O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pressionou o principal funcionário eleitoral da Geórgia a “encontrar” votos suficientes para reverter sua derrota no Estado, de acordo com a gravação de um telefonema divulgada pelo jornal Washington Post no domingo.

O telefonema ocorrido no sábado para o secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, também republicano, veio quando alguns dos aliados de Trump no Congresso dos EUA disseram que planejam se opor à certificação formal da vitória de Joe Biden, na próxima quarta-feira.

Nas eleições realizadas em novembro, Biden venceu por uma margem de 306-232 no Colégio Eleitoral estadual e por mais de 7 milhões de votos no total.

O Washington Post disse que Trump alternadamente implorava e ameaçava Raffensperger com vagas consequências criminais na tentativa de desfazer sua perda para o democrata eleito.

O jornal disse que, durante a ligação, Raffensperger e o conselho geral de seu gabinete rejeitaram as afirmações de Trump e disseram ao presidente que ele estava contando com teorias de conspiração sobre o que era uma eleição justa e precisa. Os trechos de áudio publicados pelo Post confirmam isso.

“O povo da Geórgia está com raiva, o povo do país está com raiva”, disse Trump, de acordo com um trecho da gravação publicado online pelo Post. “E não há nada de errado em dizer, você sabe, hum, que você recalculou.”

“Então, olhe. Tudo que eu quero fazer é isso. Eu só quero encontrar 11.780 votos, que é um a mais do que nós temos. Porque ganhamos no Estado”, disse Trump na gravação, insistindo que “não havia como” ele perder o Estado.

A Casa Branca não quis comentar. O escritório de Raffensperger não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários. O escritório de transição de Biden não fez comentários imediatos.

A Geórgia é um dos vários Estados decisivos onde Trump perdeu a eleição para Biden e, desde então, fez alegações infundadas de fraude eleitoral e tentou anular os resultados.

Mesmo se Trump tivesse conquistado os 16 votos do Colégio Eleitoral da Geórgia, ele ainda teria perdido a Casa Branca para o democrata, que tomará posse em 20 de janeiro.

Antes de o Washington Post divulgar a ligação, Trump disse no Twitter neste domingo que havia falado por telefone com Raffensperger sobre fraude eleitoral na Geórgia.

“Ele não quis ou não conseguiu responder a perguntas como o golpe das ‘cédulas embaixo da mesa’, destruição de cédulas, ‘eleitores’ de fora do estado, eleitores mortos e muito mais. Ele não tem ideia!”, afirmou Trump.

Raffensperger respondeu no Twitter: “Respeitosamente, presidente Trump: O que você está dizendo não é verdade. A verdade virá à tona.”