O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), segue internado para tratamento de novos focos de câncer e ainda não tem previsão de alta. A informação foi divulgada pelos médicos em boletim na tarde desta terça-feira.

Covas foi internado na última quinta-feira (15) para a realização de exames de controle, que descobriram os novos tumores no fígado e nos ossos. Desde então, o prefeito se submeteu a novas sessões de quimioterapia e imunoterapia.

Os médicos disseram ainda que Covas está “tolerando bem a medicação” e que “seu quadro é estável”.

O prefeito agradeceu o apoio nas redes sociais. Ele afirmou que “a luta continua e o trabalho não pode parar”. E acrescentou: “O apoio e o carinho que recebo todos os dias me dão cada vez mais força. Seguirei como sempre: de cabeça erguida e cumprindo, junto com minha equipe, nossos compromissos com São Paulo”, concluiu o prefeito.

Covas está em tratamento desde 2019 para conter a doença, descoberta inicialmente na transição entre esôfago e estômago, mas sofreu metástase e se espalhou para o fígado e gânglios linfáticos. No entanto, sua doença chegou a ser controlada no ano passado, quando conseguiu conciliar a campanha eleitoral com o tratamento.

Mais recentemente, porém, a situação mudou. Em 18 de fevereiro, os médicos que tratam Covas haviam relatado que a doença “ganhou terreno”. Segundo os profissionais, o nódulo no fígado de prefeito, diagnosticado em outubro de 2019, tinha 2 centímetros, mas regrediu por meio de sessões de quimioterapia.

Um novo nódulo, porém, foi notado em fevereiro deste ano em outro ponto do fígado e com alguns milímetros. Segundo os médicos, o fato de ser de um tamanho pequeno auxilia o tratamento.

Na ocasião, o oncologista Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, explicou que o nódulo apareceu em um exame de rotina e disse que não muda “o status da doença”.

Além de Pfiffer, Covas está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas por David Uip, Artur Katz e por Roberto Kalil Filho.