O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, prestou depoimento à Polícia Federal no inquérito que investiga a organização e o financiamento de atos antidemocráticos contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional.

Eduardo e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) foram intimados na semana passada a depor. Carlos também já prestou depoimento e negou ter produzido conteúdo para incentivar os atos antidemocráticos.

Eduardo Bolsonaro foi ouvido como testemunha no inquérito. O depoimento foi prestado no gabinete dele na Câmara dos Deputados e durou cerca de seis horas (terminou por volta das 19h).

Ao deixar o gabinete, o deputado não quis responder a perguntas da imprensa nem confirmar a presença da PF. Disse que “prefere não comentar” o assunto.

Segundo fontes ouvidas pela TV Globo, o deputado foi questionado sobre relação com investigados no inquérito; divulgação de atos antidemocráticos; e uso de impulsionamento e robôs nas redes sociais.

O inquérito

O inquérito foi aberto em abril pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que atendeu a um pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras.

O pedido de investigação foi apresentado por Aras após atos que defenderem o fechamento do Congresso Nacional e do STF, pautas antidemocráticas e inconstitucionais.

As investigações já atingiram deputados, empresários e blogueiros bolsonaristas.