O número de mortes decorrentes do novo coronavírus chegou a 20 mil na quinta-feira, com 1.188 novos óbitos registrados nas últimas 24 horas. O país também ultrapassou a marca de 300 mil infectados nesta noite, com a notificação de 18.508 novos casos, segundo o Ministério da Saúde. Com isso, o Brasil chega a 310.087 casos e 20.047 mortes até o momento.

O número de mortes registradas de ontem para hoje é mais um recorde da doença no país, superando o informado na terça-feira, quando 1.179 novas mortes foram incluidas no sistema, mas que podem ter ocorrido em dias anteriores.

São Paulo continua como estado com mais casos da doença: são 73.739 até o momento. Em seguida vem Rio de Janeiro (32.089), Ceará (31.413), Amazonas (25.367) e Pernambuco (23.911).

Em relação às mortes, São Paulo também lidera os números, com 5.558 óbitos. Depois vem Rio de Janeiro (3.412), Ceará (2.161), Pernambuco (1.925) e Pará (1.852), que ultrapassou Amazonas (1.620).

Mais cedo, o secretário-executivo substituto do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, disse que não é possível falar se o Brasil já atingiu o “pico” da doença. Ele argumentou que, na medida em que ainda há um grande volume de exames sendo processados, seria prematuro fazer qualquer afirmação neste sentido.

– Começamos a perceber que em alguns estados do Norte e Nordeste há uma estabilização nos números, mas em relçaão ao Brasil como um todo, ainda é prematuro – afirmou Macário.

Ao comentar dados de um gráfico que mostrava a diferença entre as mortes efetivamente ocorridas em um dia e aquelas que eram apenas registradas naquele dia, Macário disse que os números poderiam dar uma “falsa impressão” de que as mortes estariam diminuindo, mas ele fez questão de dizer que a curva de óbitos no país está em “desenvolvimento”.

– A princípio, (olhar os dados no gráfico) dá essa falsa impressão de que os óbitos estão diminuindo nas últimas semanas, mas na medida em que as invesrtigações são concluídas, boa parte dessas investigações são referentes a semanas anteriores. É uma curva ainda em desenvolvimento – afirmou.

Ainda de acordo com o balanço do Ministério da Saúde, o Brasil tem 164.080 pacientes em acompanhamento e 125.960 recuperados.