Com quedas consistentes nos números de novos casos e mortes pelo coronavírus, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, confirmou novas flexibilizações das medidas restritivas de combate à pandemia. A medida vale para a Inglaterra, que tem zerado as mortes por Covid-19 (leia mais no fim da reportagem).

A partir de 17 de maio, próxima segunda-feira, as partes internas de bares e restaurantes poderão ficar abertas ao público. Cinemas e hotéis também reabrem. Simbolicamente, o abraço também fica permitido.

Outras medidas anunciadas são:

Permissão para seis pessoas de casas diferentes se reunirem em espaços fechados OU mais de seis pessoas se forem de apenas duas casas diferentes

Limite para aglomerações ao ar livre passa para 30 pessoas

Esportes e jogos em grupo ficam permitidos

Estudantes não precisam usar máscaras nas aulas.

Essas medidas valem para a Inglaterra, mas os outros países integrantes do Reino Unido — Escócia, Gales e Irlanda do Norte — também estão avançando na reabertura.

Quedas em novos casos e mortes

A Inglaterra, a Escócia e a Irlanda do Norte atingiram nesta segunda-feira o marco de nenhuma morte dentro do prazo de 28 dias desde um teste positivo para a Covid-19. É a primeira vez que isso acontece desde 30 de julho. O País de Gales, porém, confirmou quatro óbitos pela doença.

Embora autoridades médicas britânicas admitam que o número de mortes permanecer zerado por muito tempo seja improvável, os especialistas comemoram os dados desta segunda como um claro resultado positivo da vacinação e dos confinamentos impostos no último pico do coronavírus.

Estima-se que mais da metade dos britânicos tenham recebido ao menos uma dose das vacinas — 53% do total. Considerando a segunda dose, mais de 25% da população britânica está imunizada.

O país inclusive tem testado a retomada de grandes eventos — por enquanto, ainda como experiência