Com quase 80% de todo o mapeamento do Município concluído, Araguaína avança no trabalho de alimentação das informações do SIGA (Sistema de Informações Geográficas de Araguaína).

A nova plataforma digital permite que a população tenha acesso a diversas informações da cidade com imagens em alta resolução, além de integrar ações da prefeitura.

“A proposta dessa ferramenta é permitir que qualquer morador da cidade tenha acesso a informações sobre Araguaína, como planejamento urbano, escolas mais próximas, ciclovias e unidades de saúde”, explicou o secretário de Tecnologia, Ciência e Inovação, Fabiano Souza.

O município conta atualmente com 44.683 edificações e 60.750 lotes. Com o mapeamento, é possível acessar detalhes precisos dos imóveis, além de traçar estratégias mais precisas para ações das secretarias voltadas à população.

Saúde e Educação

Entre as funcionalidades do SIGA está o auxílio durante as atividades da Atenção Básica do Município, com a elaboração de estratégias para o Programa Saúde da Família executadas pelos agentes comunitários de saúde.

Outra funcionalidade está relacionada ao controle de endemias e epidemias, acompanhando os dados de doenças transmissíveis, como dengue e zika, e ainda as condições de saneamento de cada região da cidade.

Com o georreferenciamento também será possível realizar o gerenciamento dos estudantes das escolas públicas municipais, incluindo as escolas da zona rural, otimizando os processos de matrícula escolar, distribuição de vagas considerando aspectos de proximidade (domicílio/escola), distribuição espacial das escolas e creches e a identificação de déficits em cada unidade.

Meio ambiente

As imagens de satélite feitas com sensores lasers em toda área urbana também fornecem informações para a Defesa Civil, possibilitando o levantamento do relevo da cidade e identificação de pontos vulneráveis, evitando futuros alagamentos.

As 1.400 imagens capturadas a uma altura de 900 metros do chão, com resolução de 10 centímetros por pixel, também são capazes auxiliar no controle da emissão de poluentes pelas indústrias e dos recursos hídricos, como nascentes e córregos, combatendo assim a poluição do meio ambiente.

Desenvolvimento urbano

O trabalho de georreferenciamento também está sendo utilizado para a atualização cadastral dos imóveis, considerando a valorização ou desvalorização da área construída.

“A ferramenta torna a cobrança do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) ainda mais precisa, garantindo uma tributação justa, evitando aumentos de alíquotas. Essas informações também já nos permitiram buscar recursos e realizar projetos mais precisos, se tornando muito importante para o crescimento de Araguaína”, afirmou o prefeito Wagner Rodrigues.