O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criticou a obrigatoriedade do uso de máscaras no Brasil. Na visão dele, deveria ser um ato de conscientização da população. As declarações, que contrariam evidências científicas, foram dadas ao canal bolsonarista “Terça Livre”, investigado pela CPI da Covid.

— Somos contra essa obrigatoriedade. O Brasil tem muitas leis e as pessoas, infelizmente, não observam. O uso de máscaras tem de ser um ato de conscientização — afirmou o ministro, na entrevista.

A comissão quebrou o sigilo do veículo, comandado pelo blogueiro Allan dos Santos, para apurar a disseminação de fake news sobre a pandemia. Além disso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) instruiu redes sociais a não repassarem verba publicitária.

Estados preveem a aplicação de multas para quem não utilizar a proteção facial em locais públicos. É o caso de São Paulo, que já autuou o presidente Jair Bolsonaro por três vezes. O valor da multa pode alcançar R$ 290,9 mil. Autoridades como os ministros Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), também já receberam a penalidade.