Nathalie Maillet, de 51 anos, diretora do circuito de corridas de Spa-Francorchamps, na Bélgica, foi morta ao lado de sua namorada, a professora Ann Lawrence Durviaux, após uma briga com seu ex-marido Franz Dubois pela partilha dos bens durante seu processo de divórcio, aponta a investigação do caso.

Inicialmente, havia a suspeita de que o duplo feminicídio, cometido por Dubois – que se suicidou em seguida – teria sido motivado porque ele não sabia do relacionamento entre as mulheres e as flagrou juntas.

Isso foi negado pela magistrada porta-voz do caso, Sarah Pollet, segundo o site belga Sudinfo. As investigações apontam que o ex-casal, acompanhado por Durviaux, jantou em um restaurante cerca de duas horas antes do crime, e que ali teria começado a discussão.

O casal estava oficialmente separado desde o início de agosto e teria concordado com o jantar para discutir a partilha de bens. Mas não houve acordo e, irritado, Dubois pagou a conta e deixou o local sozinho.

As duas mulheres saíram em seguida e foram na mesma direção, o que é comprovado por imagens das câmeras de segurança do restaurante, vistas pela polícia.

Os três se reencontraram em uma casa que pertencia a Maillet e Dubois, mas que não era a residência deles antes da separação. Ali havia uma arma comprada pelo ex-marido em 2018, ano em que o então casal foi vítima de violência durante uma invasão. Foi com ela que Dubois cometeu o duplo feminicídio seguido de suicídio.