Os comerciantes dos quiosques que ficam em avenidas e praças de Palmas podem perder os alvarás de funcionamento caso não façam reformas para adaptar os locais ao novo modelo proposto pela prefeitura. O objetivo é padronizar o projeto arquitetônico dos quiosques e impedir o uso de tendas pelos comerciantes. O prazo para fazer as adequações termina em 180 dias e a documentação precisa ser apresentada até o dia 31 de janeiro.

Os recursos para fazer as obras saem do bolso dos próprios comerciantes. A associação que representa a categoria diz que o investimento obrigatório é uma preocupação, por causa do pouco movimento em alguns dos restaurantes.

“Existem algumas pessoas que estão contrárias devido ao prazo ser muito curto e o ônus em si. No momento que nós estamos passando, todo mundo sem dinheiro, comércio em baixa. É desconfortável para a gente mexer com investimento neste momento”, diz o presidente da associação, José Varão.

Para evitar dor de cabeça, alguns comerciantes já começaram a fazer as mudanças. “Tivemos essa ampliação de cobertura para atender mais clientes na área coberta. A cozinha, o depósito aumentou mais o espaço também. Aumentou o espaço dos banheiros, para deficientes”, explica Hélnon Gomes, que administra um quiosque na quadra 104 Norte.

Como os quiosques pertencem ao município e os comerciantes apenas recebem uma permissão para o uso, quem não fizer as reformas pode ser obrigado a deixar os imóveis.