Pacientes chegando a todo momento, profissionais estafados, clima de apreensão e luto. Assim é o turno da noite do Royal London Hospital em meio a pandemia de coronavírus, e certamente em grande parte dos países fortemente atingidos pela doença.

“Nunca pensei que seria possível ter tantos pacientes em UTI”, conta a enfermeira Carleen Kelly.

Em outro momento, Martin Freeborn, entrevistado logo após perder a mulher para a doença, faz um pedido: “As pessoas têm que realmente se proteger. Não terminem como a gente, por favor.”

o repórter Clive Myrie, da BBC, passou  uma noite na UTI de um hospital em Londres e mostrou  o pesadelo da segunda onda de Covid-19.