Gilmar Mendes concede liberdade a suspeitos de fraude na Saúde do Rio

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes concedeu habeas corpus aos empresários Miguel Skin e Gustavo Estellita. Eles estavam presos desde agosto do ano passado, no âmbito da Operação Ressonância — desdobramento da Lava Jato —, suspeitos de integrar esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na Saúde do Rio de Janeiro.

Em contrapartida à liberdade, a Corte impôs medidas cautelares, como a proibição de manter contato com outros investigados no processo e comparecer periodicamente à Justiça. Os dois empresários estavam presos por decisão da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro. A defesa recorreu e chegou ao STF, que entendeu pela soltura.

Lava Jato faz operação contra fraudes na Saúde no Rio e em São Paulo

De acordo com as informações do processo, o ex-secretário de Saúde do Rio Sérgio Côrtes teria implementado uma logística de desvio de valores quando foi diretor do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). Segundo consta nos autos, ele direcionava contratações de material hospitalar para Miguel Skin e Gustavo Estellita, que beneficiavam diretamente todas as empresas ligadas a eles.

Defesa

Segundo a defesa dos acusados, “as decisões do Supremo Tribunal Federal vão de encontro com o ordenamento jurídico, em claro respeito à aplicação da lei penal e à jurisprudência da Corte”.

Para o advogado de Skin e Estellita, as prisões mostraram-se “uma grande aberração”, pois eram amparadas em delações premiadas “desprovidas de provas” e homologadas em dezembro de 2017.

 


Celso de Mello: “MP não serve a governos, pessoas ou partidos”

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, aproveitou a sessão da quinta-feira (12/09/2019), que marcou a despedida da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para fazer uma defesa enfática do papel do Ministério Público, que “não serve a governos, a pessoas, não se subordina a partidos políticos” e “não se curva à onipotência do poder ou aos desejos daqueles que o exercem”.

Dentro do Supremo, a incisiva fala do decano foi interpretada como um duro recado ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), que indicou o subprocurador-geral da República Augusto Aras para suceder Raquel Dodge no comando do Ministério Público Federal (MPF). Sem disputar a lista tríplice, Aras foi visto como o candidato que melhor soube ler os sinais de Bolsonaro quanto aos requisitos para nomeação ao cargo.

Bolsonaro já disse que quer um novo PGR que não seja “radical na questão ambiental”, nem que haja como um “xiita”, nem “atrapalhe” projetos de infraestrutura, sendo “alinhado” com o Brasil. O nome de Aras ainda depende de aprovação do Senado.

“O Ministério Público não serve a governos, não serve a pessoas, não serve a grupos ideológicos, não se subordina a partidos políticos, não se curva à onipotência do poder ou aos desejos daqueles que o exercem, não importando a elevadíssima posição que tais autoridades podem ostentar na hierarquia da Republica”, discursou Celso de Mello, sem citar nomes, na abertura da sessão plenária da quinta.

 “O Ministério Público também não deve ser o representante servil da vontade unipessoal de quem quer seja ou instrumento de concretização de práticas ofensivas aos direitos básicos das minorias, quaisquer que elas sejam, sob pena de o Ministério Público se mostrar infiel a uma de suas mais expressivas funções, que é segundo o que diz a própria Constituição Federal, que é a de defender a plenitude do regime democrático”, completou o decano.

Contrário ao Planalto

Desde que Bolsonaro assumiu o comando do Palácio do Planalto, Celso de Mello tornou-se um dos principais defensores de direitos de minorias e da liberdade de expressão dentro da Corte. O decano foi o relator de uma das ações sobre a criminalização da homofobia, votando para enquadrar a discriminação contra homossexuais e transexuais como crime de racismo, em um voto histórico de 155 páginas que foi lido por seis horas e meia. O julgamento contrariou os interesses da frente parlamentar evangélica e do Palácio do Planalto.

No mês passado, em entrevista exclusiva ao Estadão, Mello disse que Bolsonaro “minimiza perigosamente” a importância da Constituição e “degrada a autoridade do Parlamento brasileiro”, ao reeditar o trecho de uma medida provisória que foi rejeitada pelo Congresso no mesmo ano para retirar da Funai a demarcação das terras indígenas.

Segundo a reportagem apurou, o decano reagiu nesta semana com indignação ao comentário do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, de que “por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos”. Nesta quinta, Mello enfatizou que não há salvação fora da ordem democrática.

Ministério Público independente

“Regimes autocráticos, governantes ímprobos (desonestos), cidadãos corruptos e autoridades impregnadas de irresistível vocação tendente à própria desconstrução da ordem democrática temem um Ministério Público independente”, frisou Celso de Mello, que já atuou no Ministério Público de São Paulo antes de ser indicado pelo então presidente José Sarney para assumir uma das cadeiras do STF, em 1989.

“O Ministério Público, longe de curvar-se aos desígnios dos detentores do poder, tanto do poder político quanto do econômico ou corporativo ou ainda do poder religioso, tem a percepção superior de que somente a preservação da ordem democrática, fora da qual não há salvação, e o respeito às leis dessa República revelam-se dignos de sua proteção institucional”, afirmou o decano.

Celso destacou que no Brasil ainda há “situações conflituosas” que expõem a patrimonialização da coisa pública ou “que submetem pessoas indefesas e grupos minoritários ao arbítrio do Estado onipotente ou ao desprezo de autoridades preconceituosas”.

Avidez predatória

“Sem se falar naquela massa enorme de explorados e despossuídos como os povos da floresta, e os filhos da natureza, que são injustamente degradados pela avidez predatória dos que criminosamente transgridem com insensível desrespeito as leis, a consciência moral, a solidariedade social e a constituição os valores básicos sob os quais se devem fundar qualquer sociedade digna, justa e fraterna”, frisou o ministro.


Dodge pede que STF fique atento a 'sinais de pressão sobre a democracia'

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) fique alerta para sinais de pressão contra a democracia. Segundo ela, há no Brasil e no mundo “vozes contrárias ao regime de leis”. O discurso foi proferido na última sessão que participa na Corte. O mandato de Dodge termina na próxima terça-feira. Ela será substituída no cargo pelo procurador Augusto Aras, que ainda será submetido a sabatina no Senado.

— Faço um alerta para que fiquem atentos a todos os sinais de pressão sobre a democracia liberal, vez que no Brasil e no mundo surgem vozes contrárias ao regime de leis, ao respeito aos direitos fundamentais e ao meio ambiente sadio também para as futuras gerações. Neste cenário, é grave a responsabilidade do Ministério Público e do Supremo Tribunal Federal, seja para acionar o sistema de freios e contrapesos, seja para manter leis válidas perante a Constituição, seja para proteger o direito e a segurança de todos, seja para defender minorias — disse Dodge.

A procuradora terminou o discurso com um apelo para que o STF proteja a democracia no país:

— Quero lhes fazer um pedido muito especial, que também dirijo à sociedade civil e a todas as instituições: protejam a democracia brasileira, tão arduamente erguida, em caminhos de avanços e retrocessos, mas sempre sob o norte de que é o melhor modelo para construir uma sociedade de mais elevado desenvolvimento humano.

Na mesma sessão, o mais antigo integrante do tribunal, Celso de Mello, também discursou, em homenagem à procuradora-geral. Ele enfatizou que o Ministério Público não pode servir a governos ou a grupos ideológicos.

— O Ministério Público não serve a governos, a pessoas, a grupos ideológicos, não se subordina a partidos políticos, não se curva à onipotência do poder ou aos desejos daqueles que o exercem. O Ministério Público também não deve ser o representante servil da vontade unipessoal de quem quer que seja, ou instrumento básico de ofensa de direito das minorias — disse o ministro.

O decano destacou o papel do Ministério Público na sociedade brasileira para preservação da democracia:

— Sabemos todos que regimes autocráticos, cidadãos corruptos e autoridades impregnadas de vocação tendente à desconstrução da ordem democrática temem o Ministério Público. O Ministério Público, longe de curvar-se aos desígnios do poder, político, econômico ou corporativo, ou ainda religioso, o Ministério Público tem a percepção superior da preservação da ordem democrática, fora da qual não há salvação.

Segundo Celso de Mello, um MP independente é um instrumento para garantir os direitos e liberdades fundamentais.

— Especialmente em um país como o nosso que ainda lamentavelmente se evidencia relações conflituosas que tentam a patrimonializar o público — concluiu.

O decano disse ainda que o MP atua para proteger “uma massa enorme de cidadãos, povos da floresta e filhos da natureza injustamente perseguidos com avidez predatória dos que transgridem com desrespeito a lei”.

O presidente da Corte, Dias Toffoli, também discursou em homenagem a Dodge na sessão desta quarta-feira. Assim como o decano, ele aproveitou para ressaltar a importância do Ministério Público em uma sociedade democrática.

— Nunca é demais reiterar o papel chave do Ministério Público no fortalecimento do do Estado Democrático de Direito. O Ministério Público é tutor da ordem jurídica e constitucional e grande defensor das liberdades e dos direitos das pessoas, com destaque para os direitos sociais e individuais indisponíveis. Sem um Ministério Público forte e independente na defesa dos direitos e das liberdades das pessoas e no combate à corrupção, os valores democráticos e republicanos propugnados na Constituição de 1988 estariam permanentemente ameaçados. A doutora Raquel Dodge chefiou o Ministério Público Federal firme na defesa desses valores - afirmou Toffoli.


Bolsonaro ficará afastado da Presidência por mais quatro dias e deve reassumir cargo na terça-feira

Internado desde o último sábado para retirada de uma hérnia, o presidente Jair Bolsonaro não poderá retomar o cargo nesta sexta-feira, como previsto inicialmente. Por determinação da equipe médica, que avalia a necessidade de mais descanso, o presidente só retomará as funções na próxima terça.

Com isso, o vice-presidente, Hamilton Mourão, permanecerá à frente da Presidência. De acordo com nota da Assessoria do Palácio do Palanto, divulgada nesta quinta-feira, o estado de saúde de Bolsonaro requer mais quatro dias de descanso, antes de retomar suas atividades.

"A recuperação do Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, evolui positivamente. Entretanto, a equipe médica da Presidência da República decidiu mantê-lo afastado do exercício da função de chefe do poder Executivo por mais quatro dias, a contar de 13 de setembro de 2019, com a finalidade de proporcionar maior tempo de descanso".

Na quarta-feira, Bolsonaro recebeu uma sonda nasogástrica para solucionar um quadro de distensão abdominal. O equipamento serve para retirar gases do estômago e do intestino do presidente. A distensão aconteceu devido à ingestão de ar depois de Bolsonaro ter passado pela cirurgia no abdômen, justamente para retirar uma hérnia incisional.

*Do jornal Valor Econômico


Incêndio atinge Hospital Badim na Tijuca; ao menos uma pessoa morreu

Um incêndio atingiu o Hospital Badim, na Tijuca, Zona Norte do Rio, na quinta-feira. Segundo a direção da unidade hospitalar, o fogo, a princípio, teria sido provocado por um curto circuito no gerador de um dos prédios. Por conta das chamas, funcionários retiraram os pacientes do local às pressas e os colocaram nas calçadas, onde receberam atendimento. De acordo com a assessoria da unidade de saúde, um dos pacientes morreu, mas ainda não há informação sobre sua identidade.

De acordo com o proprietário do hospital, José Badim, ainda não há informações sobre "a origem do óbito".

— O hospital tem 200 leitos, estava quase cheio. Todos os pacientes foram retirados. A fumaça que ainda está saindo, possivelmente é do gerador que é a óleo diesel — disse, ressaltando a corrente de solidariedade. — A vizinhança compreendeu, os demais hospitais também. Toda essa ajuda é muito importante. Existe uma movimentação muito grande para o problema ser resolvido.

A ação conta com o apoio do Corpo de Bombeiros, que foram acionados por volta das 18h.

Segundo os bombeiros, as chamas já haviam sido apagadas por volta das 19h45m. No entanto, ainda havia muita fumaça, com cheiro forte, saindo da unidade de saúde. Funcionários usam máscaras nos rostos para se proteger.

Jaqueline Santos conta que estava no hospital acompanhando o marido, Marco Damasco, que havia acabado de passar por uma cirurgia, quando tudo aconteceu:

— Ele foi operado e estava na UTI. Por volta das 18h30m, a televisão e o sinal de internet apagaram. Parou tudo. Passamos a sentir cheio de fumaça e o ambiente nos corredores ficou escuro. Logo depois, fomos orientados a deixar o prédio com calma — afirmou.

Hospital Badim, no Maracanã, pegando fogo e macas com pacientes estão na rua. pic.twitter.com/ypBBlLLLu3

— Rio de Nojeira (@RiodeNojeira) September 12, 2019

Os pacientes estão sendo atendidos na calçadas das ruas São Francisco Xavier e Artur Menezes. Três bases de atendimento foram improvisados em imóveis próximos ao local; entre eles, uma creche e a garagem de um prédio.

A ala do hospital atingida seria nova. A Polícia Militar interditou as proximidades do hospital. Ambulâncias de hospital particulares e públicos fazem o transporte dos pacientes.

Lilian Dillon, síndica de um prédio vizinho ao hospital, contou que o incêndio teria começado pela lateral do edifício. Ela foi alertada pelo porteiro do incêndio por volta das 18 horas. Ela contou que parte dos pacientes foi resgatado por uma passagem subterrânea que liga o hospital ao prédio dela.

— Foi uma correria grande. Os funcionários estavam na rua tentando acomodar pacientes em macas — contou a moradora.

Incêndio atinge Hospital Badim na Tijuca, e pacientes são retirados nas macas.Incêndio atinge Hospital Badim na Tijuca, e pacientes são retirados nas macas. Foto: Alexandre Cassiano / Alexandre Cassiano

O motoboy Pedro Luiz de 31 anos passava pelo local quando passou para ajudar a retirar macas e lençóis do prédio

-A correria foi grande. Contou o rapaz que atuou com uma máscara por conta da fumaça.

Rede de solidariedade

A estudante Carolina Xavier, de 17 anos, moradora da região, diz que ia para uma aula particular quando viu as chamas. Ela diz que o cenário foi de caos, e as pessoas precisaram ajudar comprando água.

— Eu teria uma aula particular perto dali, e estava a caminho, dentro do Uber. Foi quando vi uma fumaça grande na altura do Maracanã. Quando cheguei mais perto já tinha carro de bombeiro e muita fumaça. O caos estava instaurado, muita fumaça, muito carro de bombeiro, pacientes sendo colcoados para fora, pacientes no chão... foi horrível, uma sensação de impotência — diz Carolina. Ela e outras pessoas compraram água para auxiliar os bombeiros.

Pacientes foram tratados em calçadasPacientes foram tratados em calçadas Foto: Alexandre Cassiano / Alexandre Cassiano

— Eu vi várias pessoas falando que foi na sala de máquinas, mas não sei ao certo. Os bombeiros começaram a comentar que as pessoas precisavam de água, foi aí que muita gente comprou pack de água ali perto. Eu fui uma delas. Tinha gente do lado de dentro gritando, foi horrível — concluiu.

Gláuber Amânci, de 32 anos, enfermeiro e do Conselho Regional de Enfermagem, mora perto do Badim e conta que, logo que soube do que estava acontecendo, correu para ajudar como podia: ele acredita que tenha levado pelo menos 30 pacientes às ambulâncias.

— Logo que soube do incêndio corri para ajudar já que moro próximo, no Maracanã. Uma situação dramática com centenas de pessoas graves precisando ser transferidas para outras unidades. Algumas em estado grave, que estavam no centro cirúrgico ou na UTI. Eu acredito que ajudei a levar para as ambulâncias mais de 30 pacientes graves. Vi outros enfermeiros e médicos também ajudando, solidários, no local. Toda a rede hospitalar da Tijuca enviou equipes e ambulâncias — contou.

Creche virou sala de pacientes

A creche Criando com Arte, que fica bem ao lado do Hospital Badim, é um dos lugares para onde alguns dos pacientes estão sendo levados. O empresário Darci Martins Neto, de 40 anos, dono da creche, define a situação como uma operação de guerra.

— Na hora do incêndio no hospital eu ainda tinha na creche oito crianças. Isolamos as crianças no andar superior e liberamos as salas de baixo para o atendimento dos pacientes. Virou uma operação de guerra, com macas e médicos espalhados por todo andar térreo, corredores e salas. Mais de 50 pessoas foram atendidas aqui e há previsão de novos pacientes chegarem. Isso aqui virou uma UTI. Os casos mais graves ficaram numa sala dos fundos. Não tinha outra forma de agir. É meu dever como ser humano. Meu filho de 2 anos saiu daqui agora. Com a mãe. Eu não tenho hora para ir embora. Sem previsão — contou.

Algumas pessoas trouxeram água e copos descartáveis para oferecer a quem tinha sede. Outros simplesmente deixaram o conforto de casa para fazer uma pergunta: "É precisando de ajuda?". Foi o caso do empresário Robson Castro, 56 anos, e sua esposa, Eliana.

— Chegamos do trabalho e viemos para cá para perguntar se estavam precisando de ajuda. Até para, se fosse o caso, abrir meu apartamento para abrigar pacientes. Moro num apartamento de três quartos, não teria problema. Foi isso. Uma ação de solidariedade. Mas pelo que estou vendo a situação está sob controle".

Angústia de parentes

Algumas famílias estão na Tijuca em busca de informações.. Carmem Regina Moreira chegou com o marido e a filha em busca de informações da mãe, Amália Moreira de 92.

Amália está internada há dois meses no segundo andar em tratamento de uma cistite. Ela estava acompanhada por uma funcionária da família que deixou o quarto antes da paciente ser retirada por orientação dos funcionários.

— Já fui na crecha e ela não estava lá. O nome não constava na lista. Ouvi sobre um morto, mas ninguém informa nada — disse, muito nervosa.

"Toda a direção do Hospital Badim está empenhada em prestar os devidos socorros necessários aos pacientes, que serão transferidos para o Hospital Israelita Albert Sabin e para os hospitais da Rede D'Or, do qual o Badim é associado.", consta do comunicado emitido pela direção do hospital.

De acordo com o Centro de Operação, a Rua São Francisco Xavier está totalmente interditada entre a Avenida Professor Manuel de Abreu e a Rua Isidro de Figueiredo.

Segundo o COR, o trânsito está sendo desviado pela pista sentido Radial Oeste da Avenida Professor Manuel de Abreu. Equipes dos Bombeiros, da Polícia Militar e da CET-Rio estão no local.

Fumaça escura é vista no céu da TijucaFumaça escura é vista no céu da Tijuca Foto: Reprodução

De acordo com os bombeiros, três quarteis atuam no combate às chamas: Central, Tijuca e Vila Isabel. Pacientes e funcionários foram retirados do hospital. Colchões foram colocados próximo ao prédio para atendimento, como mostram as imagens do incêndio que circulam nas redes sociais.

 


Maníaco será indiciado por tentativa de feminicídio contra adolescente

A adolescente de 17 anos, primeira vítima a denunciar que o cozinheiro Marinésio dos Santos Olinto, 41 anos, conduzia um carro diferente da Blazer prata usada para abordar Letícia Sousa Curado, 26, e Genir Pereira de Sousa, 47, terá seu caso classificado como tentativa de feminicídio. O inquérito que apura o estupro cometido contra a adolescente ainda será relatado e depende de algumas informações produzidas pelo Instituto de Criminalística (IC), mas o indiciamento de Marinésio já foi decidido e será mantido, já que a jovem escapou por pouco da morte, configurando tentativa de feminicídio.

Na tarde da última quinta-feira (05/09/2019), a adolescente fez o reconhecimento facial de Marinésio nas dependências do Departamento de Polícia Especializada (DPE). Para os investigadores, não há dúvidas de que a menina foi vítima do maníaco.

Em depoimento, a garota afirmou ter sido estuprada pelo homem em abril deste ano. “Peguei o ônibus para ir ao Itapuã. Quando desci na parada, ele passou. Ficou me olhando e me abordou com uma faca. Disse que se eu não entrasse no carro ele ia me matar. Me levou para a região dos pinheiros e me estuprou. Depois, pegou meu pescoço, me jogou para fora e disse que eu era um lixo”, contou a jovem.

Segundo a lei, para serem consideradas feminicídio ou tentativa de feminicídio, as situações devem envolver violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher, como no caso da adolescente, que foi chamada de “lixo” pelo cozinheiro.

Há, entretanto, lacunas a serem preenchidas no caso. A jovem esteve na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) para reconhecer o carro que o cozinheiro teria usado para abordá-la. Na ocasião, identificou o Pálio Weekend vermelho, supostamente usado por Marinésio. A versão contada pela adolescente, entretanto, não bate com as informações prestadas pelo atual dono do automóvel, que assegura estar com o veículo há quase dois anos. O carro pertenceu ao irmão de Marinésio.

Além do reconhecimento, o veículo passou por perícia e teve material genético e impressões digitais colhidas pelos peritos do IC, da mesma forma que ocorreu com a Blazer usada por Marinésio nos dias em que matou Letícia e Genir. O maníaco nega que tenha atacado outras mulheres.

Maníaco será indiciado por tentativa de feminicídio contra adolescente

Segundo o advogado designado pela Ordem dos Advogados do Brasil Seccional DF (OAB-DF) para acompanhar o caso, Dalton Ribeiro, ainda há uma série de evidências coletadas em cenas de crime, veículos e no corpo das vítimas que precisam ter suas perícias finalizadas.

“Não existe ainda a conclusão definitiva do laudo que pode apontar violência sexual no caso da Letícia, por exemplo. Existe apenas informação de um laudo preliminar. A OAB acompanha esse caso com muita atenção e vamos aguardar todos os desdobramentos”, disse.

O acusado

Marinésio morava com a esposa e a filha em uma casa humilde no Vale do Amanhecer. Tinha uma vida acima de qualquer suspeita. O homem, de 1,60 m de altura, é considerado calmo. “Vivi com ele muitos anos [19, no total] e não sabia de nada. Era um bom marido e bom pai. Nunca agrediu minha filha. Estamos arrasadas”, disse a companheira do maníaco.

Após ser preso, o cozinheiro confessou ter matado duas mulheres e afirmou que pagará pelos crimes. “Só peço desculpas a todos. Minha família não merecia estar passando por isso. Vou pagar o que eu fiz”, disse Marinésio, detido desde a madrugada de 25/08/2019 pelo assassinato de Letícia. Ele também admitiu ser autor da morte da auxiliar de cozinha Genir Pereira de Sousa, 47, em junho passado.

As declarações foram dadas no dia 26/08/2019, na 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina), região administrativa onde Letícia morava com o marido e o filho, criança de apenas 3 anos. O cozinheiro agia sempre com o mesmo modus operandi: as vítimas eram abordadas em paradas de ônibus ou em rodoviárias pelo suspeito, que se passava por loteiro (motorista de lotação).

 


Quer aprender? Vá dormir! Cérebro que não dorme não aprende

Estudar com orientação é algo fundamental na sua caminhada em busca de uma vaga universitária. O estudante de alta performance precisa saber o que estudar e como estudar. Estudar com relevância e foco ajuda a potencializar seu desempenho. Ter técnicas de estudos, ter cronogramas, ter metas e conhecer a neuroplasticidade cerebral fazem a diferença. São atalhos para a aprovação. O Rumo à Aprovação chega para oferecer as ferramentas necessárias para facilitar o seu trabalho duro. Acreditamos que o trabalho duro vence o talento! Somos todos capazes e juntos somos mais fortes!

O educador e especialista em neurociência Pierluigi Piazzi, no livro Aprendendo inteligência: Manual de instruções do cérebro para alunos em geral, da editora Goya, destaca que “sono não é a consequência de um corpo cansado. O sono é causado pela necessidade de esvaziar a memória RAM do nosso cérebro.” Professor Pier apelida de “memória RAM” o chamado sistema límbico, cheio de estruturas complexas (tálamo, hipotálamo, amígdala etc.), nas quais se destaca uma, denominada hipocampo, muito importante para a memória de curto prazo.

Praticamente todas as informações que absorvemos durante o dia são colocadas (de forma instável) no sistema límbico. Nossa memória de curto prazo é muito, mas muito provisória e de capacidade de armazenamento limitada, relativamente pequena. Cabem apenas algumas horas de informação. Sendo volátil e muito pequena, no fim do dia, o cérebro sente a necessidade de “resetar” a nossa RAM. Dormir para esquecer!

Por isso, você sente sono e adormece. Durante o sono, uma boa parte do conteúdo da RAM é simplesmente jogada na lata do lixo. Essas informações nunca mais serão recuperadas. Foi constatado que o sono não oferece uma preservação de toda informação recebida durante o dia. No entanto, se, porém, houver um preparo prévio, durante o sono profundo, uma pequena fração do conteúdo da RAM é, sim, enviada para nossa memória de longa duração, reconfigurando redes neurais e sendo, assim, gravada de forma permanente.

Especialistas dizem que aulas nas escolas deveriam começar às 8h30

Cérebro que não dorme é um cérebro que não aprende! Após uma noite de sono recobramos o acesso a memórias que não podíamos recuperar antes de dormir. Sabendo que o sono serve para sedimentar as informações estudadas. Então, como o estudante deve agir ao longo do dia para que, ao dormir, transforme em conhecimento as informações recebidas em sala de aula?

  • A recomendação dos neurocientistas é que você durma de seis a oito horas por noite. Para assim atingir o sono R.E.M. (sono mais profundo), permitindo a seleção daquilo que é preciso ser guardado (fazendo as sinapses — sedimentação — das informações estudadas) ao mesmo tempo que descarta o que não é necessário;
  • Um estudo norte-americano da Universidade Wayne State aponta que a cafeína (interrompe o fluxo de melatonina, substância química que influencia o sono) consumida em até seis horas antes de dormir elimina uma hora de sono. Por esta razão, indica-se o consumo de café apenas nas primeiras horas do dia ou logo após o almoço;
  • Aluno e estudante não são palavras sinônimas. Assistir à aula não é estudar. Na aula você não aprende… você entende! Aula é uma atividade coletiva e passiva. O aluno, durante a aula, erra pouco. Para aprender é preciso errar. É errando, e corrigindo os erros, que se aprende. Estudar é individual e ativo (escrever). Estudar não é ler, estudar é escrever!;
  • Você deve estudar o mais próximo possível da aula dada, não o mais próximo da prova. Diariamente é necessário deixar de ser aluno e transformar-se em estudante! Se ao longo do dia você foi estudante, durante o sono, as informações estudadas serão consolidadas na memória de longa duração. Estudar é qualidade, não quantidade. Estude pouco a cada dia. Aula dada e não estudada vai parar no lixo a cada noite de sono.

Não é a prática que leva a perfeição! É a prática, acrescida de sono, que faz a perfeição!


CPI da Censura, para investigar ações de Crivella na Bienal, é protocolada

Mesmo com o novo namoro entre o prefeito Marcelo Crivella (PRB) e a Câmara do Rio — ontem, o novo Concilia finalmente chegou ao plenário e foi aprovado em primeira discussão —, o vereador Renato Cinco (PSOL) conseguiu as assinaturas para instalar a CPI da Censura.

O objetivo da investigação é apurar se houve improbidade administrativa, entre outros crimes, nas ações de fiscalização da Secretaria de Ordem Pública durante a Bienal do Livro, com ordem de recolher livros "impróprios".

O vereador — relator da CPI das Enchentes — também procurou o Ministério Público pelo mesmo motivo.


Caixa estuda linha de financiamento habitacional com juros fixos, sem correção

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, reafirmou que o banco estuda lançar uma linha de financiamento habitacional com taxa de juros fixa, sem qualquer tipo de correção, como TR (Taxa Referencial) e inflação (IPCA). Ele disse que essa nova modalidade de crédito imobiliário está sendo discutida com o ministro da Economia Paulo Guedes e deverá estar disponível em até dois anos.

Imagem de cabeçalho

— Daqui a um ano e meio, dois anos, a gente começa a emprestar sem correção nenhuma, de IPCA e de TR — disse Guimarães em evento realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).

Ele aproveitou e fez uma balanço da linha de financiamento corrigida por IPCA mais juros entre 2,5% e 4,95% ao ano, lançada no fim de agosto. Em menos de um mês, foram emprestados R$ 100 milhões nessa modalidade e outros R$ 500 milhões em empréstimos já foram analisados pelo banco. O número de consultas no site chegou a 2,1 milhões, no período.

— Há casos em que as pessoas acham que as simulações no site estão erradas porque o valor da prestação cai muito ­— disse o presidente da Caixa.

Ele admitiu que há risco inflacionário nessas operações, mas que isso é mais preocupante nos primeiros cinco anos do contrato. Contudo, o cenário existente hoje no Brasil é de queda na inflação. Por isso, a Caixa tem planos para lançar uma modalidade sem correção, explicou.

Para especialistas, a retirada da TR descasa o crédito habitacional dos seus principais fundings: o FGTS e a poupança.

— Hoje os recursos para o crédito imobiliário são corrigidos pela TR, e é difícil imaginar que os bancos vão ficar desprotegidos. O presidente da Caixa tem lançado a ideia de que é preciso mudar o funding habitacional, mas ainda não está claro como isso será possível no curto prazo. Muito menos para habitação social, como o Minha Casa, Minha Vida, em que é preciso um recurso barato. Nenhum funding será tão social como o FGTS — afirma Ana Castelo, coordenadora de Projetos da Construção do FGV IBRE.

O presidente da Caixa assegurou ainda que os atrasos nas operações de crédito do programa "Minha casa, minha vida" começaram  a ser regularizados na quarta-feira e devem estar totalmente normalizados até quinta-feira.

Guimarães afirmou que a Caixa quer securitizar (vender) as primeiras carteiras de crédito atreladas à inflação ainda este ano. Assim que o volume atingir R$ 1 bilhão, destacou, metade será securitizada.

A demanda chega a R$ 30 bilhões, disse ele. Já os contratos atrelados à TR, atualmente zerada, não despertam interesse de investidores. Na avaliação dele, isso ocorre porque a definição da TR é complexa e envolve critérios subjetivos por parte do Banco Central.

No evento, Guimarães defendeu a busca de alternativas para que o setor da construção não fique dependente do governo e das fontes tradicionais como FGTS e poupança. Para ele, a securitização é a solução.

— Todos nós queremos previsibilidade e isso vem com a possibilidade de ficar menos dependente do governo e ter o mercado financiando o setor, como ocorre em outros países.


Greve dos Correios: veja como emitir segunda via de contas pela internet

 

Com a greve dos funcionários dos Correios, alguns serviços podem ser prejudicados, inclusive a entrega de contas de luz, telefone, internet, entre outras. Para não pagar multa, o ideal é que o consumidor emita a segunda via e faça o pagamento em dia.

 

É importante lembrar que não receber fatura, boleto bancário ou qualquer outra cobrança em que o consumidor saiba ser devedor não o isenta de efetuar o pagamento.

 

Light

 

Acesse o site www.light.com.br . Na aba "agência virtual", selecione a opção "2ª via de conta". Informe o CPF ou CNPJ e o código de cliente informado na conta de luz. Selecione a opção "Segunda via / consulta de débitos".

 

Enel

 

Acesse o site www.enel.com.br .  Clique na aba "minha conta" e, em seguida, selecione a opção "Segunda via de conta". Informe o número do cliente (veja na conta de luz) e o CPF ou CNPJ do titular.

 

Naturgy

 

Acesse o site www.naturgy.com.br   e, na aba "Serviços de gás Rio de Janeiro" selecione a opção "Para você". Cadastre-se na agência virtual, informando o número do cliente e o número da fatura que constam na conta. Insira os dados de acesso e contato e, em seguida, confirme o cadastro. Faça o login e selecione a opção "segunda via da conta".

 

Cedae

 

No site www.cedae.com.br , selecione a opção "Segunda via de conta" no painel de serviços. Informe o número da matrícula e o CPF ou CNPJ.

 

Oi

 

Acesse o site www.oi.com.br/minha-oi/  e selecione a opção "pagar minha conta". Selecione o produto e informe os dados pra emitir o código de barras ou boleto.

 

Vivo

 

No site www.vivo.com.br , acesse a aba "Meu Vivo" e clique em "Segunda via de conta". Faça o cadastro, informando o CPF.

 

Claro

 

Acesse www.claro.com.br  e clique em "Minha Claro", selecionando o serviço para o qual deseja emitir a segunda via da conta. Faça o cadastro, informando seus dados, e após fazer o login selecione a opção "2ª via de fatura".

 

TIM

 

Acesse www.tim.com.br . Na barra de serviços localizada na parte superior da tela, selecione a opção "Meu TIM". Faça o cadastro e em seguida baixe a fatura do mês desejado.