos últimos anos. O Tocantins já atingiu 94,85% de inscrição da área cadastrável, considerando imóveis rurais com status de ativo, conflito e em análise manual, facilitando o controle da ordenação territorial e contribuindo para a redução do desmatamento.

A Secretaria desenvolve, juntamente com as demais secretarias de Estado, a estratégia Tocantins 20-40, que é a estratégia para um Tocantins mais competitivo e sustentável visando à captação de recursos internacionais e nacionais para o desenvolvimento do Estado em quatro eixos: o econômico, social, ambiental e infraestrutura, propondo para os próximos 20 anos metas que colocarão o Tocantins como estado modelo de desenvolvimento sustentável.

Gestão Recursos Hídricos

A gestão dos recursos hídricos contou com o empenho do corpo técnico em diversas frentes. Este desempenho gerou resultados positivos como o cumprimento de 100% das metas do Programa Nacional de Fortalecimento dos Comitês de Bacias Hidrográficas (Procomitês), da Agência Nacional de Águas (ANA), um instrumento financeiro importante para o fortalecimento dos comitês. O Tocantins foi um dos primeiros estados brasileiros a aderir ao Programa, um reflexo do compromisso do Estado de apoiar o fortalecimento desses colegiados, representantes diretos dos usuários das bacias hidrográficas.

Este ano foi renovado o Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas (Progestão) junto à ANA, para o ciclo II. O contrato firmado entre o Estado e a ANA tem validade de cinco anos e estará ativo até 2022, e poderá receber o recurso de até R$ 1 milhão anualmente. O recurso oriundo do Progestão é mediante o cumprimento de metas federativas e estaduais, e sustenta uma parcela importante de ações relativas aos recursos hídricos do Estado. O Tocantins atingiu 99,2% das metas no ano de 2018 e recebeu o recurso de R$ 992 mil.

Já o monitoramento qualitativo e quantitativo dos corpos hídricos do Estado recebeu um reforço com a chegada de novos equipamentos. Os itens, que incluem um motor de popa e um medidor de vazão acústico, somam mais de R$ 120 mil e foram cedidos pela ANA ao Tocantins. Com isso, o trabalho de monitoramento hidrometeorológico das bacias hidrográficas, já realizado de forma eficiente com as 45 Plataformas de Coleta de Dados (PCDs) instaladas, é fortalecido. Em dezembro, será instalada mais uma PCD no Rio Urubu, totalizando 46 PCDs em todo o Estado. Os dados gerados pelas estações são enviados via satélite para a Sala de Situação na Semarh e transformados em boletins publicados diariamente no site da secretaria. Ao todo, 228 informativos foram divulgados do começo do ano até novembro.

Saneamento

Os municípios de Arraias, Taguatinga, Paranã e Combinado receberam do Governo do Tocantins, por meio da Semarh, os Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB), desenvolvidos por meio do Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável (PDRIS) em parceria com o Bird. Os documentos foram elaborados após demanda dos municípios, que fazem parte da bacia do Rio Palma, e contam com componentes ambientais.

Os Planos são indispensáveis para a regularização da prestação dos serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem de águas pluviais urbanas e limpeza pública e manejo de resíduos sólidos, serviços estes que integram o atual conceito de saneamento básico previsto na Lei Federal n° 11.445, de 5 de janeiro de 2007, que instituiu o Marco Regulatório do Saneamento Básico no país, e no Decreto Federal n° 7.217/10 que a regulamentou. A entrega foi realizada durante a 25ª Semana do Meio Ambiente no Tocantins, evento que marca, anualmente, a celebração do Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho.

A Secretaria realizou, por meio do Fórum Estadual de Lixo e Cidadania (Felc), mobilizações em 10 regionais, totalizando 85 cidades contempladas, no intuito de incentivar a gestão compartilhada ou associada dos resíduos sólidos nos municípios tocantinenses.

COP 25

A Secretaria encerra o ano de 2019, com a sua participação na Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas para Mudanças Climáticas (COP 25). A edição deste ano, acontecerá em Madri, na Espanha, entre 2 e 13 de dezembro.

O Estado irá apresentar para potenciais parceiros e financiadores a estratégia REDD+ Jurisdicional do Tocantins, no intuito de conseguir recursos financeiros para remunerar os resultados de redução do desmatamento do Estado já validados pela CONAREDD para REDD + e colocar o Tocantins no ambiente de mercado de carbono, tanto voluntário quanto regulado.

Além de apresentar o Programa Pátria Amada Mirim (PAM) como estratégia do Tocantins de educação ambiental pró-clima, proteção das florestas e restauração florestal, que alia as questões ambientais com a promoção da inclusão social das crianças e jovens da rede de ensino público do Estado.


Decoração de Natal do Palácio Araguaia é inaugurada em Palmas

A decoração de Natal do Palácio Araguaia, sede do Governo do Tocantins, foi inaugurada na noite da quinta-feira (5) em Palmas. Além das luzes que enfeitam as grades e jardins do prédio, também foi montada uma estrutura na entrada da Ala Sul onde corais se apresentaram. O governador do estado, Mauro Carlesse (DEM), participou da cerimônia.

A Secretaria de Comunicação informou que a decoração deste ano é a maior já instalada no palácio e vai ficar ligada até o dia 10 de janeiro. A capital já estava com a decoração ligada em diversos pontos turísticos, como o Parque Cesamar, o Bosque dos Pioneiros e a Avenida Teotônio Segurado.

As cantatas tradicionais para a época começam nas escadarias do Palácio Araguaia na próxima semana. Já há apresentações agendadas para os dias 10, 11 e 13, mas os horários ainda não foram divulgados. No dia 12 não haverá o evento em função de uma visita do presidente da República, Jair Bolsonaro, que está prevista para a data.

Além das apresentações culturais, há barracas de comida montadas no local. A Praça dos Girassóis, onde fica a sede do governo, é uma das maiores praças públicas do mundo. As informações são do G1 Tocantins.


Com apoio da Energisa, mitos indígenas ganham as telas em média-metragem

Pela primeira vez, o povo Javaé viu suas principais histórias e mitos tradicionais retratados em um filme. O média-metragem Mitos Indígenas em Travessia mistura animação com imagens reais e resgata aspectos tradicionais da cultura dos povos indígenas. Além do Javaé, no Tocantins, o filme conta histórias dos Kuikuro, no Mato Grosso, e Kadiweu, no Mato Grosso do Sul.

O média será lançado em São Paulo no dia 16 de dezembro, após ser exibido para as comunidades indígenas que participaram e para os colaboradores da Energisa, que patrocinou a produção, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial da Cultura, do Ministério da Cidadania e do Governo Federal.

A primeira exibição aconteceu na quarta-feira (04/12), na Terra Indígena Parque do Araguaia (Tocantins). No próximo sábado (07/12), será exibido na Terra Indígena Parque do Xingu (Mato Grosso). A comunidade da Terra Indígena Kadiwéu (Mato Grosso do Sul) assistirá no dia 12/12.

“O pessoal gosta de ouvir histórias antigas. O ritual é o mesmo todas as noites: os nossos avós sempre contam histórias. Todos vão para fora, colocamos as esteiras no terreiro e ficamos contando e ouvindo histórias até tarde da noite. Eu conheço um pouco da nossa história, apesar de que a gente esquece um pouco com o passar do tempo”, afirma o cacique Darci Maurerri Javaé.

A direção é de Julia Vellutini e Wesley Rodrigues e foi produzido pela Zureta Filmes. “Nós fizemos uma ampla pesquisa para mergulhar no universo das aldeias visitadas, que envolve sua cosmologia, seus cantos e sons, suas brincadeiras e rituais, sua relação com a natureza e o sagrado. Parte do material produzido foi transformado em atividades lúdicas e pedagógicas, para compartilhar a riqueza dessa diversidade cultural com as crianças nas escolas”, conta a diretora, Julia Vellutini.

Na Aldeia São João, localizada no Tocantins, a equipe se surpreendeu com o voo de um urubu em meio a um grande arco-íris enquanto captava imagens da comunidade para a animação que retrata o animal como uma figura mítica que encobria o sol na aldeia. Mito e realidade se confundem em diferentes momentos na produção do filme. As paisagens reais foram gravadas em diferentes pontos das aldeias, onde representavam os locais onde teriam ocorrido as histórias mitológicas recontadas por gerações.

As histórias animadas no filme foram narradas por anciões e membros das aldeias em sessões que reuniam crianças e outros integrantes das comunidades e a equipe do filme. Depois da narrativa, a história era transcrita e traduzida à equipe de produção das animações.

A partir das histórias narradas, crianças e jovens das aldeias participavam de oficinas de desenho e roteiro em que colaboraram na adaptação dos mitos ao filme. Os desenhos criados pelos jovens também inspiraram os designs de personagem e elementos da animação final produzida em São Paulo. Após um mês de oficinas e captação de imagens em terras indígenas, a equipe levou mais seis meses dedicados à animação e finalização do média-metragem.

“O filme é muito bom, mostra uma realidade da cultura que a gente não tem muita oportunidade de ver. Eu gosto muito dos mitos e esse filme veio contar essa mensagem de como os indígenas vivem e agem”, diz a assistente administrativa da Energisa, Vangleiane de Araújo.

Após o lançamento, as histórias serão disponibilizadas em plataforma digital (mitosindigenasemtravessia.com) de forma gratuita, junto com fotos, documentários sobre o processo de cocriação e material pedagógico, atividades lúdicas e brincadeiras para sala de aula. O objetivo é promover o ensino e a transmissão da cultura indígena para crianças de outras realidades em todo o Brasil.

A Energisa também exibirá o média-metragem durante as ações do Nossa Energia, que leva orientações, serviços e atrações culturais a bordo de caminhões em todos estados atendidos pela distribuidora.

Sinopse

Média-metragem que mistura live-action com animação. Retrata seis histórias indígenas dos tempos antigos das etnias Kuikuro (Aldeia Afukuri, Terra Índígena Parque do Xingu, Mato Grosso), Javaé (Aldeia São João, Terra Indígena Parque do Araguaia, Ilha do Bananal, Tocantins) e Kadiwéu (Aldeia São João, Terra Indígena Kadiwéu, Mato Grosso do Sul). O média-metragem foi cocriado a partir de oficinas de audiovisual realizadas nas aldeias, em que histórias tradicionais eram transmitidas por pessoas indicadas pela comunidade, geralmente anciões, para serem recriadas em desenhos e filmagens feitas em conjunto com as comunidades das aldeias.

Histórias retratadas

A Ema – Aldeia São João (Terra Indígena Kadiwéu, Mato Grosso do Sul): em um tempo antigo, quando os animais eram gigantescos, um grupo de caçadores luta para escapar de uma perigosa Ema selvagem.

O Menino-Peixe - Aldeia Afukuri, (Terra indígena Parque do Xingu, Mato Grosso): em meio a uma pescaria com timbó, um garoto-peixe supera os maus-tratos de seus invejosos tios.

As Mulheres Sem Rosto - Aldeia São João (Terra indígena parque do Araguaia, Ilha do Bananal, Tocantins): ao roubar jenipapo das mulheres sem rosto, o demiurgo Tan~yxiwè precisará da ajuda de uma Anta para escapar com vida.

A Via Láctea - Aldeia Afukuri, (Terra indígena Parque do Xingu, Mato Grosso): três pescadores adentram um misterioso rio celeste. Com a ajuda de um periquito, precisarão enfrentar perigosos bichos em uma jornada pelo rio de volta à aldeia.

A Menina e a Cobra - Aldeia São João (Terra Indígena Kadiwéu, Mato Grosso do Sul): uma garotinha é encantada por uma cobra na beira do rio.

O Urubu-rei - Aldeia São João (Terra indígena parque do Araguaia, Ilha do Bananal, Tocantins): nos tempos em que o mundo ainda era escuro, o demiurgo Tan~yxiwè precisará enganar o Urubu-Rei para conquistar o sol.


Entidade de revendedores de insumo premia alunos de escolas municipais

Os alunos de nove escolas públicas de ensino fundamental municipais de Porto Nacional foram premiados com dezoito tabletes e um notebook no último mês. A premiação finalizou o programa de educação ambiental realizado pela Associação dos Revendedores de Insumos Agropecuários do município em parceria com Prefeitura do município no ano de 2019.

Além  dos alunos, uma professora de uma escola de zona rural da cidade também foi premiada.

Segundo o presidente da Associação dos Revendedores de Insumos Agropecuários de Porto Nacional e Região Joaney Tavares, as ações reforçam o compromisso da entidade com embalagens cheias e vazias no desenvolvimento sustentável do agronegócios com a preocupação com a preservação do meio ambiente.

"O evento tem o intuito promover a conscientização por meio da educação ambiental, assim reforçando o compromisso do Agronegócio com o meio ambiente e queremos repassar isso para as gerações mais novas, que precisar ter a consciência sobre a sustentabilidade como um valor que faz parte do dia a dia delas", pontua.

O concurso iniciou em março de 2019, quando os alunos receberam os kits com materiais para trabalhar na premiação. O tema deste ano colocou as crianças participantes como protagonistas da mudança no foco da discussão sobre o meio ambiente. Após seis meses foi realizada uma avaliação e os estudantes do 4º ano participaram de um concurso de desenho e os do 5º anos de uma competição de redação. O melhor aluno de cada ano por escola foi premiado.

Participantes

Joaney Tavares dos Santos representou o presidente da Associação dos Revendedores de Insumos Agropecuários de Porto Nacional e região. Também esteve presente o consultor e engenheiro e responsável técnico, Melque do Vale, e o parceiro do projeto, em nome da Prefeitura de Porto Nacional, por meio da coordenadora de educação e professora Francisca Hilderlene Gonçalves de Oliveira. Também participaram os parceiros convidados como a Andav (Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas é Veterinários, Aprosoja (Associação dos produtores de soja e milho do Tocantins), Adapec (Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins, Secretaria de Meio Ambiente e comunidade.

O evento, que já virou tradição no município em parceria com a Andav, Aprosoja e Adapec deve ser estendido para outras cidades no próximo ano.


Bombeiros registram 47 mortes por afogamento no TO; veja dicas de segurança

Até o início de dezembro deste ano, 47 pessoas morreram afogadas no Tocantins. De acordo com o balanço divulgado pelo Corpo de Bombeiros, a maioria das mortes foram registradas durante o período de praias, mas a época chuvosa também aumenta os riscos. É que os rios ficam mais largos, cheios e perigosos por causa das fortes correntezas.

No último final de semana, um professor e um bebê se afogaram no rio Tocantins. Os corpos foram encontrados após dias de buscas e distante do local onde desapareceram.

Os bombeiros informaram que 49% das vítimas de afogamento neste ano tinham ingerido algum tipo de bebida alcoólica antes de entrar na água e 13% das vítimas tinham menos de 13 anos.

Os dados sobre acidentes com embarcações é alarmante e o número no estado é superior à média nacional. Enquanto o Brasil registra 1,5% desses casos, no Tocantins tem 21%.

Orientações

Para evitar as mortes e estar sempre seguro é importante estar protegido e seguir dicas de segurança. O major Antônio Soares explica que o banhista só deve entrar na água quando tiver certeza que o local é seguro.

"Nesse período chuvoso surge um risco novo, o volume dos rios aumenta, as águas ficam mais hostis, ninguém mais percebe a profundidade e a gente pede que as pessoas permaneçam com os cuidados. Utilizar o colete salva-vidas. É um dispositivo simples, obrigatório. Se for trafegar em embarcação utilizar o colete", disse o major.

Muitas vítimas se afogaram após tomarem bebidas alcoólicas. "Se consumir, não adentrar à água para nadar. Se adentrar tem que ser um local com profundidade segura e tem que ser acompanhado de um responsável", orientou o bombeiro.

O militar informou ainda que as crianças devem ser monitoradas a todo momento. "Devem ter atenção 100%. Em ambiente aquático manter uma distância de um braço e de preferência que a criança esteja utilizando o colete salva-vidas".

A atenção deve ser contínua em acampamentos, rios, praias e em piscinas. "A piscina deve ser cercada e não deixar objetos e brinquedos no interior do cercado, dentro da água que aquilo vai atrair a criança e esse é um risco de afogamento", informou o major Antônio Soares.

Últimos casos

Uma criança de apenas seis meses desapareceu durante travessia entre Tupirama e Pedro Afonso na noite do último sábado (30). O corpo do bebê foi encontrado no domingo (1º). Os bombeiros acharam a criança sem vida a cerca de 40 quilômetros do local onde ele desapareceu.

Na mesma região, o professor Ricardo Albaceta Júnior desapareceu enquanto tomava banho no rio Tocantins. Ele foi encontrado morto a cerca de 60 km do ponto em que tinha sido visto pela última vez e tudo indica que foi arrastado pela correnteza.

As informações são do  G1 Tocantins.


Plataforma online atuará como fonte de interação e informações de artistas na Capital

A www.palmasparavoce.art.br  uma plataforma social online que agrupa dados sobre os artistas da Capital já está disponível para cadastro de artistas e acesso pelo público. Realizada com recursos do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), a plataforma tem como finalidade ser uma fonte de informações e de interação entre público e artistas de Palmas.

Através da www.palmasparavoce.art.br,  artistas, produtores e agentes de cultura podem realizar seu cadastro e tornar seus dados disponíveis para o público, por área e região de atuação, por exemplo. Assim quem procura por um artista de determinado segmento, como um cantor de rock, ou um grupo de dança, pode acessar a plataforma e entrar em contado direto com aquele artista.

“A plataforma www.palmasparavoce.art.br atuará como ferramenta de conexão e difusão dos perfis artísticos palmenses, com portfólios dos trabalhos, informações sobre eventos e geolocalização de seus endereços”, afirma a idealizadora do projeto Stella Antune, da Produza Studio Criativo.

Para o lançamento da plataforma foi realizada um mapeamento com objetivo de registrar os empreendimentos geradores de bens e serviços criativos da Cidade, desde criadores, produtores, artesãos, músicos, atrizes/atores, compositores, ilustradores, fotógrafos, bailarinos, entre outros.

Este mapeamento continua, e através dele os agentes culturais podem responder questões sobre as características de seu empreendimento cultural e de sua atuação. Os dados além de ficarem disponíveis na plataforma também irão compor uma base de dados que serão enviados para a FCP, e sendo úteis para a elaboração das políticas públicas para a cultura na Capital.

Cadastre-se

A plataforma www.palmasparavoce.art.br  tem a proposta de ampliar a visibilidade dos artistas e suas performances, dinamizando as agendas de eventos culturais da cidade, conectando-os ao público palmense e aos demais que por ela transitam. Os artistas que quiserem compor a rede basta acessar www.palmasparavoce.art.br criar seu perfil com portifólio.

“A www.palmasparavoce.art.br deverá ser a ferramenta de conexão e difusão dos perfis artísticos palmenses, com portfólios dos trabalhos, informações sobre eventos e geolocalização de seus endereços” ressalta Stella.

Observatório Criativo

Além da finalidade de promover o contato entre artista e público, www.palmasparavoce.art.br também abriga o Observatório Criativo de Palmas. Idealizado e coordenado pela produtora cultural, administradora especialista em Economia Criativa, Stella Antunes, o Observatório tem a finalidade de promover pesquisas, diálogos, debates entre artistas, produtores, coletivos, entusiastas e entidades governamentais, sobre demandas e oportunidades geradas por seu fazer artístico para o desenvolvimento social da cidade.


Terratins homologa resultado da quinta licitação de imóveis

O Governo do Estado, por meio da Companhia Imobiliária do Estado do Tocantins (Terratins), homologou o resultado final da Licitação 001/2019 que colocou a venda lotes residenciais e comerciais, em Palmas. Após a homologação, os vencedores da licitação terão prazo de 10 dias úteis, contados após a publicação no Diário Oficial do Estado do Tocantins, para apresentarem a documentação exigida no edital e assinarem o Contrato de Compromisso de Compra e Venda.

Segundo o presidente da Comissão Especial de Licitação de Bens Imóveis (Celbi), Valter José de Faria Júnior, a partir da homologação, os vencedores devem procurar a Terratins e levar a documentação exigida nos itens 25.1 e 25.2 do edital. “Agora é a parte de assinatura de contrato. Os vencedores têm 10 dias úteis para trazer a documentação e efetivarem a etapa de assinaturas. Esse prazo vai de 5 a 18 de dezembro”, explicou.

Os participantes contemplados que não procurarem a Terratins no prazo mencionado ou que não efetuarem o pagamento do restante da entrada inicial, conforme descrito no tópico 62.1 do edital, não efetivando a assinatura do contrato terão o negócio cancelado, sem direito a restituição do valor caução. Além disso, o prazo para reembolso do valor da caução depositado pelos participantes não contemplados é de oito dias após a homologação do resultado, sendo esse creditado de forma automática pela Terratins, conforme o edital.

Mais informações

O resultado está publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) da quarta-feira e poderá ser encontrado também no site da companhia https://terratins.to.gov.br/licitacoes/ . Para mais informações basta ligar no telefone 3218-7306, na Comissão Especial de Licitação de Bens Imóveis (Celbi).


Ministro da gestão Bolsonaro e Dimas entregam 500 casas populares em Araguaína no sábado (7)

A cidade de Araguaína recebe neste sábado (7), às 9h30, a visita do Ministro do Estado do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. O ministro será recebido pelo prefeito Ronaldo Dimas na solenidade de entrega do Residencial Primavera Norte (Barros 1), com 500 casas e uma praça com estacionamento e academia ao ar livre.

“Completamos, nesse mandato, mais de 6.200 unidades habitacionais, faixa 1, entregues a famílias do nosso município. Fico feliz com a visita do Ministro e com a esperança de que a presença dele possa contribuir para a continuidade dos programas habitacionais em Araguaína”, destacou o prefeito Ronaldo Dimas.

A construção do residencial foi viabilizada por meio de parceria da Prefeitura com o Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM) e Caixa Econômica Federal (CEF).

Infraestrutura planejada

O Residencial Primavera Norte (Barros 1) é planejado e será entregue com infraestrutura adequada, como asfalto, calçadas com acessibilidade, redes de esgoto, água e energia. Além de transporte coletivo, escola, creche, Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e unidade básica de saúde nas proximidades. E ainda uma praça com estacionamento e academia ao ar livre.

Com terrenos de 9 x 18 metros, as casas de 43,5 m² possuem dois quartos, sala com cozinha, banheiro, área de serviço, piso cerâmico e forro. A construção é em concreto armado.

Ajudando quem precisa

No último dia 12, os beneficiários assinaram os contratos das casas e, na semana passada, estiveram vistoriando as unidades onde vão morar a partir deste sábado.

Por causa do subsídio do Governo Federal, os moradores vão pagar somente R$ 80 a R$ 378 pela moradia, durante 10 anos. “Essas pessoas são mães solteiras, deficientes e idosos com grande vulnerabilidade social. Pessoas que moram de aluguel ou de favor, às vezes dividindo uma casa com mais famílias”, explicou o coordenador do MNLM no Tocantins, Bismarque Roberto Miranda.

Capital da Habitação no Tocantins

Em Araguaína, são mais de 6.200 casas entregues. No Residencial Lago Azul foram 2.530. No Costa Esmeralda e Construindo Sonhos, mais de 2.200 famílias já moram com infraestrutura de qualidade. No Residencial Irmã Dorothy, são 36 unidades.

No Parque do Lago, só na primeira etapa, foram entregues 441 unidades habitacionais. A segunda etapa do residencial traz mais 440 novas unidades e outras 1.500 moradias serão construídas no Residencial Vila Verde.

(Ascom)