Com as progressões em atraso desde 2016, o Sindicato dos Servidores Públicos de Palmas (Sisemp) resolveu organizar uma manifestação na quinta-feira, 20, em frente à prefeitura, a partir das 8 horas. O protesto no Dia do Servidor Público tem por objetivo chamar a atenção do Poder Público para que um canal de negociação seja aberto. Segundo a entidade, tal pendência tem prejudicado a qualidade de vida do funcionalismo do município.

De acordo com o sindicato, estão em atraso, além das evoluções horizontais e verticais, as gratificações de escolaridade e titularidade. “São os servidores de carreira que garantem a continuidade de políticas e serviços públicos. A progressão é o reconhecimento pela dedicação ao trabalho, bem como a única forma de melhoria salarial, uma vez que a data-base apenas repõe as perdas inflacionárias”, defende o presidente do Sisemp, Heguel Albuquerque.

“A proposta do Sisemp é de que a prefeitura comece a enquadrar os servidores, na tabela para qual progrediu, o que já evita mais acúmulo da dívida, e que, a partir de então, seja planejada uma estratégia para o pagamento do retroativo dos três anos anteriores”, defende o presidente da entidade, Heguel Albuquerque.  O sindicato afirma que já solicitou por acesso aos cálculos para previsão de pagamento, mas estes ainda não teriam sido apresentados pelo Paço.

Sisemp explica as perdas

Segundos dados do Sisemp, um servidor de nível médio do Quadro Geral, que em 2016 estava da categoria “IID” da tabela, com progressão para a folha de pagamento de agosto, teria o salário saindo de R$ 1.635,39 para 1.684,45 em setembro daquele ano, tendo só em 2016 uma perda salarial de R$ 196,24.

Em 2017, com a data-base, o salário subiu para R$ 1.743,00 quando deveria ser para R$ 1.795,29, e com progressão horizontal – em setembro – de o vencimento deveria chegar  os R$ 1.849,15. A entidade aponta perdas de R$ 820,31 no ano passado.

Já em 2018, com a revisão geral anual, o salário subiu de R$ 1.743,00 para R$ 1.779,00, quando deveria ser para R$ 1.887,43 e, com a progressão em setembro, o vencimento já deveria somar R$ 1.994,06.

Somando as perdas dos três anos, o Sisemp argumenta que este servidor já tem a receber, sem correção monetária, o valor de R$ 2.540,96.

(Com informações da Ascom Sisemp)