O pedido de punição aos então candidatos a governador e vice-governador na época, foi feito pelo Ministério Público Eleitoral no Tocantins e agora o TRE dá o seu veredito, declarando na última terça-feira, 20, a inelegibilidade de Sandoval Cardoso Lobo e Joseli Ângelo Agnolin, pelo prazo de 8 anos, por abuso de poder político em razão dos diversos reajustes concedidos a servidores públicos, no ano da campanha eleitoral de 2014. O pedido de punição aos então candidatos a governador e vice-governador na época, foi feito pelo Ministério Público Eleitoral no Tocantins (MPE-TO), que também os representou por abuso de poder econômico.

O procurador regional eleitoral do Tocantins, George Lodder, disse que os aumentos concedidos extrapolaram exorbitantemente a perda do poder aquisitivo dos salários dos servidores. “O que aconteceu no ano de 2014 foi um sinal claro do uso da máquina pública para carrear apoio político e votos, não só dos servidores beneficiados com os aumentos salariais dados ilegalmente, como também de seus familiares e pessoas de convívio próximo, que também seriam abrangidos indiretamente pelas medidas”, afirmou o procurador.

A defesa de ambos deve recorrer da decisão, com muita dificuldade para alterar o resultado nas apelações, dificilmente os dois terão condições de se candidatarem ao pleito de 2018.