O governador Mauro Carlesse (PSL) afirmou em reunião com secretários e presidentes de autarquias nesta quinta-feira, 26, que sua gestão “já organizou a casa” e “agora tem que mostrar a que veio”. “Oferecendo ao povo muito mais obras e serviços dentro desse grande programa”, disse, em relação ao Tocando em Frente.

O melhor ao povo tocantinense

Segundo Carlesse, o programa “traz uma realidade de investimentos”. “Vemos que o governo tem trabalhando firmemente, com muito empenho e seriedade para oferecer o melhor ao povo tocantinense, mas sempre podemos melhorar”, avaliou.

Alinhar ações

Conforme a Secretaria Estadual de Comunicação (Secom), a reunião com a equipe de governo foi para alinhar ações, analisar projetos em execução e dar prioridade no cumprimento das metas estabelecidas dentro do Tocando em Frente, que, de acordo com a pasta, tem chegado aos 139 municípios do Estado “levando obras, investimentos e geração de emprego e renda”.

R$ 2,9 bilhões de investimentos

Segundo o governo, o Tocando em Frente prevê investimentos na ordem de mais de R$ 2,9 bilhões e visa o fortalecimento da economia e a geração de empregos para a população nos 139 municípios. A expectativa é que os investimentos propiciem a geração de aproximadamente 104 mil empregos e beneficiem 359 mil pessoas com programas sociais. Os recursos são oriundos de várias fontes como as operações de crédito, convênios federais, Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), que serão investidos em obras de infraestrutura, educação, saúde, além do fomento à produção e ações de inserção social.

Tudo foi planejado

O secretário da Fazenda, Sandro Armando, afirmou que “tudo o que está acontecendo agora” foi planejado. “Ninguém estava arrumando a casa por arrumar, apenas para se enquadrar na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), estávamos organizando porque, além de ser uma obrigação constitucional, é o único caminho que nos possibilitava condições de realizar as políticas públicas que todo cidadão almeja’, afirmou.

O que merece e o renegado

Para ele, o Tocantins “atualmente é um Estado que fomenta, que dá oportunidade, que atrai investimentos e que gera emprego e renda para a população”. “Temos que continuar com este espírito para concluir a gestão e entregar ao povo o que ele merece e o que foi renegado por muitos anos”, defendeu.

Um orçamento por semestre

O secretário de Planejamento e Orçamento, Sergislei Moura, disse que, para 2022, o governo quer instituir um orçamento por semestre, o que vai possibilitar que seja feito um melhor planejamento das licitações e ações específicas da gestão. “O ano de 2020 foi muito complexo e tivemos que instituir um orçamento liberado mensalmente. Em 2021, estamos liberando por quadrimestre e em 2022, com a receita reagindo, queremos trabalhar semestralmente. Neste último ano não podemos deixar dívidas, é um ano de planejar a concretização de tudo o que foi orçamentariamente instituído e que deve ser quitado ou gerado receita para o ano subsequente”, afirmou o secretário.