Corre nos bastidores políticos, a informação de que o ex-deputado federal e atual secretário de Governo da Prefeitura de Palmas, Júnior Coimbra, estaria realizando articulações para viabilizar a sua candidatura. Essas articulações, que chegam a envolver o Palácio Araguaia, estariam deixando a sua relação com Carlos Amastha  (PSB) estremecida.

Chegou a ser ventilado essa semana que a intenção de Coimbra seria assumir a vaga de Dulce Miranda (PMDB) na Câmara Federal. Segundo as informações, Dulce deixaria Brasília para assumir a Secretaria do Trabalho e Ação Social, pasta hoje comandada pela Coronel Patrícia, nome de confiança do governador Marcelo Miranda e de sua esposa.

Para muitos, com a ida  Coimbra para Brasília, ocupando a vaga de Dulce Miranda, o governador teria mais espaço na bancada federal e tiraria do potencial adversário, Amastha,  na eleição do ano que vem,  um articulador com muita habilidade para negociações com as lideranças políticas estaduais. Mas isso tudo não passa de projeções de cenários e com a palavra da Dulce negando qualquer possibilidade de que isso venha a acontecer, fica o dito pelo não dito.

Dulce  tem se movimentado em Brasília para liberar as emendas parlamentares que destinou para as cidades tocantinenses no orçamento federal de 2017.

Segundo dados do Ministério do Planejamento, as emendas de Dulce somam quase R$ 8 milhões que devem ser investidos em infraestrutura, turismo, esporte, agropecuária e saúde. Além disso, ela também contribuiu com a emenda de bancada que irá viabilizar a construção da ponte sob o Rio Araguaia, em Xambioá, obra que será lançada no dia 14 de setembro e que será uma das principais rotas de ligação entre o Tocantins e o Pará.

Desde que assumiu seu cargo, eleita a deputada federal com maior número de votos em 2014, Dulce tem priorizado o fortalecimento dos municípios e investido na estruturação das redes de atenção básica de saúde. Só em 2017, foram destinados R$ 6 milhões para o setor.