A chuva registrada no início desta terça-feira (31) fez a alergia dos palmenses e movimentou as redes sociais, mas também foi um reforço para a força-tarefa que combate os vários focos de incêndio nas serras da zona rural de Palmas. No início da manhã a Defesa Civil estadual informou acreditar que os focos isolados tivessem sido extintos. Só que depois de uma nova avaliação foi verificado que o combate vai continuar.

Um dos maiores desafios para controlar as chamas é que o fogo estava muito perto dos paredões de pedra, tornando a aproximação dos brigadistas por terra inviável. Nesta terça-feira (31), as equipes devem se concentra na área de Taquaruçu Grande.

O incêndio na Serra do Lajeado, no entorno de Palmas, começou ainda no sábado (28). A principal alternativa para acessar os penhascos é o combate pelo ar, com o helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) fazendo lançamentos de cargas de água pelo alto.

Até mesmo o helicóptero do Ciopaer encontrou problemas, pois as represas próximas dos locais onde as chamas eram mais fortes, que poderiam ser usadas na captação de água, estão secas. No primeiro dia da força-tarefa a aeronave precisou pegar água no lago do Parque Cesamar, no centro de Palmas, a mais de 30 km do local do fogo.

Durante a segunda-feira, quando cerca de 30 homens participaram do combate usando sopradores, bombas costais e outros equipamentos para a extinção das chamas, havia duas frentes do incêndio na serra, sendo uma na região do Morro da Tartaruga e outra na região de Taquaruçu Grande.

A força-tarefa é composta por integrantes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil Estadual, Brigada Estadual de Combate a Incêndio Florestal, Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Defesa Civil Municipal de Palmas, Naturatins e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

“O vento atrapalha, mas ele não impediu o nosso avanço. Em alguns momentos temos que parar e monitorar, para em seguida retomarmos a ação. É a nossa estratégia e queremos concluir isso nesta terça-feira”, comentou o tenente-coronel Erisvaldo Alves, coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual.