A prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), solicitou em ofício nessa quinta-feira, 13, ao governador Wanderlei Barbosa (sem partido), que o Estado reative os leitos clínicos para pacientes suspeitos ou confirmados para Covid-19 na Capital. Cinthia já havia anunciado, na terça-feira, 11, que faria o pedido, com base em recomendação do COE-Covid-19 Palmas, diante do aumento expressivo de casos da doença na cidade nas últimas semanas.

Palmas paga e Estado administra

 No ofício, a prefeita destaca que a Prefeitura de Palmas mantém a contratualização de 20 leitos de UTI, credenciados na rede privada de hospitais, habilitados pelo Ministério da Saúde e regulados pela Secretaria Estadual da Saúde. Isto quer dizer que os leitos são pagos parte com verba federal e parte com recursos próprios do município, mas é o governo do Estado que administra a ocupação desses leitos, ou seja, eles não atendem exclusivamente pacientes da Capital.

Pacientes levados para o interior

 Segundo a prefeita, com a desativação dos leitos clínicos e de UTI, tanto do Hospital Geral de Palmas (HGP) quanto do Hospital de Campanha, ambos sob gestão estadual, hoje “o município de Palmas e região não têm leitos de internação clínica para pacientes Covid-19, sendo que os pacientes estão sendo referenciados para cidades do interior”.

Insuficiência de leitos

 Cinthia lembra, também, que a maior parte das ações e serviços de saúde tem sido executada pelo Município no cenário epidemiológico de enfrentamento da pandemia, incluindo desde ações de vigilância em saúde até a contratualização de leitos de UTI, para complementar a oferta existente. “Esta ampliação também se fundamenta pela insuficiência de leitos disponíveis localizados em Palmas, uma vez que os leitos públicos existentes também são referência para os demais municípios do Estado”, ressalta.

Estreitar a parceria

 A prefeita avalia que a reativação dos leitos clínicos pelo governo do Estado visa garantir atendimento aos pacientes de Palmas e demais municípios referenciados. “A fim de estreitar a parceria no enfrentamento à Covid-19”, diz Cinthia.