O réveillon na França será celebrado sob forte dispositivo policial para dissuadir festas que poderiam aumentar as contaminações por Covid-19. A polícia também poderia intervir em reuniões privadas em casas e apartamentos, caso receba denúncias de vizinhos.

O governo francês também anunciou a ampliação do toque de recolher noturno nas regiões francesas mais atingidas pela pandemia.

O ministro do interior Gérald Darmanin anunciou que 100 mil policiais serão excepcionalmente mobilizados, a partir da quarta-feira (30), para impedir reuniões e festas de celebração do Ano Novo não autorizadas e para lutar contra a violência urbana.

O dispositivo visa garantir a aplicação do toque de recolher das 20h às 6 da manhã, aplicado em toda a França desde 15 de dezembro.

A ação será concentrada no centro das cidades e em bairros e zonas sensíveis, mais sujeitos “a este tipo de fenômenos”, escreve Darmanin em comunicado aos superintendentes da polícia.

Portarias para proibir a venda de combustíveis e de álcool também poderiam ser aplicadas, assim como operações de controle e de sensibilização junto aos revendedores de fogos de artifício. A polícia também poderá realizar controles de identidade e busca e apreensão de veículos e objetos que poderiam ser utilizados contra os agentes de segurança.

O ministério do Interior também estuda a possibilidade de fechar todos ou parte dos transportes públicos a partir das 20h no dia 31 de dezembro. A polícia também poderá intervir em festas clandestinas e multar participantes e organizadores.

Ainda que o governo não possa proibir celebrações em lugares privados, recomenda que o número de convidados não ultrapasse seis. Os agentes poderão intervir se esses eventos forem denunciados por barulho, pelos vizinhos.

Um decreto de 29 de outubro deste ano estabelece que a distância física de pelo menos um metro entre duas pessoas deve ser respeitada em todos os lugares e circunstâncias.

A forte vigilância não dissuadiu os franceses de festejar o fim de 2020. Já circulam na internet convites para festas clandestinas de Ano Novo, onde os organizadores informam como as pessoas devem agir em caso de intervenção policial.

Confinamento noturno prolongado

O toque de recolher deve ser ampliado em duas horas e deve começar às 18h em grande parte da região Leste da França, onde a situação sanitária se agravou nos últimos dias. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde Olivier Véran em entrevista ao canal público de tevê francês France 2. “Estas medidas serão aplicadas a partir de 2 de janeiro”.

A situação é mais “problemática” segundo o ministro em quatro regiões (Grande Leste, Borgonha Franche-Comté, Auvergne-Rhône-Alpes e no departamento dos Alpes Marítimos) e 20 departamentos. A medida foi decidida durante o conselho de Defesa convocado pelo presidente Emmanuel Macron na terça-feira (29) e deve ser aplicada em conjunto com os prefeitos e agências regionais de Saúde.

Representantes de regiões e prefeitos criticaram a decisão que será aplicada muito tarde, segundo eles. Outros reclamaram da lentidão da vacinação, pediram maiores controles das fronteiras com outros países e até mesmo um lockdown localizado de apenas alguns dias para controlar a situação.