Esteve nesta segunda-feira (14), o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), e participou do encontro estadual do partido, e aproveitou para se encontrar com o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), e neste encontrou falou sobre a possibilidade de disputar ao cargo de Presidente em 2018.

O prefeito da capital paulista, negou mais uma vez, em entrevista aos jornalistas tocantinenses ter interesse em disputar ao cargo nas próximas eleições. “Meu objetivo não é ser candidato. Eu sou prefeito da cidade de São Paulo e tenho cumprido a minha tarefa como prefeito e evidentemente aceito convites como recebi da federação das indústrias e do PSDB para participar da convenção.”

Durante o encontro com o prefeito de Palmas, Doria elogiou o sistema de ensino da capital do Tocantins. “Uma das razões que motivaram a minha vinda aqui é conhecer a educação de Palmas, porque, ao lado da saúde, é a prioridade na gestão da cidade de São Paulo, mas também vim avaliar outras políticas de desenvolvimento que vêm permitindo a Palmas crescimento mesmo em um momento recessivo, do qual estamos saindo, mas que o Brasil ainda vive”, disse.

Ao ser questionado se terminaria o mandato de prefeito da maior capital do país, Doria afirmou que foi eleito para ser prefeito por quatro anos e tem se dedicado a isso. Porém, defendeu que se eventualmente vir a ser presidente ou integrar alguma equipe de governo federal vai defender a privatização.

“O Brasil precisa ter estrutura mais eficientes no plano federal, diminuir o tamanho do estado e tem que privatizar sim, fazer concessões para melhorar o grau de eficiência do governo, mas tem etapas que precedem: aprovar as reformas, nesse momento me parece essencial.”