A Polícia Civil concluiu nesta segunda-feira (23) uma investigação sobre assédio sexual em um supermercado de Paraíso do Tocantins, na região central do estado. Os dois homens que são donos do estabelecimento foram indiciados sob a acusação de que teriam abusado de pelo menos 10 mulheres que trabalharam na empresa ao longo dos últimos seis anos.

O nome da empresa não foi divulgado pela Polícia Civil e por isso não foi possível localizar a defesa para pedir um posicionamento.

De acordo com o delegado que cuidou da investigação, José Lucas Melo, cerca de 30 pessoas foram ouvidas durante a apuração. O caso está sob responsabilidade da 6ª Delegacia de Atendimento à Mulher e Vulneráveis (6ª DEAMV).

A investigação começou por causa dos relatos de funcionários e ex-funcionários sobre os episódios. Eles relataram que as mulheres que não sediam aos avanços dos patrões sofriam represálias, entre elas piores condições de trabalho e até demissão.

“O assédio sexual possui uma gravidade elevadíssima, uma vez que objetifica a vítima, atingindo sua dignidade e muitas vezes causando abalos graves à sua saúde. No caso investigado, mulheres que saiam de suas casas para buscar o seu sustento e o de suas famílias sofreram vários abusos por parte de quem deveria garantir um ambiente de trabalho sadio. O fato de ter perdurado por um longo período de tempo e contra várias vítimas demonstra a confiança na impunidade por parte de quem comete esse tipo de crime, que se considera acima da lei por possuir poder aquisitivo e influência social. Mas PC-TO respondeu à altura e os fatos foram devidamente investigados”, disse o delegado.

Todo o inquérito foi enviado ao Ministério Público e ao Poder Judiciário, que agora devem avaliar se a denúncia já pode ser oferecida ou se são necessárias mais diligências. As vítimas estão sendo orientadas quanto aos procedimentos cíveis que podem realizar. A SSP disse que uma cópia da investigação será remetida ao Ministério Público do Trabalho.

A Polícia Civil reforçou a necessidade de que situações do tipo sejam denunciadas. Qualquer pessoa que tenha conhecimento de casos que possam configurar crime, deve se dirigir a qualquer delegacia de polícia no Tocantins e levar os fatos ao delegado de polícia.