Toffoli manda Lava-Jato nos estados enviarem dados de investigações à PGR

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, determinou  que as forças-tarefa da Lava-Jato no Paraná, no Rio de Janeiro e em São Paulo entreguem à Procuradoria-Geral da República (PGR) todas os dados já obtidos nas investigações. A decisão foi tomada a pedido da PGR — que, segundo relatou, tem enfrentando “resistência ao compartilhamento e à supervisão de informações” em posse dos procuradores da República.

Na decisão, Toffoli liberou para a PGR acesso a “todas as bases da dados estruturados e não-estruturados utilizadas e obtidas em suas investigações, por meio de sua remessa atual, e para dados pretéritos e futuros”.

No pedido feito ao STF, a PGR afirmou que os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), foram alvo de uma denúncia oferecida pelos procuradores do Paraná, sendo que ambos têm foro no Supremo. Na decisão desta quinta-feira, Toffoli recomendou que, ao receber os dados, a PGR examine se há informações relativas a atos ilícitos cometidos por autoridades com direito ao foro privilegiado, para que os trechos sejam encaminhados ao STF.

Segundo Toffoli, os procuradores da Lava-Jato “incorreram em transgressão ao princípio constitucional da unidade do Ministério Público”, porque se recusaram a entregar dados sigilosos para a chefe da Lava-Jato na PGR, Lindôra Araújo, com o argumento de que as informações foram obtidas por decisão judicial.

O ministro explicou que a PGR tem o direito de obter o compartilhamento de todos os dados obtidos em unidades estaduais. Agora, os dados serão encaminhados para a Secretaria de Perícia, Pesquisa e Análise da PGR.


Polícia já faz busca por corpo de Naya Rivera, atriz de 'Glee', que sumiu ao sair de barco

A Polícia de Ventura, nos Estados Unidos, retomou as buscas por Naya Rivera, de 33 anos, que desapareceu ao sair de barco. Mas já trabalham com a hipótese de que a atriz de "Glee" teria se afogado no Lago Piru, por isso, as buscam são pelo corpo. As informações são do TMZ.

"As autoridades dizem que trabalham com a hipótese de afogamento. A polícia local diz ainda que o Lago está cheio de árvores e detritos no fundo. E, normalmente, um corpo leva de sete a dez dias para subir à superfície", diz trecho do portal de celebridades.

Segundo a emissora CBS, Rivera alugou um barco no início da tarde de quarta com seu filho de 4 anos. O menino foi encontrado sozinho no barco por um velejador, mas estava ileso. Aos investigadores, a criança contou que estava nadando com a mãe quando, de repente, ela sumiu e não retornou à embarcação. As informações teriam sido passadas pelo xerife do local, Eric Buschow.

O elenco de "Glee" começou uma campanha nas redes sociais em busca de mobilização para que Naya Rivera seja encontrada. No seriado de Ryan Murphy, a atriz interpretou a personagem Santana Lopez.


Relator muda texto de MP 927, adia depósito do FGTS e restringe acordos individuais ao período da pandemia

O senador Irajá (PSD-TO), relator da medida provisória (MP) 927, que trata de flexibilizações das leis trabalhistas durante o período da pandemia, aumentou o período em que os empregadores estarão livres de depositar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

O documento foi apresentado nesta quinta-feira e deve ser votado nesta tarde em sessão convocada na noite de ontem pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Na proposta anterior, a suspensão dos depósitos do FGTS era apenas dos meses de abril, maio e junho deste ano. O novo texto prevê a suspensão dos depósitos do ano todo, enquanto durar o estado de calamidade pública. Esses valores serão depositados em 2021, em 12 parcelas mensais e sem a cobrança de atualização monetária, multa ou outros encargos.

“Sabemos que a pandemia está se prolongando mais do que o esperado e três meses de diferimento parecem pouco, dadas a queda na produtividade e os impactos econômicos ainda imprevisíveis. É mais um fôlego para as empresas em dificuldades. Não se trata de uma isenção. Estamos falando de prazos para pagamento e redução de encargos e juros totalmente descabidos em tempos de pandemia”, diz o relatório.

O relator também alterou o trecho que estabelece que o acordo individual entre patrão e empregado terá prevalência sobre as leis trabalhistas e acordos coletivos com o objetivo de preservar empregos durante a crise. Com a nova redação, essa previsão fica restrita ao período de calamidade pública.

Para as profissões que já têm jornadas diferenciadas, como profissionais de saúde, o novo texto propõe que, durante a calamidade pública, as horas adicionais acordadas irão compor a jornada normal de trabalho com acréscimo de 20% na remuneração. Essa mudança é restrita a este ano.

O relatório chegou ao Senado após aprovação na Câmara. Se os senadores decidirem apoiar as mudanças propostas, o projeto deverá voltar para uma nova votação pelos deputados. A Câmara terá até semana que vem para apreciar as alterações para que a MP não caduque.

— Como qualquer mudança de conteúdo, provocaria necessariamente pelo regimento o retorno a Câmara. Por isso é importante votarmos porque o prazo vence dia 18, semana que vem, então a Câmara teria tempo hábil, uma semana, para poder avaliar também, o texto aprovado no Senado e se manifestar diante das alterações — disse o senador.

Adiamento de impostos

O novo texto também adia outros impostos, como o salário-educação e contribuições previdenciárias. Assim como o FGTS, o pagamento poderá ser feito em 12 parcelas após o término do estado de calamidade pública.

O relator também incluiu a possibilidade do empregador que estiver com débitos trabalhistas, poder parcelar esse pagamento em até 60 meses. O valor de cada parcela não pode ser menor que um salário mínimo.

O senador ainda tirou do texto um trecho que possibilitava a suspensão total do pagamento de acordos trabalhistas se as atividades da empresa fossem paralisadas por decisões do poder público. No lugar, as empresas poderão parcelar em até seis vezes o cumprimento de acordos trabalhistas.

“Por outro lado, alinhado à finalidade da lei de manter os empregos, por meio da preservação dos empreendimentos, apresentamos a possibilidade de parcelamento do pagamento dos referidos acordos, de forma a preservar o recebimento de parte das verbas”.

Outras previsões, como o estabelecimento das regras para o teletrabalho e a antecipação de férias não foram modificadas pelo senador e continuam na proposta.


Estudante de medicina veterinária picado por naja no DF acorda do coma

O estudante Pedro Krambeck, de 22 anos, picado por uma naja — cobra que não pertence à fauna brasileira — acordou do coma. Ele fora internado em um hospital no Gama em estado grave. O réptil em questão foi capturado pela PM nesta quarta-feira, mas logo no dia seguinte, outras 16 cobras exóticas relacionadas ao caso foram capturadas.

Uma fonte com conhecimento do estado de saúde do jovem disse que ele já está conversando e agradecendo a todos que trabalharam por sua recuperação.

Segundo o Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), a localização das 16 serpentes foi passada por uma denúncia anônima informando que na área rural de Taquara, em Planaltina, havia diversas outras serpentes escondidas em caixas. A assessoria de imprensa da corporação divulgou imagens destes répteis.

No entanto, a cobra que feriu o estudante de medicina veterinária Pedro Krambeck, de 22 anos, foi localizada nesta quarta-feira, dia 8. Levado para o hospital Maria Auxiliadora, no Gama, ele deu entrada em estado grave, ficando em coma.

A naja não pertence à fauna brasileira, tendo como origem a África e a Ásia. Com isso, a Polícia Civil investiga como ela veio parar no Brasil, e agora também leva em conta algumas das demais serpentes. Nem todas elas são provenientes do país. Um vídeo que mostra estra cobra também foi divulgado:

Estudante de medicina veterinária fica em coma após ser picado por naja no Distrito Federal

Vídeo do Batalhão de Polícia Militar Ambiental mostra a cobra em questão, originária da África e da Ásia. Ela foi localizada na noite de hoje, dia 8. Leia mais:

Inicialmente, os répteis foram levados para a 14ª DP, responsável pelo caso, mas depois serão encaminhados ao Ibama para que seja feito o devido reconhecimento das espécies.

Uma das cobras apreendidas pela PMDFUma das cobras apreendidas pela PMDF Foto: Divulgação / PMDF

Procurado, o hospital afirmou que não foi autorizado pela família do paciente a passar seu boletim médico.

Saiba como foram as buscas pela naja

A Polícia Civil foi acionada por um auditor fiscal do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Ibram-DF) na quarta-feira para auxiliar nas buscas pela cobra venenosa nas proximidades do local do ferimento. A ocorrência segue em apuração pela 14ª DP. Permanece um mistério como a naja apareceu no país.

O major Elias Costa contou que foi empregado "muito empenho" por meio do trabalho de várias equipes. Após colhidas informações com pessoas próximas do estudante, os PMs entraram em contato com um jovem não identificado que tinha conhecimento do lugar onde a cobra estava. Costa explicou que foi necessário convencê-lo a fornecer a localização para as autoridades, pois o animal é perigoso.

A naja foi encontrada no pier 21, uma área escura, atrás de um morro de areia. Ela passa bem e foi levada para um ambiente adequado. Segundo Costa, embora seja conhecida pela agressividade, estava tranquila ao ser capturada pelos PMs.

Não foi encontrado registro do animal

O major disse ainda que não existe antídoto para o veneno da cobra em produção no país, mas havia uma dose no Instituto Butantan, em São Paulo, que forneceu para o jovem.

— Muito provavelmente quem vai passar essa informação (de como a naja chegou ao Brasil) será ele mesmo, quando ficar melhor — afirmou Costa. — Tiramos mais esse animal de circulação do meio ambiente urbano. É uma vitória do nosso batalhão.

Segundo as informações obtidas pelos investigadores, até o momento não foi encontrado registro do animal em nome do estudante nos sistemas do Ibram-DF. Também foi verificado que o jovem manifestava interesse por cobras através de prints tirados de seu antigo perfil no Facebook que, após o incidente, foi apagado.​ O Ibama também ajudou nas buscas desta quarta-feira pelo réptil.

De acordo com o Instituto Butantan, a diferença entre a naja e as cobras encontradas em solo brasileiro consiste em sua parte anterior, que levanta-se e ela abre o capelo, região abaixo da cabeça. A naja possui um desenho na parte posterior, semelhante a um olho, que é para se defender de predadores.


STJ autoriza prisão domiciliar de Fabrício Queiroz e Márcia para 'dispensar as atenções necessárias' ao marido

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio de Noronha, concedeu nesta quinta-feira habeas corpus pedido pela defesa de Fabrício Queiroz e de sua mulher, Márcia Aguiar, que está foragida desde o dia 18 de junho, quando Queiroz foi preso em Atibaia, em São Paulo. Com a decisão de Noronha, os dois vão para prisão domiciliar e serão monitorados por tornozeleira eletrônica. Eles são investigados no caso da “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Ao apresentar o pedido de habeas corpus, o advogado Emílio Catta Pretta argumentou que o cliente é portador de câncer de cólon e corria riscos de saúde devido à pandemia da Covid-19. A condição do ex-assessor foi levada em consideração pelo ministro que, em sua decisão, concedeu a prisão domiciliar à Márcia Aguiar presumindo que sua presença ao lado de Queiroz é necessária para que ele receba as atenções devidas por conta da doença, já que ele estará privado do contato com terceiros — salvo profissionais da saúde e seus advogados.

Esse mesmo pedido já tinha sido feito pelos advogados do ex-assessor logo após a prisão. No entanto, o HC foi negado pela desembargadora Suimei Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ).

A defesa do subtenente aposentado da Polícia Militar solicitou a substituição da prisão preventiva dele, que está preso no Complexo de Gericinó (Bangu 8), na Zona Oeste do Rio.

Como o ministro prevento no STJ para o caso das rachadinhas é Félix Fischer, o ministro João Otávio de Noronha emitiu a decisão em caráter liminar, porque está na titularidade do plantão judicial. O mérito do habeas corpus é de relatoria de Fischer, na Quinta Turma do tribunal.

Noronha considerou que a condição de saúde de Queiroz se enquadra na Recomendação do CNJ que sugere o não recolhimento a presídio no meio da situação extraordinária da pandemia. O ex-assessor, no entanto, deverá indicar o endereço onde cumprirá a prisão domiciliar. O local será fiscalizado pela autoridade policial para confirmar que não há meio de contato exterior.

O ministro ainda determinou que as autoridades policiais terão permissão para acessar o local sempre que necessário e que farão vigilância permanente para impedir a entrada de pessoas não autorizadas. Queiroz e Márcia não poderão ter contato com terceiros — salvo advogados, profissionais da saúde e familiares próximos — nem acesso à telefones, computadores, internet e tablets.

O ministro João Otávio de Noronha já foi elogiado pelo presidente Jair Bolsonaro, que chegou a dizer que sua relação com o presidente do STJ foi como "amor à primeira vista". Durante a posse de André Mendonça no Ministério da Justiça, o presidente chegou a dizer que suas conversas com Noronha ajudam a formar sua opinião sobre o Judiciário.

O ministro Noronha também foi quem derrubou a decisão do Tribunal Federal Regional da 3ª Região (TRF-3) que determinava que o presidente Jair Bolsonaro apresentasse os exames para detecção de Covid-19, o que era recusado por Bolsonaro. O caso chegou até o Supremo Tribunal Federal, e o presidente mostrou os exames negativos antes da decisão.

Em postagem no Instagram, Nathália Queiroz, filha de Fabrício Queiroz, escreveu: "Estou indo te buscar meu pai". Personal trainer, ela também constou como assessora de Flávio e é investigada no procedimento. Ela disse ainda "você (Queiroz) vai ter o abraço de todos os seus filhos que estão cheios de saudades e tanto te amam e sabem o homem incrível que você é". Desde que o pai foi preso, ela tinha postado apenas uma vez com uma imagem de parte dos pertences de Queiroz no dia em que ele foi preso.

Preso em Atibaia

Fabrício Queiroz foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo, em um endereço que é identificado como um escritório de Frederick Wassef, advogado que representava Flávio no procedimento de investigação do MP até o momento da prisão. Depois da repercussão da operação, Wassef deixou o caso.

A ação do MP foi batizada pelos investigadores de "Operação Anjo". Esse nome foi dado por causa do apelido do advogado Frederick Wassef. Ele era chamado de "Anjo" pelo clã bolsonarista na intimidade e por Queiroz e familiares em trocas de mensagens.


Em processo contra tabloide britânico, Johnny Depp nega ter agredido a ex-mulher Amber Heard

Em depoimento na Suprema Corte de Londres  o ator Johnny Depp, de 57 anos, negou ter agredido sua ex-mulher Amber Heard após supostamente ter ficado irritado porque ela zombou dele. No segundo dia do julgamento que o artista move contra o tabloide britânico "The Sun" por difamação, Depp foi questionado pela advogada do jornal sobre um incidente na casa de Heard em março de 2013, quando ele teve uma recaída em relação a bebidas alcoólicas e, então, teria dado um tapa na cara da companheira.

Sasha Wass, a advogada do "The Sun", disse que Depp, que tinha começado a beber novamente depois de meses de sobriedade, ficou com raiva quando Heard riu de uma de suas tatuagens. Ele mudou uma tattoo em que tinha escrito "Winona forever" (Winona para sempre) — uma referência à ex-namorada Winona Ryder — para "Wino forever". Wass afirmou que ele, então, agrediu Heard três vezes.

Em declaração ao tribunal na terça-feira, Depp, de 57 anos, acusou Heard, que também está participando do julgamento, de mentir, dizendo que ela o atacou, cortando seu dedo durante um encontro. O ator da saga "Piratas do Caribe" casou com a artista em 2015 e se divorciou em meio a escândalos em 2017.

"Não é esse o caso, não é verdade. Isso não aconteceu. Não me lembro de nenhuma discussão sobre alguma das minhas tatuagens", afirmou Depp.

Depp está processando a editora do "The Sun", News Group Newspapers, e seu editor executivo, Dan Wootton, por uma matéria que rotulava o ator como "espancador de mulheres", com base nas acusações de Heard. O tabloide afirma que seu relato é verdadeiro e que a atriz, de 34 anos, diz que Depp deu socos, tapas e a chutou durante um ataque de fúria, provocado por raiva e ciúme e alimentado por álcool e drogas, o que a deixou com medo por sua vida.

Durante a audiência, Depp foi interrogado sem descanso pela advogada do NGN sobre seu vício em drogas e álcool. O ator reconheceu ter "sucumbido a seus antigos demônios" em março de 2013, após 160 dias de sobriedade, mas negou ter batido três vezes em Amber Heard, como ela afirma.

"Isso é absolutamente falso. Não bati em Amber", respondeu Depp.

O julgamento começou na terça-feira e deve durar três semanas. Ele contar com testemunhas célebres, por videoconferência, como a cantora e atriz francesa Vanessa Paradis e Winona, que defendem Depp.


Brasil chega a 1,7 milhão de infectados pela Covid-19, aponta consórcio de veículos de imprensa em boletim das 20h

O Brasil chegou a 1.716.196 milhão de infectados pela Covid-19. As secretariais estaduais de saúde reportaram 41.541 novos casos nesta quarta-feira. O país havia atingido a marca de 1,6 milhão de contaminados no último domingo. Foram registradas também 1.187 mortes, elevando o total de óbitos para 68.055. O levantamento foi realizado por um consórcio de veículos de imprensa formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo. O próximo boletim será divulgado às 8h de quinta-feira.

O levantamento mostra que 50% das mortes por Covid-19 confirmadas nas últimas 24 horas ocorreu no Sudeste, região que também concentra 46% dos novos casos confirmados nas últimas 24 horas. Ao analisar o número total de mortes e de casos confirmados, o Sudeste também lidera, representando 46% e 34% respectivamente. Em contrapartida, a região Sul é onde concentra-se a menor porcentagem de mortes e casos, tanto diários quanto no total.

O boletim do Ministério da Saúde aponta 1.713.160 casos confirmados da Covid-19, sendo notificados 44.571 novos casos nesta quarta-feira. As mortes somam 67.964, das quais 1.223 foram registradas nas últimas 24 horas. Desse total, 305 ocorreram nos últimos três dias. Há ainda 4.105 óbitos em investigação.

De acordo com os dados, os estados com os maiores números de casos são: São Paulo (341.365), Ceará (128.471), Rio de Janeiro (126.329), Pará (118.744) e Maranhão (92.939).

Já os estados com o maior número de mortes são: São Paulo (16.788), Rio de Janeiro (10.970), Ceará (6.665), Pará (5.169) e Pernambuco (5.323).

Quase um milhão de pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus no Brasil em um mês

A epidemia da Covid-19 parece longe de estar sob controle no Brasil, com taxa de contágio em alta na última semana. O coronavírus aterrissou oficialmente no Brasil em fevereiro, chegou aos 100 mil casos em maio, atingiu 1,6 milhão no último domingo, e os cientistas ainda têm dificuldades para saber quando o número galopante de contágios será freado.

Hoje, um consórcio de veículos de imprensa criado para apurar notificações diárias da pandemia completa um mês de existência. No primeiro dia de levantamento, o Brasil tinha 742.084 infectados e 38.497 mortes. Nesse período, o número de casos de coronavírus no país aumentou 142% e o de mortes, 83%.

Prefeitos de cidades grandes e médias reclamam de repasses do Ministério da Saúde

Prefeitos de cidades grandes e médias reclamam dos critérios usados pelo Ministério da Saúde para repassar R$ 13,8 bilhões aos municípios no combate ao novo coronavírus. Em reunião com o ministro interino Eduardo Pazuello, eles argumentaram que as cidades maiores arcam com o tratamento não apenas de seus residentes, mas também dos moradores dos locais menores. Ainda assim, os municípios de pequeno porte estão recebendo proporcionalmente mais do que os maiores. Os prefeitos não chegaram a defender uma revisão dos critérios, mas saíram com a promessa de que, nos próximos dias, vão receber 50% do valor que lhes cabe.

Os argumentos técnicos do Ministério da Saúde para agraciar as cidades pequenas são a interiorização da doença e o foco na saúde básica. Os procedimentos de média e alta complexidade estão concentrados nas cidades maiores. Já os prefeitos dos grandes centros argumentam que, embora haja uma tendência de interiorização da doença, o mesmo não pode ser dito sobre o tratamento dos pacientes.

Falta de notificação de Covid-19 em asilos ameaça idosos

Um mapeamento inédito feito pelo Ministério Público estadual do Rio de Janeiro, concluído na última terça-feira, revela que em 87 Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), nome oficial das casas de cuidados para pessoas mais velhas, desde o inicio da pandemia, ocorreram 1.115 casos — sendo 759 idosos e 356 profissionais — e 105 mortes de internos por conta da Covid-19. Na capital, há asilos com 100% de idosos e profissionais com Covid-19.

Outras 176 instituições que deixaram de notificar casos começaram a ser fiscalizadas pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio. O quadro é similar em outros estados do país, com surtos entre idosos registrados nos estados de São Paulo e Paraná. Em Londrina, o MP determinou a abertura de um inquérito policial para apurar se hove negligência na morte de oito idosos.

O confinamento em um único local, a dificuldade de isolar infectados e a fragilidade da saúde dos moradores tornaram os asilos — que abrigam um dos grupos mais vulneráveis ao novo coronavírus — lugares propícios à contaminação por Covid-19 país afora, exatamente como aconteceu nos EUA e na Europa.


Ministros que estiveram com Bolsonaro têm resultado negativo para Covid-19

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, uma das dezenas de pessoas que estiveram na agenda oficial do presidente Jair Bolsonaro nos últimos dias, apresentou resultado negativo para o exame de Covid-19, segundo informou a assessoria de comunicação da pasta. Ele fez o teste do tipo RT-PCR para detectar possível presença do novo coronavírus.

Desde que Bolsonaro disse estar com suspeita de ter contraído a doença, na noite de segunda-feira, diversos interlocutores do presidente já fizeram exames para identificar se estão com a Covid-19. O resultado positivo do teste de Bolsonaro foi divulgado pelo próprio no início da tarde de terça, em entrevista no Palácio da Alvorada.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, que esteve com Bolsonaro no churrasco de sábado na Embaixada dos Estados Unidos também passou por exame do tipo RT-PCR, mas ainda aguarda o resultado. Ele mantém a agenda no gabinete, mas, segundo aliados, está tomando “cuidados redobrados”. No gabinete, o ministro está usando máscara, fazendo videoconferências e mantendo distanciamento dos funcionários, dizem aliados.

Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), que viajou para Santa Catarina com Bolsonaro, fez os exames tipo PCR e sorológico e ambos deram resultado negativos. Já Fabio Faria, ministro das Comunicações, também realizou o teste rápido, que teve resultado negativo, e aguarda a reposta do exame tipo PCR. Já os ministros Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) fizeram o exame rápido e, após resultado negativo, mantiveram suas agendas normalmente no Palácio do Planalto.

O deputado federal Major Vítor Hugo (PSL-GO), que também esteve com o presidente, informou pelo Twitter que fez diferentes testes (IgG/IgM e o rápido) e ambos apresentaram resultado negativo. "Seguiremos em frente! Força!", escreveu o parlamentar, que é líder do governo na Câmara.


CPI das Fake News quer investigar conteúdo de contas derrubadas por Facebook

A CPI das Fake News vai investigar se a rede de 88 contas, páginas e grupos ligados a funcionários dos gabinetes do presidente Jair Bolsonaro e aliados derrubda pelo Facebook nesta quarta-feira foi usada para disseminar conteúdo criminoso. O presidente do colegiado, Angelo Coronel (PSD-BA), quer acesso às mensagens dessa rede.

— Não vamos fazer um pré-julgamento. As contas foram retiradas do ar por serem consideradas inautênticas. Agora, é importante ter acesso ao conteúdo para investigar se elas disseminaram mensagens difamatórias — diz o senador.

Entre os perfis derrubados, estão contas ligadas a funcionários dos gabinetes do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e dos deputados estaduais Alana Passos e Anderson Moraes, ambos do PSL no Rio de Janeiro. Para o Facebook, o conjunto removido agia para enganar sistematicamente o público, sem informar a verdadeira identidade dos administradores, desde as eleições de 2018.

A mensagem divulgada pela plataforma afirma que a investigação sucedeu reportagens nas quais foi relatada a existência de uma estrutura virtual montada por bolsonaristas — chamada por opositores “Gabinete do Ódio” — e depoimentos sobre o tema colhidos no Congresso durante a CPI das Fake News.

O acesso ao conteúdo dessas contas derrubadas vai ser pedido por Coronel via CPI das Fake News. Os trabalhos do colegiado estão suspensos em função da pandemia do coronavírus. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), acolheu pedido de Angelo Coronel para que o prazo de trabalho da comissão não seja contado enquanto o Congresso não consegue se reunir presencialmente. Apenas sessões plenárias têm ocorrido de forma remota.

Assim, eventuais requerimentos sobre a decisão do Facebook devem ser analisados no retorno dos trabalhos da CPI.

Para Angelo Coronel, a decisão do Facebook está em "consonância" com a proposta que pretende combater fake news aprovada pelo Senado há duas semanas. O texto está na Câmara agora:

— Pela proposta, a retirada de contas falsas fica por conta das plataformas. O Facebook agiu dentro do que aprovamos no Senado. Espero que se aprove na Câmara também e que as outras plataformas consigam meios para descobrir o autor de contas falsas e de depreciações.

Relatora da CPI das Fake News, a deputada Lídice da Mata (PSB-BA) diz que a eliminação das contas "não chega a causar espanto para nós que temos trabalhado na CPI das Fake News desde o ano passado".

"Nossas investigações sempre apontaram para uma rede de desinformação que pode sim ter influenciado o pleito eleitoral de 2018 e que continua atuante com fortes suspeitas de amplo apoio da família Bolsonaro. Neste momento, entendemos que as plataformas se juntam a todos aqueles e aquelas que lutam por liberdade de expressão, mas também por responsabilidade nas redes e pelo combate à desinformação e contra qualquer prática de discursos caluniosos e que espalham o ódio por todo o nosso país”, disse, em nota.


Tarifas de energia devem subir, em média, entre 6% e 7% este ano, diz consultoria

As tarifas de energia elétrica podem subir, em média entre 6% e 7% durante o segundo semestre de 2020, de acordo com estimativas feitas pela Thymos Energia. Segundo o presidente da consultoria, João Carlos Mello, antes do surgimento da pandemia de covid-19, as projeções indicavam possíveis quedas nos reajustes tarifários este ano.

O especialista, no entanto, destaca que, se não tivesse sido criada a “Conta Covid”, linha de apoio ao setor, os reajustes poderiam ser, em média, até 3% maiores do que já deverão ser este ano.

De acordo com a Thymos, a adoção da Conta Covid mitiga a maioria dos efeitos, mas ainda haverá pressão sobre as tarifas. Além disso, a alta do dólar também impacta nos reajustes das distribuidoras. A moeda eleva o custo da energia proveniente da hidrelétrica de Itaipu, responsável por mais de 11% da energia consumida no Brasil.

A Thymos ainda estima aumentos quase similares em 2021 e reajustes mais brandos de 2022 em diante. Para obter os resultados, a consultoria considerou o banco de dados das 18 principais distribuidoras do país.

 

(Esta reportagem foi publicada originalmente no Valor PRO, serviço de informações e notícias em tempo real do Valor Econômico).