O presidente Jair Bolsonaro disse  que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro terá de apresentar provas sobre as acusações que fez, como da tentativa de Bolsonaro em ter informações privilegiadas da Polícia Federal. Em conversa com jornalistas na chegada ao Palácio da Alvorada, ele afirmou que um eventual inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) poderia ajudar a esclarecer o caso.

— O que acontece: o ministro que saiu fez acusações e é bom que ele comprove, até para minha biografia. Agora, o processo no Supremo é o contrário, é ele quem tem que comprovar aquilo que ele falou ao meu respeito — argumentou.

O presidente disse esperar que o STF esclareça o caso:

— É uma acusação grave que foi feita a meu respeito, seria bom o Supremo decidir isso o mais rapidamente possível. E o ministro pode apresentar as provas, se ele tiver, obviamente — disse.

Em uma das cópias de mensagens com o presidente que Moro apresentou à TV Globo, Bolsonaro reclama da CPMI das Fake News, fazendo referência a uma reportagem que relata investigação de deputados bolsonaristas.

Questionado sobre o tema, o presidente afirmou que a CPMI tem objetivo de desgastar ele e os filhos:

— Gabinete do ódio, quem é o idiota que acredita? — rebateu.

Bolsonaro desafiou os jornalistas a apresentarem um post dele em redes sociais com mentiras e afirmou que jamais se elegeria sem as mídias sociais.