Decisão liminar determina que o movimento de greve dos professores da rede municipal de ensino de Palmas deve ser suspenso imediatamente, segundo ordem preferida pelo juiz Zacarias Leonardo, do Tribunal de Justica do Tocantins (TJ – TO), que ainda determinou uma multa de R$ 10 mil por dia, caso o Sintet (Sindicato dos Trabalhadores em Educação, não acate a ordem. A liminar foi proferida no dia 06 de setembro.

Segundo a decisão do Juiz, a greve foi deflagrada nesta terça-feira, 05, em Palmas, aparentemente antes de haver tentativas de negociação junto à Prefeitura, além de que o Sintet não teria apresentado uma pauta de reivindicações associada ao plano de greve que garantisse a prestação do serviço de forma suficiente.

Após a decisão o prefeito Carlos Amastha ressaltou que o movimento grevista teve baixa adesão dos professores, o que para ele demonstra a consciência desses profissionais. “A atitude do sindicato foi de usar um movimento com viés político e violento contra a honra e dignidade do prefeito politizando um assunto que não tem nenhum viés político”, disse Amastha.