Em tempos de pandemia e distanciamento social, o Hemocentro do Estado do Tocantins, o Hemoto, registrou queda de 20% nas doações de sangue. O estado está com baixo estoque de sangue das tipagens negativas e também procura mais doadores de medula óssea. Para mobilizar e captar mais doadores em toda a hemorrede, o estado aderiu a estratégias de divulgação. É o que aponta a superintendente da instituição, a médica Pollyana Gomes de Souza.

“A captação de doadores trabalha de forma bem aguerrida para poder manter um estoque regular que atenda às solicitações e fazer toda a cobertura transfusional sem que haja nenhum tipo de prejuízo. Mas mesmo trabalhando todas as estratégias, é de fundamental importância a manutenção dos estoques de sangue para que atenda a população de forma satisfatória”, explicou.

A hemorrede do Hemoto possui dois hemocentros, três unidades de coleta e um núcleo de hemoterapia. O hemocentro coordenador está localizado em Palmas, região do Porto Nacional, que abrange outros nove municípios, como Ipueiras, Lajeado e Monte do Carmo.

Além da doação de sangue, a instituição também realiza cadastro voluntário para doação de medula óssea no hemocentro coordenador em Palmas, no hemocentro regional em Araguaína e núcleo de hemoterapia de Gurupi. Para os interessados em participar da campanha de doação, é preciso ir à unidade mais próxima, fazer uma pequena coleta de sangue para verificar o tipo sanguíneo e a provável compatibilidade com algum paciente.

Logo depois, o cadastro é repassado para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), do Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão nacional responsável pelo gerenciamento das informações do doador e do paciente. Caso haja compatibilidade, o Redome entrará em contato com o doador para retirada das células.

Coordenação estadual

Em Tocantins existem dois hemocentros, três unidades de coleta e um núcleo de hemoterapia. A unidade sede do Hemoto está localizada em Palmas, na rua 301 Norte, próximo ao Departamento Estadual de Trânsito do Tocantins (Detran-TO). Segundo a superintendente da instituição, médica Pollyana Gomes de Souza, o hemocentro coordenador auxilia grande parte da demanda oncológica da região de Porto Nacional.

“A hemorrede do Tocantins possui liberdade de coleta nas cidades. Temos hemocentros em Palmas e Araguaína, um núcleo de hemoterapia em Gurupi e unidades de coleta em Porto Nacional e Augustinópolis, todas estrategicamente disponíveis em localidades que atendem às demandas e às necessidades do nosso estado”, explicou.

Interessados em doar medula óssea, devem fazer cadastro prévio pelo telefone (63) 3223-1100.

Hemocentro regional

Além dos hemocentros na capital e em Araguaína, Tocantins tem unidades de coleta, que estão localizadas em Augustinópolis, Porto Nacional e Gurupi. Procure a que estiver mais próxima de sua região e faça a sua doação de sangue.

O hemocentro regional de Araguaína, localizado na rua 13 de maio, número 1336, próximo ao Hospital Regional de Araguaína, atende as doações da região Ocidental do Tocantins, que abrange outros 16 municípios, como Colinas do Tocantins, Filadélfia, Muricilândia, Nova Olinda e Palmeirante. O telefone do hemocentro é (63) 3411-2915.

Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades de coleta e do núcleo de hemoterapia, veja o mapa abaixo.

Braço solidário

As estratégias de divulgação do Hemoto conseguiram mobilizar muitos doadores, mas a doação regular é fundamental para manter a qualidade nos estoques do estado. Foi assim que Leonel dos Santos, morador do bairro 305 norte, em Palmas, se tornou um doador de sangue e medula óssea. O servidor público, de 62 anos, acredita que a doação representa um ato de amor ao próximo.

“É algo que não tem preço: ajudar o próximo. Tanto o sangue como a medula não se encontram na prateleira de uma farmácia, não se encontram na prateleira do almoxarifado no hospital. Temos que ajudar o próximo. Tudo o que fazemos ecoa na eternidade. Faça alguma coisa hoje, porque o seu ‘eu’ do futuro vai lhe agradecer.”

Doação de sangue

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, garante que doar sangue e medula óssea é um ato de amor que pode salvar muitas vidas, “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”, afirmou.

E quem vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue?

Após a vacinação, é preciso aguardar um período para poder doar sangue e medula, de acordo com o tipo de vacina, conforme.

Onde doar sangue e medula óssea em Tocantins

Em Tocantins existem dois hemocentros, três unidades de coleta e um núcleo de hemoterapia. Procure o Hemoto mais próximo de sua região e faça a sua doação de sangue e medula óssea. Agende a sua doação pelo número (63) 3218-3232 ou final 3292. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades, veja o mapa abaixo. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto.

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, disque (63) 3223-1100.

Por Brasil 61