A deputada estadual Renata Souza (Psol) registrará um boletim de ocorrência na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) após receber ameaças de morte pelas redes sociais na última semana. A parlamentar informou a presidência da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) que encaminhou um ofício à Secretaria de Polícia Civil para que as medidas cabíveis fossem tomadas.

— São ameaças que atentam contra a minha vida, e isso é muito grave, afinal de contas eu sou presidente da Comissão de Direitos Humanos, que trabalha com vários temas graves de violações. Não podemos subestimar qualquer tipo de ameaça. Essa é uma ameaça que, inclusive, cita a Marielle. A gente já perdeu uma parlamentar importante no Rio e precisa que as autoridades possam investigar e que tragam uma resposta contundente em relação a esses criminosos — disse a parlamentar, que chegou à DRCI acompanhada de dois assessores pouco depois das 10h30.

Para Renata, o objetivo da ameaça é calar sua voz na Assembleia Legislativa.

— O teor é, basicamente, tentando me silenciar. Falam que já aconteceu com a Marielle e vai acontecer com outra pessoa. O teor traz um questão de “falar demais”. Uma parlamentar que foi eleita para falar, parlar é igual a parlamento, da fala. Estou sendo ameaçada e cerceada. Minha atribuição enquanto legisladora está sendo ameaçada. Isso é uma ameaça à democracia — afirmou Renata Souza.

A deputada quer que a Polícia Civil abra uma investigação para descobrir quem está enviando as mensagens pelo Facebook.

— Foi uma mensagem, e eu preciso que a polícia investigue. Espero que eles me deem resposta. Afinal de contas, existe um trabalho contundente à frente da comissão. Nenhum tipo de ameaça deve ser subestimada — disse. Ela acrescentou que já avisou ao governo do estado sobre as intimidações.

— Falei com o secretário da Polícia Civil (Allan Turnowisk), com o governador (em exercício Cláudio Castro) e com o presidente da Alerj (André Ceciliano) sobre a ameaça. Todas as autoridades estão avisadas. Eles se solidarizaram e se colocaram à disposição.

Questionada sobre o pedido para que sua segurança fosse reforçada, Renata afirmou que “está analisando” a possibilidade.

Segundo a assessoria da deputada, “o agressor ameaçou a vida da parlamentar e disse ‘você fala de mais (sic)… vai perder a linguinha”. No mesmo post, o homem escreveu: “por isso que Marieli (sic) morreu.”