O representante do empreendimento Araguaína Park Shopping participou de uma reunião na Câmara de Vereadores para tirar dúvidas dos parlamentares sobre um projeto de lei que está em tramitação na Casa e apresentar toda a documentação que comprova as tentativas para a emissão do alvará de construção nos últimos anos. Em 2018, o documento só foi emitido pela prefeitura após determinação judicial.

Nas próximas semanas a Câmara votará um projeto enviado pelo prefeito Wagner Rodrigues (SD) que permite a retomada das obras. A votação do novo projeto é necessária em razão de ter expirado o prazo para conclusão das obras.

De acordo com André Simonassi, administrador do empreendimento, a reunião foi muito positiva, pois esclareceu todas as dúvidas dos vereadores. O empresário justificou que a emissão do alvará de construção estava sendo impedida por questões políticas.

“Até hoje estava sendo impedida por questões políticas, e com a renovação política da Câmara, com os novos vereadores, com a nova gestão do prefeito Wagner Rodrigues, conseguimos melhorar a comunicação e apresentar a parte técnica demonstrando que atendemos 100% das questões para a retomada dos nossos trabalhos, sem esses atrapalhos políticos que no ano passado fez com que nosso projeto desmanchasse, mas agora vemos um horizonte mais positivo”, disse André.

Segundo ele, caso o poder público continue dificultando investimentos privados na cidade por questões meramente política será preciso repensar o título conferido a Araguaína de Capital Econômica do Estado.

O empresário já assinou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) junto à prefeitura no qual a empresa se compromete a concluir o shopping no prazo de até 36 meses após a aprovação do projeto de lei que será votado na Câmara. Mais de R$ 18 milhões já foram investidos na parte de estrutura e fundação do empreendimento.

VOTAÇÃO NA CÂMARA

O presidente da Casa de Leis, vereador Gideon Soares, garantiu que os vereadores vão analisar o projeto de forma técnica e justa, conforme os documentos apresentados.

“O empresário entregou a documentação mostrando os investimentos já realizados, o motivo do alvará não ter sido concedido, além de muitas questões burocráticas e administrativas entre empresa e prefeitura na época. Sabemos que existe a burocracia jurídica da situação, os vereadores estão totalmente atentos a isso, já foi dado um prazo e não foi construído. A presidência da Casa vai tratar com muito respeito e transparência, para que o projeto possa tramitar da melhor forma possível”, garantiu Gideon Soares.

FACILIDADE NA LICENÇA DO OUTRO SHOPPING

Quanto ao lançamento de outro shopping na cidade, o Lago Center, com obras previstas para começar no próximo mês de junho, o empresário questionou a facilidade para a emissão da licença.

“Faço o seguinte questionamento, qual a bola de cristal que eles têm para saber que a licença ambiental vai sair ainda este mês, já que o início está previsto para junho? Estamos há quatro anos tentando apenas uma renovação de alvará, que estava válido no mesmo lugar, mesma obra, mesma empresa. Que bola de cristal que eles têm pra ter certeza que essa licença sairá tão rápido para iniciar as obras? Qual canal eles usam para tal agilidade, já que precisamos entrar na justiça para renovar um alvará enquanto eles emitem uma licença em tempo recorde?”, questionou o empresário.