Uma agroempresa de Formoso do Araguaia, na região sul do estado, terá que pagar uma indenização de R$ 347 mil por danos causados à coletividade. Segundo o Ministério Público, a empresa desmatou aproximadamente 830 hectares de vegetação nativa sem autorização ambiental, além de manter canais de irrigação sem licença e sem estudo de impacto ambiental.

O pagamento da indenização foi definido em um acordo entre o MPE e a empresa, que não teve o nome divulgado.

Além de pagar a indenização, a firma precisará regularizar as licenças ambientais em até 120 dias para continuar funcionando. O acordo foi homologado pela Justiça.

Ainda conforme o MPE, o dinheiro da indenização poderá ser utilizado em ação socioambiental ou para ajudar a área da saúde durante a pandemia do coronavírus. O pagamento será feito de forma parcelada.

Empresa vai pagar indenização por desmatar vegetação nativa e fazer irrigação sem licença

Uma agroempresa de Formoso do Araguaia, na região sul do estado, terá que pagar uma indenização de R$ 347 mil por danos causados à coletividade. Segundo o Ministério Público, a empresa desmatou aproximadamente 830 hectares de vegetação nativa sem autorização ambiental, além de manter canais de irrigação sem licença e sem estudo de impacto ambiental.

O pagamento da indenização foi definido em um acordo entre o MPE e a empresa, que não teve o nome divulgado.

Além de pagar a indenização, a firma precisará regularizar as licenças ambientais em até 120 dias para continuar funcionando. O acordo foi homologado pela Justiça.

Ainda conforme o MPE, o dinheiro da indenização poderá ser utilizado em ação socioambiental ou para ajudar a área da saúde durante a pandemia do coronavírus. O pagamento será feito de forma parcelada.