O novo decreto que permite a retomada de eventos com até 300 pessoas em Araguaína também revogou medidas anteriores que estavam em vigor durante a pandemia. Entre os estabelecimento que vão poder reabrir estão os cinemas, que ficaram fechados na cidade desde março. Não houve determinação ainda de regras específicas para a reabertura deste tipo de local.

A Prefeitura de Araguaína confirmou que a nova regra vale para as salas de cinema. As principal rede que atua na cidade informou que está programas as datas de reabertura e que isso pode acontecer no próximo fim de semana.

Apesar de não ter regras específicas, os cinemas terão que aderir as mesmas medidas preventivas que valem em outros estabelecimentos. Entre as regras está o distanciamento social mínimo de um metro e meio entre as pessoas e o uso obrigatório de máscaras. Durante as sessões é provável que haja cadeiras interditadas de forma intercalada, para que a distância possa ser respeitada. A prática vem sendo adotada em vários outros ambientes.

Em agosto um cinema da cidade chegou a anunciar que reabriria, mas a prefeitura negou a autorização e os administradores tiveram que recuar.

Além dos cinemas, eventos como shows, apresentações culturais, festas, confraternizações, comícios, reuniões político-partidárias poderão ocorrer até em espaços fechados desde que haja controle de acesso, distanciamento e uso de máscara. A cidade é a segunda mais afeada pela pandemia no Tocantins e já soma 15.477 casos e 219 mortes.

Nos locais a capacidade máxima deve ser de uma pessoa a cada dois metros quadrados da área destinada ao público e em hipótese nenhuma pode ter mais de 300 pessoas. O documento afirma que “o evento deverá ser licenciado pelo Departamento Municipal de Posturas, cuja solicitação deverá ocorrer com antecedência mínima de cinco dias úteis”.

Continua proibido o consumo de bebidas alcoólicas em qualquer local público da cidade.

Conforme o documento, a fiscalização na cidade será feita pela vigilância epidemiológica, fiscalização ambiental, fiscalização de posturas, fiscalização sanitária, fiscalização fazendária e agentes de trânsito com apoio das polícias militar, civil, ambiental, federal, rodoviária e bombeiros.

As pessoas que forem flagradas desrespeitando regras e cometendo infrações podem ser multados e até responder por crime contra a ordem e saúde pública. Em caso de reincidência, o estabelecimento multado será interditado.

Por  G1 Tocantins.