A Pfizer e a parceira BioNTech disseram que assinaram um acordo com a Eurofarma Laboratorios SA do Brasil para fabricar sua vacina contra a Covid-19 para distribuição na América Latina. A empresa brasileira começará a fabricar as doses prontas a partir de 2022. O acordo não cobre o complicado processo de produção de mRNA da substância medicamentosa que será feito nas instalações da Pfizer e da BioNTech nos Estados Unidos.

Espera-se que a Eurofarma produza mais de 100 milhões de doses acabadas anualmente em plena capacidade operacional, disseram a Pfizer e a BioNTech.

“Em um momento tão difícil como este, poder compartilhar essa notícia nos enche de orgulho e esperança. A Eurofarma está prestes a completar 50 anos e a assinatura dessa colaboração na produção da vacina contra a covid-19 representa mais um marco em nossa trajetória. Estamos disponibilizando nossos melhores recursos em capacidade industrial, tecnologia e qualidade para este projeto, para que possamos cumprir o contrato com excelência e contribuir com o abastecimento do mercado latino-americano ”, disse Maurizio Billi, presidente da Eurofarma, em um comunicado.

A Pfizer e a BioNTech já produziram 1,3 bilhão de doses de sua vacina de duas doses em todo o mundo e pretendem entregar 3 bilhões até o final deste ano.

Em nota divulgada pela empresa, o CEO da Pfizer, Albert Bourla afirmou que todos – independentemente da condição financeira, etnia, religião ou geografia — merecem acesso às vacinas contra a COVID-19 que salvam vidas

Esta será a terceira vacina com processos de fabricação em território nacional. A Coronavac, da farmacêutica chinesa Sinovac, tem atualmente suas partes finais de produção no Instituto Butantan, em São Paulo. Já a vacina da AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, terá suas doses totalmente produzas no Brasil pela Fiocruz, no Rio de Janeiro, nos próximos meses.