O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), ironizou a juíza da 3ª Vara de Fazenda Pública, Mirela Erbisti. A magistrada decidiu fechar a Avenida Niemeyer, na Zona Sul da capital fluminense, após um deslizamento de terra matar duas pessoas, e Crivella criticou a decisão dela. As informações são do jornal O Dia.

“A juíza tem seus 40 anos e é muito bonita, tem uma beleza de parar o trânsito, mas não precisa praticar, né, pessoal? Já passaram 100 dias. Pergunto: caiu alguma coisa? Interessante, né? Porque é difícil achar mulher teimosa. Isso é raro, né, gente? Normalmente, elas concordam”, disse, durante um evento em Santa Cruz, Zona Oeste da cidade.

Fechada desde 28 de maio, a Avenida Niemeyer liga os bairros de São Conrado e Leblon. A Justiça atendeu ao pedido do Ministério Público, que alegou risco para motoristas. Diariamente, circulam na avenida em média 36 mil veículos pela via.

Contrário à decisão da Justiça, Crivella entregou, em 27 de agosto, um laudo no qual reafirma que a Avenida Niemeyer tem condições de segurança necessárias para ser reaberta. Isso porque o desembargador Mauro Pereira Martins, da 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, junto a peritos judiciais e técnicos avaliaram as condições da encosta, no trecho onde houve o deslizamento.

A vistoria durou cerca de uma hora. Ao término da inspeção, o desembargador deu prazo de 72 horas, após a vistoria, para a prefeitura apresentar nota técnica sobre a situação do local e se apresenta riscos para uma eventual liberação da via em tempo seco.

Uma  tempestade atingiu a avenida e desabou mais um trecho da ciclovia Tim Maia. Foram registrados ao menos quatro pontos de deslizamento, que atingiram dois ônibus e resultaram na morte de duas pessoas.