Polícia e familiares procuram por empresário que desapareceu após ir buscar encomenda

Familiares e amigos estão à procura do empresário palmense Alberto Martins, proprietário da oficina Alberto Auto Center, que fica localizada na quadra 812 sul, antiga 75, em Palmas – TO. O empresário desapareceu após sair para buscar uma encomenda nos Correios. A polícia está investigando o caso.

De acordo com informações,  quando desapareceu Alberto trajava calça jeans, camisa polo cinza, botina preta e conduzia um veículo prisma branco.

Se alguém tiver alguma informação sobre Alberto, entre em contato com a polícia pelos telefones: (63) 99104-3270/ (63) 98409-4942 ou pelo contato (63) 98444-0635 (Mércia).


Lutas e conquistas de técnicos de enfermagem são celebradas no mesmo dia

Apesar do momento desafiador que o mundo atravessa durante a pandemia de Covid-19, essa quarta-feira, 20 de maio, é uma data importante para quem resolveu apostar a vida na terra do sol e do calor humano, é quando a capital do Tocantins completa 31 anos. A cidade que nasceu de uma ideia de separação do norte goiano se tornou referência e um ponto de apoio e oportunidades para muitos profissionais que sonhavam em construir uma carreira na última cidade planejado do Brasil. Entre essas profissões está a de técnico de enfermagem, que tem o seu dia celebrado mundialmente também nesta quarta, 20. A data foi instituída para homenagear essas pessoas, que junto com conhecimento técnico, carregam em seus jalecos, toucas e máscaras a dedicação, o carinho e o amor àqueles que tanto precisam de cuidados.

A técnica em enfermagem Jeanne Soares Carvalho, 33 anos, resolveu dedicar sua vida para ajudar outras pessoas. Natural de Filadélfia e palmense de coração há quase 20 anos, a profissional encontrou na mais nova Capital um ponto de morada, o sonho de construir uma família e a paixão pela área da saúde. “Sempre tive a intenção de não voltar. Criei raízes aqui e pretendo ficar para o resto da vida”, relata a profissional que há seis anos lida com pacientes de diversas enfermidades.

Jeanne compõe o quadro de 483 técnicos de enfermagem da Secretaria Municipal da Saúde (Semus), que ao lado dos médicos e outros profissionais na linha de frente do combate ao coronavírus, convivem com uma realidade que os coloca em situação de extrema vulnerabilidade face à doença. “No início foi bem angustiante. Estamos lidando com uma doença que não sabemos quais são os efeitos em nosso organismo, então, no começo foi pior, porque não tínhamos informação de nada. Mas agora a apreensão deu uma controlada. Porém, fico com medo porque tenho dois filhos e um deles é asmático, meu marido é hipertenso e o pânico maior é contaminar eles, que são do grupo do risco. Claro que eu também tenho medo de ficar doente, mas alguém tem que fazer esse papel de cuidar das pessoas. Acho muito bonita a grandeza de cuidar do ser humano e por isso amo o que eu faço”, conta.

Papel decisivo

O secretário municipal da Saúde, Daniel Borini, destaca que para ajudar os médicos a cuidar dos enfermos, os técnicos de enfermagem têm um papel decisivo em muitas situações, porque é quem lida primeiramente com o paciente, principalmente nos Centros de Saúde da Comunidade (CSCs). “Então esses profissionais compõem uma área da enfermagem essencial para que a prática hospitalar ocorra de maneira organizada e eficiente. Por isso, temos que parabenizar e honrar essas pessoas que deixam suas casas e suas famílias para amenizar o sofrimento de outras que tanto necessitam de cuidados”.

Com muitos anos nesta jornada, a técnica em enfermagem Susana Rodrigues de Andrade Oliveira, 40 anos, trabalha na área desde o início deste século. E durante todo esse tempo convivendo com pessoas entre a vida e a morte, ela confessa que nunca viu um momento tão difícil em sua carreira como este que o mundo vivencia nos últimos meses. “Tenho duas crianças em casa e além de trabalhar no Centro de Saúde da Comunidade (CSC), também faço jornada semanal no Hospital e Maternidade Dona Regina. E nos últimos dias minha vida mudou completamente, até mesmo o contato com as pessoas que moram comigo e isso acaba mexendo com o nosso psicológico. Gosto da minha profissão, me sinto uma pessoa necessária na sociedade. Mas às vezes é duro não poder abraçar direito os meus filhos”.

Susana garante que apesar de toda dificuldade, ela sente que é acolhida em Palmas, mesmo nos momentos mais difíceis e quando a pandemia passar, ela diz que já sabe qual será a primeira coisa que vai fazer na cidade. “Pegar minhas crianças e passar a tarde na Praia da Graciosa”.


Aos 31 anos é nona capital menos violentas do país

Palmas, a mais nova Capital do Brasil, completa 31 anos de existência nesta quarta-feira, 20. Criada em 20 de maio de 1989 e instalada em 1º de janeiro de 1990, a Capital é considerada uma das melhores cidades do Brasil para se morar. Com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) próximo de 0.800, quando o desenvolvimento humano é classificado como muito alto, a Capital encontra-se também no ranking das mais seguras do País. Dados do Atlas da Violência – Retrato dos Municípios Brasileiros de 2019 (estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea) mostram que Palmas é a nona Capital brasileira com menor taxa de homicídios (33.5).

Mas, ainda que Palmas esteja entre as 10 capitais brasileiras menos violentas pra se viver, a Segurança Pública por aqui trabalha há incessantes 31 anos na prevenção e combate à criminalidade. Tudo começou com o primeiro ato de criação da Secretaria da Segurança Pública em 1º de janeiro de 1989, por meio do decreto sob nº 9, publicado no Diário Oficial do Tocantins.

O Decreto nº 09 estabeleceu as competências do Departamento da Polícia Civil, da Polícia Militar e do Departamento Penitenciário, entre outros. Em relação aos símbolos da Polícia Civil - a Bandeira, o Brasão e o selo da Superintendência – estes só foram criados 15 anos depois, em julho de 2004 por meio do Decreto 2.140.

Desde, então, as Forças de Segurança no Estado buscam acompanhar o caráter desenvolvimentista do Estado do Tocantins e de sua promissora Capital. Para tanto a SSP-TO, de forma estratégica, implantou em 2019 o seu Plano Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (PESSE). O plano considera ações de segurança para os próximos 10 anos para todos os 139 municípios tocantinenses.

Estrutura

Como resultado das ações estratégicas do PESSE, Palmas foi contemplada com novas unidades da Polícia Civil do Tocantins. Além das 13 Delegacias Especializadas, duas Centrais de Atendimento e seis Delegacias Circunscricionais, a Capital ganhou o reforço de uma Central de Atendimento 24 horas (CAM-24H) voltada exclusivamente para o atendimento à mulher vítima de violência doméstica e familiar e de violência sexual e ainda o Laboratório de Genética Forense.

Para o secretário da Segurança Pública, Cristiano Barbosa Sampaio, os 31 anos de Palmas se confundem com os 31 anos da Segurança Pública. Ambos são jovens e estão em desenvolvimento. "O amadurecimento da Capital vem junto com o amadurecimento das forças de segurança. O aumento do uso das tecnologias, o melhoramento das condições de trabalho, o fortalecimento da inteligência e a integração das forças de segurança são fatores que contribuem para que o Estado se torne cada vez mais seguro”, ressaltou o Secretário ao parabenizar a Capital.

Na avaliação da delegada-geral, Raimunda Bezerra de Souza, os desafios apresentados nestes 31 anos são grandes, mas a Polícia Civil vem cumprindo com suas atribuições e ampliando suas estruturas. “Nesses 31 anos, a Polícia Civil do Tocantins vem crescendo e cumprindo com suas atribuições, diante dos grandes desafios apresentados a nossa instituição. Continuamos a fazer história, também na caçula capital Palmas, que hoje completa mais um ano, a qual em 2019 ganhou como presente a Central de Atendimento à Mulher, onde buscamos atender as minorias com humanidade e igualdade. Parabéns Palmas! Parabéns Tocantins. O melhor lugar para viver e criar nossos filhos”, ovacionou a Delegada-Geral.


Palmas 31 anos: Estudantes declaram amor pela cidade e sentem saudade por estarem longe durante pandemia

Palmas completa 31 anos nesta quarta-feira (20) e durante este período foi o lugar que muitas pessoas escolhem para viver momentos felizes e construir histórias. Mas a pandemia do novo coronavírus mudou planos, principalmente de quem escolheu a cidade para morar pelas oportunidades de estudos. Mesmo à distância, estudantes declaram amor por Palmas e sofrem com saudade da cidade que deixaram por conta da quarentena.

Após mais de três anos morando na capital, a estudante de jornalismo, Verônica Macêdo de 22 anos, precisou voltar temporariamente para o Goiás. Palmense de coração, a jovem conta que além das aulas terem sido suspensas, ficou desempregada durante a pandemia.

Mas a capital tocantinense ajudou Verônica a construir amizades, além de garantir sua independência financeira. “Por estar com a família agora, estou bem melhor. Esse ano nós não vamos comemorar juntos mais um aniversário da cidade, mas que nós possamos manter a esperança de que as coisas vão melhorar. Logo vamos estar todos juntos comemorando, a cidade tem muita coisa boa a oferecer", comentou Verônica.

Ela diz que sente falta de visitar pontos turísticos da cidade, como o Parque Cesamar, Praia da Graciosa e do Festival Gastronômico de Taquaruçu. Ela disse que ir às praias está na lista das primeiras coisas que fará quando retornar.

Kássio Henrique dos Santos Aires, de 24 anos, também precisou deixar a cidade. O jovem nasceu e viveu a infância em Pium, interior do estado e se mudou sozinho em 2014 após ser aprovado no curso de direito da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Ele diz que a capital logo o acolheu e que fez amizades. “Eu comecei a morar sozinho, e antes disso eu sempre vivia em casas cheias de pessoas. A partir dali tive que aprender a lidar com o fato de estar sozinho. Felizmente na faculdade e em outras atividades externas eu construí amizades que carrego até hoje”, disse.

Atualmente ele faz mestrado. As aulas, que eram presenciais, passaram a funcionar de forma virtual. Com a mudança, Kássio Aires voltou a Pium e passa a quarentena perto da família.

O jovem aproveita a data para parabenizar a cidade e espera voltar logo. “Em Palmas, construí uma história e gostaria de retornar para continuar de onde parei. Sinto saudades da minha rotina, dos amigos que fiz, dos lugares que frequento. Espero de coração que toda essa crise possa acabar, para que a velha rotina retorne, além das nossas vidas de volta. Desejo a Palmas um feliz aniversário. O sentimento de acolhimento é recíproco”, comentou Kássio.

Zuleika Santiago de Medeiros, de 23 anos, escolheu a capital tocantinense para construir o futuro. Em 2018, passou no curso de medicina e decidiu morar em Palmas. De Brasília (DF), ela conta que precisou se adaptar às mudanças, como o forte calor.

Com a pandemia, ela preferiu voltar para a casa dos pais, mas já sente saudades da cidade. “Praticava muita atividade física principalmente em grupos, jogava vôlei com os amigos, handebol e basquete. A pandemia me tirou isso", disse a estudante.

Como chefe escoteira em Palmas, a universitária disse ainda sentir falta dos encontros e atividades ao ar livre com as crianças.“Sinto muita saudade de caminhar no Parque Cesamar, porque tem uma parte do cerrado ali, você chega e sente o cheiro do mato e é maravilhoso. Acho incrível e penso como isto está no meio da cidade e preservado. Palmas é uma cidade mais calma e tranquila de se viver e eu acho muito legal a oportunidade de ver ela crescer".

Jogar futebol com os amigos é uma das maiores saudades do indígena Maloiri Xerente de 26 anos. De Tocantínia, ele morava em Palmas há pouco mais de 5 anos e conta que foi bem recebido. Ele também está entre os universitários que saíram de Palmas por causa da pandemia.

“Eu moro na Casa do Estudante Indígena. Por causa da pandemia e da dificuldade que teria em me sustentar nesse período de crise, tive que voltar pra minha cidade em Tocantínia e estou na casa dos meus pais”, comentou o estudante.

O jovem é Diretor de Políticas Indígenas da UFT. Além da rotina, sente saudades do pôr do sol na orla da praia da Graciosa. O estudante diz que se sente feliz na capital e que já é parte da cidade. “Que Palmas continue sendo essa cidade acolhedora que recebe pessoas de todo o Brasil. Sabemos que nesse momento temos que nos cuidar dessa pandemia, mas quando isso passar voltaremos a frequentar os lugares lindos como os parques e as feiras", disse.

Palmas também foi a cidade escolhida por Renata Carvalho Mendes, de 23 anos. “Eu tive a oportunidade de refazer minha vida em Palmas. De conhecer outras pessoas, fazer nova amizades. Eu me senti muito abraçada justamente por isso".

Por conta do surgimento da Covid-19, Renata foi uma das estudantes que acabou prejudicada. Ela estava na fase final do curso de jornalismo e teve que paralisar os estudos e por isso voltou para Dianópolis, no sul do estado.

"Preferi vir para cá, passar esse momento difícil aqui e vou esperar esse momento ruim passar para poder voltar. Palmas é uma cidade muito acolhedora. Hoje sinto que faço parte de Palmas, me sinto uma cidadã palmense justamente por esse calor humano, essas amizades e segunda família que construí", disse Renata.

As informações são do  G1 Tocantins.


Sustentabilidade e agronegócio no cerrado são destaques na Agrotins

Com o tema “Cerrado Sustentável”, a Feira Agrotecnológica do Tocantins - Agrotins 2020 100% Digital terá uma abordagem especial este ano, reunindo o principal bioma do Estado com o conceito chave para a agricultura moderna do século XXI: a sustentabilidade.

Realizada em uma plataforma on-line, a Agrotins 2020 100% Digital ocorrerá nos dias 27, 28 e 29 de maio com diversos expositores e palestrantes, além de workshops e uma programação especial transmitida ao vivo pelo site www.agrotins.to.gov.br.

Seguindo o viés da sustentabilidade, está marcada para o primeiro dia da Agrotins a palestra “Importância e Conservação do Cerrado Brasileiro”, com os professores da Universidade de Brasília (UNB), Marcelo Kuhlmann e Thainá Zaneti, além do I Simpósio Estadual sobre Agroindustrialização de Frutos do Cerrado.

Para o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), César Halum, que fará a abertura do simpósio, essa realização tem como objetivo ampliar a renda dos produtores usando de forma sustentável o potencial de cultivo do bioma. “A discussão sobre agroindustrialização é fundamental para a cadeia produtiva do Estado e se conseguirmos unir ainda mais os conceitos de sustentabilidade, nosso agronegócio vai longe. Atualmente, o Tocantins já ocupa o primeiro lugar na colheita de frutos da região Norte do Brasil. Estamos indo bem”, pontua.

Agroflorestas

Já no segundo dia de programação, estão marcadas as palestras “Restauração do Cerrado” e “Promoção do Desenvolvimento Sustentável por meio do uso da Biodiversidade e de Sistemas Agroflorestais (SAF) no Bioma Cerrado”, por meio do projeto Bem Diverso.

Os sistemas que envolvem a agrofloresta estão começando no Tocantins, conforme destaca o engenheiro florestal Fernando Dorta, que responde pela Gerência de Agroenergia e Floresta da Seagro. “Nos últimos dois anos, a Seagro iniciou um projeto com cursos de capacitação sobre o tema, que tornaram os produtores verdadeiros disseminadores desse conhecimento. Com a agrofloresta, é possível aproveitar dentro das lavouras o bioma nativo, sem desmatar e mantendo espécies tradicionais de nossa região. A medida enriquece mais ainda a área de cultivo, além de ampliar as possibilidades de ganho com a terra”, destaca.

Projeto ABC

No dia 29 maio, que finaliza a programação da Feira, o tema sustentabilidade estará dialogando com a pecuária e o plantio de soja, por meio da palestra “Plataforma Pecuária de Baixo Carbono Certificada” e com o Projeto ABC (Agricultura de Baixo Carbono) no Tocantins.

De acordo com Marcelo Marcelino, gerente de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono da Seagro, o Tocantins é reconhecido na região Norte como o estado que mais apresentou projetos nesta área, e entre os diferenciais para o sucesso estão as parcerias com instituições, como a Empraba e Ruraltins, que traçam estratégias de integração entre a pesquisa e extensão.

Novo Coronavírus

Diante do cenário de crise com o novo Coronavírus, a Agrotins 2020 100% Digital recebe também a palestra de Gleysson Machado, do Portal do Biogás, que vai abordar de forma inédita o agronegócio sustentável e as possíveis soluções diante da pandemia.

“O agronegócio [sustentável] indica que a produção de alimentos descentralizada vai ser importante para resolver o caos gerado pela crise do novo Coronavírus, principalmente na questão de logística e distribuição de alimentos. A ideia é fechar toda a cadeia produtiva de forma integrada, envolvendo o uso de biodigestores, conectando a agricultura com a pecuária", finaliza.

Agrotins 2020

A Agrotins 2020 100% Digital envolve ainda diversas outras áreas do agronegócio, e será responsável por apresentar ao produtor rural as principais novidades em serviços, produtos e tecnologias para o campo.

Para saber mais sobre o evento basta acessar o site www.agrotins.to.gov.br  e também acompanhar as redes sociais do Governo do Tocantins, que compartilham diariamente informações sobre a edição deste ano.


Tocantins é contemplado com R$ 12 milhões pelo Grupo JBS

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, foi convidado por executivos da JBS, para uma videoconferência em que a empresa anunciou a destinação de R$ 12 milhões ao Tocantins (sendo R$ 10 milhões para o Estado e R$ 2 milhões para os municípios), para auxiliar no combate à pandemia do novo Coronavírus.

De acordo com a empresa, a forma como os recursos serão destinados e os bens ou serviços a serem adquiridos serão tratados pelos comitês técnicos criados para coordenar as doações e o Governo do Estado. “Temos necessidades em várias áreas, tanto no social, como a aquisição de cestas básicas para alimentar as famílias que mais precisam, como adquirir respiradores para abrir mais leitos de UTI, ou até para a contratação de mais profissionais de saúde. Qualquer uma dessas áreas que for atendida vai nos ajudar muito”, avaliou o governador Mauro Carlesse.

O governador Mauro Carlesse explicou a situação do Estado em relação à pandemia e demonstrou sua preocupação com o aumento do número de casos. O Governador descreveu as diversas ações que têm sido tomadas pelo Estado, como o aumento do número de leitos para o tratamento da Covid-19, a aquisição de mais testes, além da distribuição de alimentos, a suspensão das aulas e a redução da jornada dos servidores públicos. “É um momento muito complicado em que estamos tomando todas as medidas para preservar vidas. Sabemos que a população precisa ficar em casa para evitar contaminação, mas também é necessário que essas famílias tenham o alimento na mesa”, declarou.

Os executivos afirmaram que os recursos já foram aprovados pela JBS e estão disponíveis. A intenção da empresa, segundo eles, é que a liberação ocorra o mais rápido possível. “Nós só temos a agradecer e reconhecer que é uma atitude grandiosa da empresa. É uma ajuda que vai chegar em boa hora aos tocantinenses que mais precisam”, ressaltou o Governador.


Polícia impede carreata de comerciantes em Araguaína; cidade está em lockdown

A Polícia Militar de Araguaína, no norte do Tocantins, impediu uma carreata convocada por comerciantes da cidade. Eles pretendiam iniciar a movimentação no fim da tarde na Avenida Filadélfia, mas como a cidade está em lockdown, ou bloqueio total, por causa da pandemia, a PM acabou intervindo.

Entre as pautas da manifestação estavam melhorias no sistema de saúde e a volta gradativa das atividades comerciais. Após a polícia fechar a rua onde a concentração ocorreria, os motoristas ainda tentaram se mobilizar em outros pontos, como a Marginal Neblina. Os policiais fizeram então novos bloqueios e os participantes acabaram desistindo.

Não houve nenhum tipo de confronto entre os manifestantes e a PM. Em nota, a corporação informou que vai continuar trabalhando durante o período de pandemia para evitar aglomerações. Disse ainda que seguirá atuando para garantir a lei e a ordem,

Araguaína é a cidade mais afetada pela pandemia de coronavírus em todo o Tocantins. O município concentra 700 casos da doença e oito mortes até esta terça-feira (19). Instituições como a Defensoria Pública têm alertado para o risco de colapso no sistema de saúde da cidade se a situação não for controlada. A cidade também é referência para o atendimento de alta complexidade a pacientes de todo o norte do estado.

As informações são do  G1 Tocantins.


Veículos passam por desinfecção nas barreiras sanitárias instaladas em municípios do norte do TO

Os municípios localizados na região norte do Tocantins endureceram as medidas de combate ao novo coronavírus, após o decreto de 'lockdown' instituído pelo governo do estado. Barreiras sanitárias foram reforçadas na entrada das cidades para orientar moradores e fazer a desinfecção dos veículos.

O acesso à entrada da cidades foi fechado. Só é permitida a passagem de moradores que estão a trabalho, ambulâncias e quem se desloca para atividades consideradas essenciais pelo Estado.

A maior preocupação é em relação as divisas com outros estados, como Pará e Maranhão, que apresentam um alto índice de contaminação da doença. Na manhã desta terça-feira (19), a Secretaria de Estado de Saúde do Pará confirmou 15.467 casos. O número de óbitos chegou a 1.392. Já no Maranhão, até ontem eram 13.238 infectados e 576 mortos pelo novo coronavírus.

No Tocantins, até esta segunda-feira, 32 pessoas morreram e o total de diagnósticos chegou a 1.496 pessoas infectadas.

Em Araguatins, teve carreata com carro de som para reforçar as novas medidas. A luta dos profissionais contra o vírus também segue intensa. Ambulâncias passam por desinfecção, principalmente nas portas, bancos do veículo e onde a maca é transportada.

A prefeitura informou que, mesmo antes do decreto de 'lockdown', já havia endurecido as medidas de restrição na cidade.

Segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde da  segunda-feira (19), Araguatins tem 30 casos confirmados da doença e quatro mortes.

O município de Itaguatins também intensificou os trabalhos de orientação e desinfecção de veículos que chegam ao município. Os locais públicos, como praças e unidades de saúde também passam por higienização. Até segunda-feira, na cidade foram confirmados 14 casos da Covid-19. A cidade também está em lockdown até o dia 23 de maio.

As informações são do  G1 Tocantins.


Gurupi adota novas medidas de combate a Pandemia de Covid-19

A Prefeitura de Gurupi publicou novo Decreto Municipal nesta segunda-feira (18), adotando novas medidas de enfrentamento ao coronavírus. O documento Nº 599/2020 prorroga a suspensão do funcionamento dos bares, proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em leilões e suspende a realização do Arraiá da Amizade 2020.

O Decreto Nº 599/2020 altera o inciso IV do Caput, bem como, o primeiro e o segundo parágrafo do art. 13 do Decreto Municipal Nº 590/2020. Entre as mudanças estão a proibição do consumo de bebidas alcoólicas durante a realização dos leilões bovinos. Esta medida foi acrescentada entre as recomendações para o funcionamento desta atividade em Gurupi.

Outra mudança é a prorrogação da suspensão do funcionamento dos bares por mais 15 dias contados a partir desta terça-feira (19). A última suspensão encerrava nesta segunda-feira (18). Por fim, foi decretado também a suspensão da realização da XXI edição do Arraiá da Amizade – São João de Gurupi 2020, tradicional festa junina da cidade.

A festa foi acrescentada nos eventos, reuniões e/ou atividades sujeitas a aglomeração de pessoas, sejam elas governamentais, artísticas, esportivas e científicas do setor público ou do setor privado, como forma de combate a Pandemia de Covid-19.

 


Governo reforça fiscalização contra a pesca ilegal

Equipes de fiscalização do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) apreenderam quase 20 mil metros de redes de pesca de vários tamanhos de malha, além de apetrechos como molinetes, espinhéis, pindas, boias e tarrafas, resultado de pesca predatória, durante fiscalização realizada entre o início do mês de março até esse domingo, 17.

Somente durante operação especial realizada no período de 12 a 17 deste mês, foram recolhidos 10,3 mil metros de redes, lançadas em vários pontos do Lago da Usina hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães, abrangendo os municípios de Ipueiras, Brejinho de Nazaré, Porto Nacional, Palmas, Lajeado e Miracema do Tocantins. A fiscalização se estendeu para alguns afluentes do Lago. A equipe de fiscalização fez abordagens terrestres e aquáticas.

Operações semelhantes, realizadas no mês de abril, já haviam retirado do lago nove mil metros de redes. Segundo o fiscal chefe da operação realizada na última semana, Jusley Caetano, a equipe ficou impressionada com a quantidade redes em vários pontos do Lago nas últimas operações.

“Com o avanço da pandemia da Covid-19, as pessoas procuram se refugiar fora das áreas urbanas e buscam na pesca uma válvula de escape e acabam desrespeitando a legislação vigente, como a proibição do transporte de qualquer quantidade de pescado. Durante as nossas operações sempre verificamos a obrigatoriedade da Carteira de Pesca, explicou Jusley Caetano.

Na última operação denominada “Mar de redes”, também foi lavrado um auto de infração por pesca ilegal, no valor de R$ 1,4 mil. Vale ressaltar que a fiscalização trabalha diuturnamente para coibir os ilícitos ambientais, como a própria legislação preconiza.

O fiscal esclarece que é difícil localizar os responsáveis pelas redes lançadas no Lago, uma vez que elas são armadas e recolhidas horas depois, dificultando o flagrante por parte da fiscalização. “Em todas as nossas abordagens, explicamos sobre a legislação vigente, a exemplo da Cota Zero e sobre as penas previstas, como forma de também promover a educação ambiental”, acrescentou o fiscal.

O gerente de fiscalização ambiental do Naturatins, Amarildo Pereira, destaca que as ações de fiscalização têm ocorrido diariamente, por meio das equipes embarcadas e/ou por terra, distribuídas nos três polos de fiscalização localizados em Palmas, Gurupi e Araguaína e que abrangem todos os 139 municípios tocantinenses.

Linha Verde

“Além disso, contamos com o apoio da população, que pode formalizar denúncias se perceber alguma atividade suspeita, ocasião que uma equipe irá verificar se a denúncia procede”, reforçou Amarildo Pereira. As denúncias podem ser feitas pela Linha Verde 0800 63 1155 ou diretamente no site do Instituto (naturatins.to.gov.br/linha-verde/).

O presidente do Naturatins, Sebastião Albuquerque, detalhou que o combate à pesca predatória está ocorrendo em todo o Estado e vem sendo alvo de operações especiais de fiscalização desde o mês de março, especialmente nos municípios abrangidos pelo Lago da Usina do Lajeado, bem como no Rio Caiapó, trecho no município de Araguacema, incluindo rios e lagos que estão na área do Parque Estadual do Cantão e na Área de Proteção Ambiental (APA) Ilha do Bananal/Cantão.

“Sabemos que a pesca é uma paixão dos tocantinenses, mas a proibição neste momento é necessária para garantir o repovoamento de peixes, prejudicado pela pesca indiscriminada; e no caso do Rio Caiapó, também é fundamental que a atividade de pesca seja coibida, por ser o local um importante berçário para várias espécies”, justifica o presidente.

Sebastião Albuquerque ressalta que as medidas de proibição da pesca e a prorrogação da vigência da Portaria nº 106/2019 da Cota Zero, segue até 2022. O gestor reforça que a fiscalização integrada com órgãos parceiros do Naturatins está surtindo efeito positivo em todas as regiões do Tocantins.

A parceria incluí o Instituo Brasileiro de Recursos Naturais e Renováveis (Ibama), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Marinha do Brasil - Capitania Fluvial Araguaia-Tocantins, Ministério Público Estadual (MPTO), Polícia Militar (PM-TO), Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), Batalhão de Polícia Militar Rodoviário e de Divisas (BPMRED), Delegacia Especializada de Repressão à Crimes Contra o Meio Ambiente e Conflitos Agrários (Demag), Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Fundação Municipal do Meio Ambiente de Palmas (FMA) e Guarda Ambiental de Palmas.